Salário mínimo 2022 já tem valor previsto após estimativa da inflação

O salário mínimo 2022 pode ter um valor maior do que aquele previsto inicialmente. Saiba os detalhes.

O salário mínimo atualmente é de R$ 1.100,00 no Brasil e existe uma grande expectativa para o aumento do salário mínimo de 2022. Neste ano, a inflação aumentou de forma desordenada, sendo a maior taxa em quase 20 anos, e o mínimo não acompanhou esses aumentos, fazendo com que a população perdesse o poder de compra.

A estimativa para 2022 é que o valor seja de R$ 1.192,40. Inicialmente, a projeção da inflação era de 6,2%, mas acabou sendo elevada.

Salário mínimo em 2022 pode ser maior por causa da inflação

Os dados são da Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia, que prevê que o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor ) fique em torno de 8,4% em 2021. Caso o salário mínimo seja reajustado para R$ 1.192,40, os benefícios também são alterados, como:

  • Seguro-desemprego;
  • Abono salarial;
  • Aposentadoria.

Esses dados são a base para o reajuste do salário mínimo. Além disso, eles estabelecem o teto do Instituto Nacional de Previdência Social (INSS), que hoje é de R$ 6.433,57, mas poderá passar para R$ 6.973,99 em 2022.

É importante destacar que o salário mínimo em 2021 não repôs a inflação e foi reajustado apenas em 5,26%. Com isso, o valor ficou abaixo do estabelecido pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor, que foi de 5,45% em relação ao ano de 2019.

Além disso, os aumentos dos alimentos, gás, combustíveis e demais produtos, já fazem o salário do brasileiro render cada vez menos.

Ganho real do mínimo aconteceu em 2019

A última vez em que o salário mínimo conseguiu ser reajustado acima da inflação foi em 2019.

Desde que Bolsonaro assumiu o poder, em janeiro de 2019, o reajuste do salário mínimo leva em conta apenas a inflação. Por isso, o último ganho real, ou seja, aumento acima da inflação, foi dado de 2018 para 2019 pelo então presidente Michel Temer.

Segundo o governo atual, o reajuste não pôde ser feito de 2020 para 2021 em razão da pandemia, com intuito de reduzir os gastos.

Leia também

você pode gostar também