Cotas antigas do PIS/Pasep ainda podem ser sacadas; saiba como

Existem mais de R$ 22 milhões acumulados em cotas antigas do extinto fundo PIS/Pasep. O saque ficará disponível até maio de 2025.

O prazo para sacar o abono salarial terminou no mês de junho. No entanto, trabalhadores que possuem cotas antigas do PIS/Pasep poderão retirar os valores até maio de 2025. Essas são apenas para quem exerceu atividade remunerada pública ou privada entre os anos de 1971 e 1988.

Caso o cotista já tenha falecido, seus herdeiros podem receber as quantias. Vale ressaltar que esse dinheiro não tem nenhuma relação com o abono de até um salário mínimo que é pago anualmente.

O que são essas cotas e quem tem direito?

Entre 1971 e 1988, empresas privadas e órgãos públicos depositavam dinheiro em nome de seus funcionários no fundo PIS/Pasep. Dessa forma, cada servidor passava a ser dono de uma parte desse fundo, que acabou sendo extinto.

Sendo assim, as pessoas que trabalharam formalmente durante esse período têm direito às cotas antigas do PIS/Pasep guardadas em seus nomes. Entretanto, como o fundo não existe mais, as quantias foram transferidas para o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Se o responsável pelo dinheiro já faleceu, então seus filhos e outros herdeiros legais passam a ter o direito sobre ele. Para isso, é preciso comprovar o óbito por meio de certidão e inventário.

Como fazer o saque das cotas antigas do PIS/Pasep?

Atualmente, total acumulado não sacado é de R$ 22,8 milhões que já estão nas contas do FGTS. O saque é realizado em qualquer agência da Caixa Econômica Federal (CEF). Para retirar as cotas antigas do PIS/Pasep é preciso apresentar documento oficial com foto.

No caso de falecimento, também deve ser entregue a documentação comprobatória. O prazo para reaver os valores é até 31 de maio de 2025. Depois disso, as quantias não sacadas passarão a ser de posse da União.

Leia também

você pode gostar também

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Ler mais