Seguro-desemprego 2023: parcelas terão novos valores; veja previsão

O reajuste do seguro-desemprego para 2023 deve seguir o mesmo percentual utilizado na correção do salário mínimo já aprovado.

O seguro-desemprego deve ter um aumento de 6,7% em suas parcelas para 2023. Isso porque o benefício trabalhista tem como base o salário mínimo, que teve reajuste aprovado pelo Congresso Nacional. Esse percentual está previsto no projeto de Lei das Diretrizes Orçamentárias (LDO) e é relativo à inflação de 2022.

continua depois da publicidade

De acordo com a LDO, o piso salarial deve passar de R$ 1.212 para R$ 1.294 no próximo ano. Sendo assim, o menor valor do seguro-desemprego também passará para R$ 1.294. Já o teto do benefício sairá de R$ 2.106 para R$ 2.248, considerando a porcentagem utilizada para a correção do salário mínimo.

Mas é importante saber que essas quantias são apenas estimativas e podem ser alteradas. O reajuste oficial será confirmado após o fechamento da inflação de 2022. Ou seja, somente no início de 2023 é que o Poder Executivo deve informar de quanto será o aumento.

Como funciona o seguro-desemprego?

Leia também

A Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) permite que trabalhadores formais que estão desempregados tenham acesso ao auxílio por tempo determinado. Os beneficiários podem receber entre três e cinco parcelas, em quantias de R$ 1.212 até R$ 2.106 atualmente.

continua depois da publicidade

Os repasses dependem de quanto tempo a pessoa esteve em atividade remunerada formal. Dessa forma, o seguro-desemprego é calculado fazendo uma média dos últimos três meses de salário antes da dispensa sem justa causa. Outro fator considerado é quantas vezes o benefício foi solicitado anteriormente.

O pagamento nunca pode ser inferior a um salário mínimo vigente. A Previdência Social, responsável pelos repasses, tem uma tabela para verificação de valores:

  • Salário de até R$ 1.858,17: soma os três últimos salários recebidos, divide por três e multiplica o resultado por 0,8;
  • Salário de R$ 1.858,18 até R$ 3.097,26: fazer a média conforme o item anterior. O que passar de R$ 1.858,17 deve ser multiplicado por 0,5 e o resultado somado a E# 1.249,43;
  • Salário a partir de R$ 3.097,27: parcela fixa de R$ 2.106,08.

Quem tem direito ao seguro-desemprego?

O benefício é pago dentro para pescador profissional durante o período do defeso, além de trabalhadores formais que não tenham renda própria para sustentar a família e:

continua depois da publicidade
  • Demitidos sem justa causa;
  • Resgatados de condições semelhantes à escravidão;
  • Que tiveram o contrato suspenso por participação em curso ou programa de qualificação profissional oferecido pela empresa.

Os trabalhadores não podem estar recebendo Benefício de Prestação Continuada (BPC). Outro requisito para o seguro-desemprego está relacionado à comprovação de remuneração anterior à dispensa. Dessa forma, as regras definem que o requerente deve:

  • Primeira solicitação: ter recebido 12 salários nos últimos 18 meses;
  • Segunda solicitação: ter recebido 9 salários nos últimos 12 meses;
  • Terceira solicitação em diante: ter recebido 6 salários nos meses anteriores á demissão.

Como solicitar o seguro-desemprego?

O seguro-desemprego só deve ser pedido a partir do sétimo dia após a demissão. O trabalhador que fizer o requerimento antes disso, provavelmente, receberá resposta negativa. O procedimento deve ser realizado pela internet, seguindo o passo a passo abaixo:

continua depois da publicidade
  1. Acessar o portal de serviços do governo;
  2. Clicar em "Iniciar";
  3. Clicar no botão "Entrar com Gov.BR";
  4. Fazer login com CPF e senha cadastrados;
  5. Selecionar o ícone "seguro-desemprego";
  6. Ir em "solicitar seguro-desemprego";
  7. Informar o número do requerimento entregue pelo empregador;
  8. Ler as regras e selecionar a opção de concordar;
  9. Confirmar a solicitação.

Também é possível fazer os passos acessando o aplicativo da Carteira de Trabalho. Vale ressaltar que, para solicitar o benefício novamente, é preciso aguardar 16 meses. Se você ficou com alguma dúvida, assista o tutorial em vídeo:

YouTube video

Compartilhe essa notícia

Leia também

Concursos em sua
cidade