Enem 2021: saiba como é possível usar a sua nota para concorrer ao Sisu

No ato, o candidato tem a possibilidade de escolher até duas opções de curso, podendo mudá-las durante o período em que as inscrições estiverem abertas.

Com a finalização do período de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), milhões de estudantes agora aguardam ansiosos pela divulgação das notas do exame para poderem concorrer às vagas oferecidas nas universidades públicas pelo Sistema de Seleção Unificada, o Sisu.

Isso porque o Sisu é o sistema informatizado do Ministério da Educação (MEC), que serve como porta de entrada para estudantes ingressarem em um curso graduação nas universidades públicas do país, sejam elas federais, estaduais e municipais. O parâmetro está diretamente relacionado ao desempenho nas provas do Enem.

Para se ter uma ideia, desde a sua criação, em 2010, a oferta de vagas pelo Sisu aumentou 410%. No ano passado, mais de 1,8 milhão de estudantes se inscreveram no sistema, disputando a 239 mil vagas oferecidas em 130 instituições de ensino superior de todo o país.

Para garantir uma das vagas ofertadas por meio do Sisu, os estudantes devem ficar atentos a como o sistema funciona e como se inscrever no processo seletivo.

Como funciona o Sisu

A inscrição do Sisu deve ser feita pelo candidato que realizou o Enem. Ela é feita exclusivamente online, no site do sistema. A inscrição é gratuita. No ato, o candidato tem a possibilidade de escolher até duas opções de curso, podendo mudá-las durante o período em que as inscrições estiverem abertas.

Dentro da plataforma, o candidato consegue encontrar as universidades que estão inscritas e seus respectivos cursos, com o número de vagas a serem ofertas. A distribuição das vagas obedece a Lei de Cotas (Lei 12.711/2012).

Algumas das instituições de ensino superior oferecem vagas reservadas aos candidatos que se enquadram em um determinado tipo de cota, enquanto outras adotam bônus na nota do Enem do candidato. O candidato deve ficar atento aos pesos de cada disciplina para o curso que deseja se inscrever.

Isso porque alguns cursos podem adotar pesos diferentes para cada disciplina. Em sua grande maioria, as universidades costumam dar peso dois ou três para a redação em seus cursos no geral.

Mas para aquelas disciplinas que tenham a ver com o seu curso, as instituições darão um peso diferenciado, como Linguagens para quem se candidatar a uma das vagas de Direito. Já outras universidades agem de forma diferente.

Elas podem estabelecer uma média e nota mínimas em uma determinada disciplina para que o candidato conquiste a vaga. Tem-se como exemplo o curso de Medicina, que pode exigir a média mínima de 400 pontos e que o candidato alcance pelo menos a nota 500 em Ciências da Natureza.

Ao fazer a inscrição, o candidato consegue analisar se a nota alcançada no Enem é suficiente para ingressar no curso dos seus sonhos, ou se terá que escolher outro curso ou outra universidade. Isso é possível com a nota de corte.

A nota de corte é a menor nota necessária para o candidato ficar dentro do número de vagas ofertadas em seu curso por uma universidade. Por exemplo, o curso de Direito de uma determinada instituição oferece 40 vagas e o candidato que ocupa a 40º posição tem 700 pontos. Essa pontuação – 700 – é a nota de corte daquele curso.

A nota de corte é divulgada diariamente a partir do segundo dia. Ela não garante a vaga, somente dá um demonstrativo de como está a disputa pelo curso. Durante o período de inscrição, pode acontecer de vários candidatos se inscreverem em um curso porque a nota de corte está baixa e ela aumentar de um dia para o outro.

Após o fim do período de inscrição e escolha dos cursos, os resultados são divulgados de acordo com a modalidade e a concorrência (ampla concorrência ou algum tipo de cota).

O candidato tem acesso ao seu boletim, por meio do qual consegue verificar se foi selecionado em sua 1ª ou 2ª opção de curso. Em caso positivo, ele pode fazer a matrícula no curso. Se o candidato optar por não se matricular, ele não poderá participar da lista de espera do Sisu.

Isso porque a lista de espera é destinada aos candidatos que não foram aprovados em nenhuma das opções de curso escolhidas na chamada regular. Para participar dessa lista, o candidato deve manifestar seu interesse dentro do prazo estabelecido pelo cronograma do Sisu.

Após a manifestação, ele deve acompanhar o processo de convocação de matrícula junto à instituição de ensino superior do curso pelo qual manifestou interesse.

Como se inscrever no Sisu

As inscrições do Sisu são feitas exclusivamente online. O MEC ainda não divulgou o cronograma do processo seletivo para o ano de 2022, já que o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira (Inep), órgão do MEC responsável pela aplicação das provas do Enem, não informou oficialmente, até o momento, quando o resultado do Enem 2021 será divulgado.

Mas, enquanto o cronograma do Sisu não é divulgado, confira o passo a passo de como se inscrever no processo seletivo:

  • Acesse o site do Sisu;
  • Faça o login com a conta do GOV.BR para fazer o cadastro;
  • Confirme seus dados e siga em frente;
  • Na tela “Minha inscrição”, escolha suas duas opções de curso. Nessa tela, o candidato consegue acompanhar, por exemplo, a nota de corte;
  • Clique em “Fazer inscrição na 1ª opção”;
  • Pesquise a universidade pública e o curso que deseja se candidatar;• Clique no curso;
  • Leia as modalidades disponíveis (ampla concorrência ou algum tipo de cota) e escolha a que deseja;
  • Se escolher algum tipo de cota, não esqueça de checar os pré-requisitos exigidos pela instituição de ensino superior para comprovar que se enquadra na modalidade;
  • Confirme sua inscrição e repita o processo para a sua segunda opção de curso.

A partir das 0h do dia seguinte, já estará disponível a nota de corte, por meio da qual o candidato poderá verificar a sua classificação parcial. Caso deseje, há a possibilidade de mudar a opção de curso, mas isso somente durante o período de inscrições do Sisu.

Leia também

você pode gostar também