Salário mínimo ideal para 2023 deveria ser de R$ 6,6 mil, diz pesquisa

O levantamento mais recente do Dieese indica que o trabalhador que recebe o piso nacional usa quase 60% de sua renda apenas para comprar itens básicos de alimentação.

Se você tem a impressão de que o salário mínimo vigente não é o suficiente para bancar as despesas básicas da população, essa percepção está correta. De acordo com o levantamento mais recente do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o piso nacional deveria ser de R$ 6,6 mil.

continua depois da publicidade

Atualmente, graças a uma Medida Provisória (MP) publicada no fim de 2022, o salário mínimo do Brasil é de R$ 1.302, o que é claramente insuficiente para pagar contas básicas de subsistência, como alimentação, transporte, moradia, entre outros.

Para estabelecer qual seria o valor ideal do piso nacional, o Dieese faz, todos os meses, a chamada Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos. É por meio desse parâmetro que a instituição consegue avaliar o poder de compra dos brasileiros em relação ao salário mínimo vigente.

Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos

Leia também

O levantamento mais recente do Dieese aponta que houve aumento no valor dos alimentos em 11 das 17 capitais analisadas pela instituição. Segundo o relatório, as três maiores altas que aconteceram entre dezembro de 2022 e janeiro de 2023 foram nas seguintes cidades do Nordeste:

  • Recife: Aumento de 7,61%;
  • João Pessoa: Aumento de 6,80%;
  • Aracaju: Aumento de 6,57%.

O mesmo relatório apontou redução dos custos da cesta básica em algumas cidades da região Sul:

O maior custo da cesta básica em janeiro de 2023, segundo o Dieese, foi em São Paulo, onde os produtos básicos de alimentação custaram R$ 790,57.

Por isso, o salário mínimo ideal para que a população brasileira pudesse arcar com os custos básicos de subsistência de uma família composta por quatro pessoas seria, em 2023, de R$ 6.641,58, o equivalente a 5,10 vezes o valor atual.

Salário mínimo e tempo de trabalho

Mesmo que em janeiro de 2023 tenha sido anunciado o aumento do salário mínimo em 7,43%, o cálculo de tempo médio de trabalho até que uma pessoa possa comprar a cesta básica foi avaliado em 116 horas e 22 minutos.

Outro ponto importante apontado pela pesquisa é o fato de que, além de o salário estar muito abaixo do ideal, o trabalhador que recebe o piso nacional compromete uma média de 57,18% de seus ganhos apenas com a compra de alimentos.

Novo reajuste do salário mínimo nacional

Uma das campanhas eleitorais do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em 2022, dizia respeito ao reajuste real do salário mínimo, o que significa reajustar o piso para além da correção inflacionária.

Por isso, o atual salário mínimo, que é de R$ 1.302, deverá ser reajustado em R$ 1.320. A previsão do governo é a de que esse reajuste passe a valer a partir do dia 1° de maio, ainda que a data não tenha sido oficialmente definida.

Leia também

Concursos em sua
cidade