Preços da gasolina e diesel terão nova alta nesta semana, anuncia Petrobras

Gasolina e diesel passarão por outro reajuste a partir do dia 26 de outubro. Petrobras justificou o aumento baseado em sua política de preços.

Não é notícia repetida. A Petrobras anunciou que a gasolina e o diesel terão nova alta nesta semana. Os novos preços passarão a vigorar a partir do dia 26 de outubro (terça-feira). Portanto, recomenda-se que o consumidor abasteça o seu veículo antes da alta.

A gasolina e o diesel vêm subindo de forma constante desde o começo do ano. Com isso, outros setores da economia são afetados. Alimentos, por exemplo, dependem do frete para chegarem aos supermercados. Portanto, a alta deverá ser refletida até no bolso de quem não tem automóvel.

Novos preços da gasolina e do diesel

De acordo com a Petrobras, a gasolina sairá de R$ 2,98 para R$ 3,19 por litro, nas refinarias. A alta de R$ 0,21 representa uma adição de 7,04% no preço. Vale lembrar que a gasolina já tinha sido reajustada no dia 09 de outubro.

Por outro lado, o diesel saltará de R$ 3,06 para R$ 3,34 por litro na refinaria, uma alta ainda maior. No caso, o reajuste será de cerca de 9,15%. Em setembro ocorreu a última elevação para o diesel.

A Petrobras justificou o aumento conforme a sua política de preços que leva em consideração a taxa de câmbio e os preços praticados no mercado internacional. Com o real desvalorizado, a tendência é que aumentos continuem a ocorrer.

Bolsonaro já havia adiantado o anúncio da Petrobras

O presidente Jair Bolsonaro já sabia do reajuste. Durante um evento, no domingo (24/10), ele antecipou a alta e justificou que o preço mais salgado se deve ao dólar e ao preço do barril do petróleo.

“Infelizmente, pelos números do preço do petróleo lá fora e do dólar aqui dentro nos próximos dias, a partir de amanhã, infelizmente teremos reajuste do combustível”, disse o presidente.

Recentemente, Bolsonaro anunciou a intenção de criar um auxílio aos caminhoneiros. No caso, o governo pagaria parcelas de R$ 400 aos motoristas para colaborar na compra de diesel. Parte da categoria não recebeu bem a notícia, pois alega que prefere que o combustível seja mais barato para todos.

Leia também

você pode gostar também