7 fatos surpreendentes sobre o dinheiro que você não conhecia

O dinheiro foi se desenvolvendo ao longo dos séculos para atender as necessidades comerciais e financeiras da sociedade. Durante esse desenvolvimento, fatos surpreendentes sobre o dinheiro foram acontecendo. Conheça 7 desses fatos.

Ao longo dos séculos, a civilização foi passando por evoluções. A cada nova evolução novas necessidades surgiram. Uma dessas necessidades foi a troca direta ou o chamado escambo. A sua origem se deu em virtude do modelo de divisão de trabalho para produzir bens, no qual todas as pessoas cooperavam.

Nessa cooperação, as pessoas trocavam bens, como trigo, carne, couro, sal, além dos metais preciosos, como ouro, prata, bronze e cobre. Ou seja, não havia a transação de moedas. A troca de bens, através do escambo, foi predominante na Antiguidade e hoje é considerada o ponto de partida da história do dinheiro.

As primeiras moedas, tal como conhecemos hoje, com valor e feitas geralmente de metal, surgiram na Lídia (atual Turquia), no século 7 a.C. Séculos depois, surgiria o papel-moeda, centenas de anos depois o cheque, o cartão de crédito e, mais atualmente, as moedas digitais.

A história do dinheiro narrada aqui brevemente nos mostra como foi ele foi se desenvolvendo ao longo dos séculos para atender as necessidades comerciais e financeiras da sociedade. E durante esse desenvolvimento, fatos surpreendentes sobre o dinheiro foram acontecendo.

Sabendo disso, selecionamos 7 de alguns dos diversos fatos surpreendentes sobre o dinheiro e que você – talvez – não conhecia. Confira a seguir.

Conheça 7 fatos surpreendentes sobre o dinheiro

1.  A primeira falsificação de dinheiro

Um dos fatos surpreendentes sobre o dinheiro é que a primeira falsificação ocorreu antes mesmo da Idade Média. Ela aconteceu em 540 a.C. e foi feita por Polícrates de Samos. Ele usou moedas falsas para pagar uma dívida que tinha com os espartanos.

2. O surgimento dos bancos

Os bancos surgiram a partir da necessidade de as pessoas guardarem seu dinheiro. Os primeiros desses estabelecimentos reconhecidos oficialmente surgiram na Suécia, em 1656. Posteriormente, foi a vez da Inglaterra ter seu primeiro banco em 1694. Em 1700, o estabelecimento surgiu na França. No Brasil, o primeiro banco reconhecido oficialmente surgiu em 1808, o Banco do Brasil S.A.

3. O primeiro cartão de crédito

Não há um consenso sobre quando surgiu o primeiro cartão de crédito. Há quem diga que essa forma de pagamento surgiu na década de 1920, quando empresas privadas ofereciam aos seus clientes uma espécie de cartão de crédito.

Por outro lado, há quem diga que tal forma de pagamento surgiu nos Estados Unidos, na década de 1950. O empresário americano Frank McNamara, na hora de pagar a conta em um determinado restaurante, percebeu que não tinha dinheiro.

Diante disso, ele combinou com o dono do estabelecimento de registrar o valor da conta em um cartão e voltar no dia seguinte para efetuar o pagamento de tal valor. Com isso, McNamara teve a ideia de fundar a primeira empresa de cartão de crédito dos Estados Unidos, a Diner’s Club. O cartão de crédito dessa empresa chegou ao Brasil no ano de 1956.

Foi somente na década de 1960 que cartão de crédito começou a ser emitido por um banco.

4. As primeiras cédulas do mundo

As primeiras cédulas surgiram na China, no século 7. Nessa época, elas eram feitas com cascas de amoreira. No Ocidente, o uso das cédulas somente se tornou popular na segunda metade do século 19, na Europa e nos Estados Unidos.

5. O papel-moeda não é feito de papel

Outro fato surpreendente sobre o dinheiro é que o papel-moeda não é feito de papel. Pelo menos quando estamos nos referindo ao dólar americano. O papel-moeda dos Estados Unidos é feito de 75% algodão e 25% de linho.

6. O dinheiro como combustível

O Banco Central do Brasil destrói, todos os anos, cédulas que não atendam mais aos padrões de qualidade, ou seja, que tenham algum tipo de dano. As cédulas destruídas são transformadas em um bloco compacto de fragmentos. Parte desses fragmentos é usada como combustível de fornos de cimento.

7. A produção da moeda custa mais dinheiro do que o valor da moeda

Um fato que nos surpreende quando o assunto é dinheiro é que, geralmente, a produção da moeda custa mais dinheiro do que o valor da moeda. Como exemplo, tem-se a moeda de cinco centavos. O custo da sua produção é de R$ 0,11. No entanto, há uma exceção. A moeda de R$ 1 custa apenas R$ 0, 29 para ser produzida.

Leia também

você pode gostar também

7 sinais de que você deveria mudar de profissão

Está insatisfeito com o seu atual emprego? Então conheça os sete sinais de que você deveria mudar de profissão e cogite uma transição de carreira.

Para que servem aquelas bolas laranjas nos fios de transmissão?

Fios de alta tensão geralmente possuem itens de segurança bastante chamativos para evitar acidentes que possam danificar os fios e causar maiores problemas.

Convocação, nomeação e posse: saiba qual é a diferença

A diferença entre a etapa de convocação, nomeação e posse em um concurso público pode criar dúvidas nos candidatos, principalmente sobre a burocracia e procedimentos ao longo desses níveis.

O que 2023 reserva para os concursos? Veja 7 editais previstos

Os concursos públicos previstos para serem realizados no Brasil em 2023 podem ofertar vagas para profissionais de níveis médio, técnico e superior.

7 verdades sobre concursos públicos que vão te motivar

Está querendo começar uma carreira pública em 2023? Então, conheça sete verdades sobre concursos públicos que podem deixar a sua motivação nas alturas.

Como usar o marketing pessoal para ter bons relacionamentos no trabalho?

Entenda melhor o conceito de marketing pessoal e veja como aplicar esse conhecimento à sua vivência profissional.