INSS libera calendário para pagamentos de outubro; veja datas

Calendário do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) de repasses para aposentados e pensionistas foi divulgado pelo governo federal.

O INSS liberou o calendário de pagamentos da rodada de outubro. De acordo com o instituto, os repasses começam no dia 25 de outubro e vão até 08 de novembro de 2021. Os depósitos seguem o dígito final do Número de Identificação Social (NIS).

É preciso que o segurado do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) fique atento ao calendário, pois ele é dividido em dois cronogramas. O primeiro é para pessoas que recebem até R$ 1.100,00 um salário mínimo) e o outro é para quem ganha acima de R$ 1.100,00.

Calendário INSS: repasse de até R$ 1.100,00

Confira abaixo o calendário de outubro para beneficiários que ganham até um salário mínimo (R$ 1.1000,00):

  • NIS final 1: 25/10;
  • NIS final 2: 26/10;
  • NIS final 3: 27/10;
  • NIS final 4: 28/10;
  • NIS final 5: 29/10;
  • NIS final 6: 01/11;
  • NIS final 7: 03/11;
  • NIS final 8: 04/11;
  • NIS final 9: 05/11;
  • NIS final 0: 08/11.

Calendário INSS: pagamentos acima de R$ 1.100,00

Por fim, o cronograma de pagamentos do INSS para aposentados e pensionistas que recebem mais de R$ 1.100,00 (acima um salário mínimo):

  • NIS finais 1 e 6: 01/11;
  • NIS finais 2 e 7: 03/11;
  • NIS finais 3 e 8: 04/11;
  • NIS finais 4 e 9: 05/11;
  • NIS finais 5 e 0: 08/11.

Como consultar os pagamentos do INSS

De acordo com o governo federal, o INSS conta com 35 milhões de segurados, entre aposentados e pensionistas. Para facilitar a consulta de pagamentos, foi criado o aplicativo Meu INSS (Android ou iOS). Após realizar o download e fazer o login na ferramenta, basta ir na opção de consulta para ver mais detalhes dos repasses. Quem não tem conta, pode criar uma gratuitamente.

Além das consultas, o aplicativo permite a realização de outros serviços como agendar a perícia médica. No entanto, vale lembrar que o INSS possui uma fila de solicitação que ultrapassou 1 milhão de pedidos. O fato se deve ao baixo número de servidores no instituto. Estima-se que o déficit seja de mais de 23 mil pessoas.

Leia também

você pode gostar também

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Ler mais