Português – Nível Fundamental

Prepare-se com questões de Português

01
Agora, quanto à ortografia oficial, assinale o item correto:
  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
  5. e
Código da questão
Q401Ca
02

( IBADE - 2019 - IBGE - Recenseador) - Considere x e y dois números Inteiros e positivos que são respectivamente numerador e denominador de uma fração f. Ao somar três unidades ao numerador e ao denominador desta fração, f = 2, mas ao somar uma unidade apenas no numerador desta fração, f = 3. Neste caso, o valor de x + y é:

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
  5. e
Código da questão
Q56395Ca
03

(MS CONCURSOS - 2017 - Prefeitura de Piraúba) - Assinale a alternativa que contenha uma frase afirmativa.

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
Código da questão
Q57102Ca
04

(Serctam - 2016 - Prefeitura de Quixadá - CE - Agente de Combate às Endemias) -Na oração: “Este homem parece uma criança”, o termo destacado é um:

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
  5. e
Código da questão
Q57895Ca
05

(FUNDEP - 2014 - COPANOR - Agente de Saneamento) - A palavra ALIMENTAÇÃO tem ________ sílabas.

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
Código da questão
Q57367Ca
06
O período Obrigaram o estudante a sair do colégio. expressa uma frase
  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
  5. e
Código da questão
Q954Ca
07

(ACAPLAM - 2014 - Prefeitura de Macau - RN - Merendeira) - A questão refere-se ao texto seguinte:

Matar para proteger

Caçar animais e derrubar árvores pode ajudar a preservar a natureza? Na opinião de muita gente, sim. A exploração sustentável – um nome pomposo que significa não retirar do ambiente mais do que ele pode repor naturalmente – ganha cada vez mais espaço como estratégia para acomodar os interesses conflitantes de quem tira da natureza o sustento próprio e de quem quer ver as paisagens intocadas. A caça controlada, dizem alguns pesquisadores, pode evitar a superpopulação de espécies, além de gerar receita. Isso vem sendo feito com sucesso, no Rio Grande do Sul, o único Estado brasileiro onde a caça é legal. Todos os anos, a Fundação Zoobotânica indica quais as espécies disponíveis para a caça, em que quantidades e em que regiões. A novidade, agora, é que algumas espécies símbolo da preservação, como a onça-pintada e o jacaré, estão na mira do “uso sustentável”.

Na Amazônia, o desafio é controlar a extração de madeira, uma ameaça à floresta. Proibi-la preservaria a região, mas tiraria o sustento de famílias que trabalham nas madeireiras. A saída é o manejo sustentável, ou seja, um corte selecionado e controlado.

Fernanda Campanelli Massaroto

http://super.abril.com.br/ecologia/matar-proteger- 460891.shtml

Acessado em: 13/01/2011

O texto informa que a permissão da caça no Rio Grande do Sul tem como objetivo:

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
  5. e
Código da questão
Q57707Ca
08

(MPE-GO - 2018 - MPE-GO - Secretário Auxiliar) - As alternativas abaixo são uma transcrição de parte do texto “Cafezinho”, de Rubem Braga. Assinale qual delas é a mais apropriada, do ponto de vista da pontuação:

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
  5. e
Código da questão
Q56652Ca
09

(UFES - 2011 - UFES - Assistente de Laboratório) - Uma das alternativas contém frase de uso adequado na fala e impróprio na escrita. Marque-a.

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
  5. e
Código da questão
Q56954Ca
10

(FCC - 2016 - CREMESP - Copeiro) - Atenção: Considere o texto abaixo para responder a questão.

A seleção natural desenhou o corpo humano para o movimento. Desde que nossos ancestrais desceram das árvores, há 6 milhões de anos, a competição conferiu vantagem de sobrevivência às pessoas que se movimentavam com mais desenvoltura. Como resultado, o corpo que chegou até nós tem pernas e braços longos, fortes e articulados para andar, correr, abaixar e levantar com eficiência.
A partir da segunda metade do século 20, no entanto, sucessivos avanços tecnológicos tornaram possível trabalhar sem sair da cadeira. Graças ao conforto moderno, passamos a usar o corpo de uma maneira para a qual ele não foi engendrado.
Ao mesmo tempo, novas técnicas de cultivo agrícola e armazenagem possibilitaram o acesso de grandes massas populacionais a alimentos de alta qualidade. As refeições da classe média de hoje são mais nutritivas do que as dos nobres medievais.
A ingestão diária de um número maior de calorias do que as exigidas para a manutenção do peso saudável de um corpo sedentário criou as condições para a explosão da epidemia de obesidade que assola o mundo. No Brasil, 52% dos adultos estão acima do peso.
Em estudo recente, pesquisadores consideraram o impacto direto no sistema de saúde causado por enfermidades nas quais a influência da vida sedentária é conhecida com mais detalhes.
A aplicação de métodos estatísticos permitiu chegar às seguintes conclusões, entre outras: contados os gastos dos sistemas de saúde e os anos perdidos de trabalho por morte precoce, a inatividade física custou para o mundo US$ 67,5 bilhões; quanto mais pobre o país, menor o suporte financeiro governamental e maior a despesa das famílias com o tratamento das doenças estudadas.
No Brasil, a faixa etária da população que mais cresce é a que está acima dos 60 anos, justamente a mais sedentária. É nessa fase da vida que incidem as doenças crônico-degenerativas mais comuns.
Qual de nossos antepassados poderia imaginar que o maior desafio da saúde pública no século 21 seria convencer a população a andar?
(Adaptado de: VARELLA, Dráuzio. Disponível em: drauziovarella.com.br)
Infere-se corretamente do texto:

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
  5. e
Código da questão
Q56435Ca