Auxílio-doença tem novas regras sancionadas; veja o que muda

As novas regras sancionadas pela Presidência da República nesta semana pretendem reduzir as longas filas de espera por perícia médica profissional do INSS no país.

Na última segunda-feira (5), o presidente Jair Bolsonaro (PL) sancionou com vetos a Lei que altera os modelos de análise referentes à solicitação de benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). A decisão foi publicada com força de lei no Diário Oficial da União, e está disponível na íntegra pela internet.

A princípio, o objetivo principal das novas regras sancionadas é diminuir a fila de espera do INSS, assim como racionalizar o fluxo de atendimento do Regime Geral da Previdência Social e outros serviços do instituto. Confira mais sobre as alterações aprovadas a seguir:

Quais são as novas regras do auxílio-doença?

Em primeiro lugar, o auxílio-doença consiste em um benefício pago pelo INSS para as pessoas que ficam incapacitadas de trabalhar ou exercer a atividade profissional habitual por um período superior a quinze dias consecutivos. Desse modo, é necessário ter qualidade de segurado e cumprir o período de carência.

O texto aprovado na Presidência da República nesta semana dispensa o exame da perícia médica federal para a solicitação do Auxílio por Incapacidade Temporária, novo nome do auxílio-doença. No entanto, quem irá determinar as condições para a dispensa do exame é o Ministério do Trabalho e Previdência.

Além disso, a pasta irá estabelecer quando a concessão ou não do auxílio-doença passará por análise documental, o que inclui atestados e laudos médicos. Anteriormente, a medida foi adotada entre 2020 e 2021 em decorrência das restrições criadas pela pandemia da COVID-19 no país.

A proposta também autoriza que a realização do exame médico seja feita remotamente, ou somente por análise de documentos. Com as alterações, será possível ainda contar com a realização de parcerias com outras instituições qualificadas para que essa avaliação seja feita de maneira terceirizada.

Porém, as regras específicas quanto a essas mudanças serão fixadas pelo Ministério do Trabalho, estabelecendo quais são os casos em que esse procedimento será permitido. No geral, a expectativa do Governo Federal é que as novas regras sancionadas para o auxílio-doença diminuam a alta demanda de perícias.

Qual o valor do auxílio-doença e como funciona o benefício?

Por via de regra, o pagamento do auxílio-doença considera a renda mensal de 91% do salário de benefício. Neste caso, esse salário é estabelecido através de um cálculo com a média aritmética simples dos maiores salários de contribuição do segurado, equivalente a 80% do período contributivo.

O período mínimo de carência estabelecido pela legislação para realizar a solicitação é de 12 contribuições mensais. Porém, é dispensado da carência todos os segurados cuja incapacidade laboral decorra de um acidente no trabalho ou doença profissional causada pela rotina produtiva.

Em todos os casos, o auxílio-doença passa a ser pago é contabilizado oficialmente a partir do 16º dia de afastamento do trabalhador da atividade profissional, especificamente por conta da doença incapacitante, e não considerando folgas ou férias acumuladas previamente.

Em casos específicos, esse período é contabilizado desde o dia da incapacidade. No período anterior de 15 dias, é responsabilidade da empresa pagar o salário integral do profissional.

Contudo, o auxílio-doença não pode ser acumulado com outros benefícios, como aposentadoria, salário-maternidade ou auxílio-acidente referente ao mesmo acontecimento que causou a concessão do Auxílio por Incapacidade Temporária.

Leia também


você pode gostar também

Desconto no IPVA será liberado para ESTES carros

Carros elétricos e híbridos terão descontos no IPVA (Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores). Saiba os detalhes.

Inscritos no Auxílio Brasil podem acumular R$ 1,2 MIL em benefícios

Os beneficiários do Auxílio Brasil podem acumular benefícios complementares, sendo que o valor pode chegar a R$ 1.220. Saiba os detalhes.

Próximo abono PIS já tem regras definidas; veja quem deverá receber

O abono PIS/Pasep de 2021 está previsto para ser pago somente em 2023, mas as regras para o recebimento do benefício trabalhista foram fixadas pelo Ministério do Trabalho.

Auxílio de R$ 800 será liberado no calendário de outubro? Veja o que se sabe

Hoje, o benefício paga parcelas mensais de R$ 600 para quem cumpre com os requisitos. Veja o que se sabe sobre o Auxílio Brasil de R$ 800.

Outubro terá NOVO saque FGTS com valores que podem superar R$ 3,9 MIL

Trabalhadores formais poderão fazer saque FGTS de até 50% do saldo no mês de outubro. Os valores devem ser solicitados por aplicativo.

Quem pode pedir a bolada do Abono PIS/Pasep retroativo?

Trabalhadores podem ter direito a sacar bolada do abono PIS/Pasep retroativo. Veja como fazer a consulta dos valores.