Seus estudos melhoram com a “prática distribuída”; saiba aplicar

Conheça o passo a passo para aplicar a prática distribuída e turbine o seu aprendizado para encarar as provas do concurso.

A data das provas do certame está cada vez mais perto e você procura uma forma de deixar o seu aprendizado ainda mais eficiente? A prática distribuída pode te ajudar com essa missão, que não é impossível. Continue a leitura e conheça um pouco mais sobre ela, para aumentar as suas chances de começar uma carreira pública de sucesso. Confere aí, concurseiro.

O que é a prática distribuída?

Trata-se de uma incrível metodologia que permite ao estudante reter as informações que precisa com mais eficiência. Funciona da seguinte maneira: o concurseiro cria várias sessões de estudo e as distribui durante toda a fase de preparação para as provas, em vez de estudar todo o conteúdo de uma única vez.

O princípio é o mesmo da curva de esquecimento. Ou seja, tudo aquilo que o concurseiro aprende precisa ser revisado ao longo do tempo, para que não ele não corra o risco de esquecer.

Quando você adota a prática distribuída, todas as vezes que retorna à disciplina, vai reforçar as informações que estudou na última sessão e, automaticamente, fazer novas conexões neurais.

Passo a passo de como aplicar a prática distribuída

Siga todas as orientações abaixo da prática distribuída e deixe a sua aprovação no concurso bem mais perto:

1) Estabeleça sessões menores de estudo

A prática distribuída exige que o concurseiro estipule sessões menores de estudo. O motivo é simples: o seu cérebro vai reter os assuntos com mais eficiência, se você não estudar a mesma disciplina durante horas a fio.

Em outras palavras, é mais vantajoso você estudar menos tempo uma determinada matéria, mas com todo foco possível. Aqui, vale a regra “menos tempo e mais foco”. Quanto mais disciplinas você conseguir estudar (com a máxima concentração e durante um menor período de tempo) em um único dia, melhor será para o seu aprendizado.

2) Estude assuntos diferentes durante uma única sessão

Outra premissa da prática distribuída é que o concurseiro intercale os assuntos estudados durante o dia. Por incrível que pareça, essa técnica faz uma baita diferença para o seu aprendizado, pois força a cérebro a trabalhar com mais eficiência, já que está lidando com novidades constantes. Até mesmo a sua concentração pode ficar maior.

Por exemplo, se você estuda oito horas por dia, que tal dedicar duas horas para aprender quatro disciplinas diferentes? A sua mente vai conseguir gravar as informações que precisa com muito mais rapidez. Então, sem essa de ficar “remoendo” o mesmo assunto o dia inteiro.

3) Seja um praticante da recordação ativa

A prática distribuída também determina que o concurseiro faça a recordação ativa. Ou seja, sempre que você começar a estudar um novo assunto, procure se lembrar daquilo que foi estudado anteriormente. Além de exercitar a sua mente, vai fazê-la reter as informações ainda mais.

A recordação ativa é uma prática que não deve ser negligenciada, já que prepara o cérebro para receber mais uma determinada quantidade de informações novas que ainda estão por vir. Ao contrário do que muitos pensam, isso não é uma perda de tempo.

4) Teste seus conhecimentos

Não adianta somente estudar com todo o empenho do mundo sem testar os seus conhecimentos. Por isso, a prática distribuída também sugere que o concurseiro reserve um tempo em seu cronograma de estudos semanal para fazer testes de verificação do seu nível de conhecimento.

Afinal de contas, é preciso ter uma noção de como está sendo o seu progresso nos estudos e se o seu nível de aprendizado está satisfatório. Dessa forma, não deixe de fazer bastantes exercícios, pelo menos uma vez por semana. Uma boa dica é escolher alguns simulados de concursos anteriores e mandar bala.

5) O cronograma de revisões não deve ser negligenciado

Por fim, a prática distribuída também determina que você não se esqueça (em nenhuma hipótese) das revisões diárias. Ou seja, ao final de cada dia de estudo, o concurseiro deve fazer uma boa revisão geral nos assuntos estudados.

Por isso, uma sugestão interessante é reservar um tempo (uma hora, mais ou menos) em seu cronograma diário para se dedicar à revisão.

Essa é a única forma de garantir que sua mente não vai se esquecer com o passar do tempo, o que se traduz em um aprendizado efetivo. Vale ainda ressaltar que a revisão precisa ser diária, fechado? Caso contrário, a curva do esquecimento vai te “abraçar”.

O que você achou da prática distribuída? Essa técnica é fundamental para turbinar os seus estudos e garantir, acima de tudo, um aprendizado mais eficiente. Mãos à obra e boa sorte.

Leia também


você pode gostar também

7 alimentos que “roubam” a memória; o sexto você nem vai acreditar

Pesquisas recentes mostram que alguns alimentos pobres em nutrientes podem gerar deficiência nutricional no organismo e afetar as funções cerebrais a longo prazo.

7 filmes da Netflix que vão te deixar mais feliz e otimista em 2022

Selecionamos sete filmes da Netflix que podem te dar mais otimismo.

Área jurídica: confira 5 carreiras que têm ganhos acima de R$ 15 MIL

Tem afinidade com a promissora área jurídica? Então, conheça cinco rentáveis carreiras que pagam salários acima de R$ 15 mil por mês.

5 truques infalíveis para montar um plano de estudos realmente eficaz

Acabou de fazer a inscrição em um concurso público? Conheça cinco truques infalíveis para montar um plano de estudos eficaz.

5 dicas úteis para fazer um bom fichamento durante os estudos

Procura uma técnica de aprendizagem que seja eficiente? Fique por dentro de cinco dicas úteis sobre como fazer um bom fichamento durante os estudos.

Moeda de R$ 1, conhecida como Perna de Pau, vale até R$ 8 MIL

A proposta de R$ 8 mil por uma unidade desse modelo surpreendeu os colecionadores e usuários da internet.