2º fase do dinheiro esquecido em bancos soma R$ 4 bi; calendário será divulgado

A primeira fase de consulta do Sistema Valores a Receber foi encerrada no dia 16 de abril. No momento, o processo passa por aprimoramento após greve.

A segunda fase de consultas do Sistema Valores a Receber, referente ao “dinheiro esquecido” nos bancos, segue sem previsão. Inicialmente, o processo estava marcado para começar no dia 2 de maio, mas a retomada precisou ser adiada por conta da greve de servidores do Banco Central. Deste modo, o novo calendário ainda será divulgado.

Por conta da greve do BC, o cronograma de desenvolvimento das melhorias do sistema foi prejudicado. De acordo com o banco, ainda há cerca de R$ 8 bilhões em valores esquecidos. Contudo, ainda na primeira fase do processo, o dinheiro esquecido somou R$ 4 bilhões do que segue disponível para devolução.

De qualquer forma, o sistema Valores a Receber vem passando por uma reformulação desde o dia 17 de abril. A partir de então, os interessados não precisam mais fazer agendamento, o que permite pedir o resgate ainda no momento da primeira consulta.

Além disso, o SVR possui informações novas que são repassadas por instituições financeiras. Isso faz com que mesmo aqueles que já tenham efetuado o resgate de recursos e não tinham valores a receber na primeira fase precisem consultar o sistema novamente por conta das atualizações.

Regras da consulta do dinheiro esquecido

O dinheiro disponível no sistema Valores a Receber é remanescente de:

  • Recursos de grupos de consórcio já encerrados não procurados;
  • Contas-corrente ou de poupança que ainda tenham saldo disponível, mesmo quando já encerradas;
  • Cotas de capital e rateio de sobras líquidas de participantes de cooperativas de crédito e beneficiários;
  • Operações de crédito com cobrança indevida que geraram tarifas e parcelas ou obrigações. Neste caso, a devolução deve estar prevista em Termo de Compromisso assinado pela instituição financeira com o BC.

A última chamada para resgate dos valores esquecidos da primeira fase foi encerrada no dia 16 de abril. Até o dia 24 de março, por exemplo, cerca de 2,85 milhões de pessoas físicas ou jurídicas fizeram o pedido de consulta do SVR, para um valor que totaliza R$ 245,8 milhões.

Caso o interessado tenha perdido a data de agendamento, porém, não é preciso se preocupar. De acordo com o BC, os valores a receber não podem ser perdidos, já que seguem guardados pelas respectivas instituições financeiras, esperando a solicitação do responsável a partir do retorno das consultas do sistema.

Calendário de consultas do SVR

Em comunicado, o Banco Central informou que as consultas devem continuar temporariamente suspensas enquanto o sistema é aprimorado. Assim, em breve, a instituição deve divulgar a data de reabertura para consulta e resgate.

As informações estarão disponíveis no site do Sistema de Valores a Receber, onde também constarão dados sobre valores de falecidos. Para saber mais sobre o processo, os interessados também podem acessar o site principal do BC.

Leia também

você pode gostar também

Lei que prevê antecipação de feriados entra em vigor; veja regras

Medida Provisória que flexibiliza regras trabalhistas durante calamidade entrou em vigor nesta terça-feira (16/08).

Concurso Aeronáutica tem inscrições abertas para 225 vagas; veja Edital

Concurso Aeronáutica oferece oportunidades nas áreas de tráfego aéreo, meteorologia, eletromecânica, comunicação, entre outras.

CNH poderá ter nova regra decisiva da Contran em 2022; veja qual é

Nova regra para CNH cria um manual para o condutor e também desobriga curso teórico para algumas categorias.

Salário mínimo 2023: governo propõe valor para o ano que vem; veja qual é

Lei de Diretrizes Orçamentárias, sancionada por Jair Bolsonaro (PL), prevê salário mínimo de R$ 1.294 em 2023. Saiba os detalhes.

ITR 2022: prazo para declaração é aberto no país; quem precisa fazer?

Prazo para fazer a declaração do ITR 2022 junto à Receita Federal começou nesta segunda-feira, 15/08, e segue até 30 de setembro.

Empréstimo da Caixa oferece até R$ 100 mil para negativados; saiba contratar

O Penhor Caixa é uma modalidade de empréstimo da Caixa Econômica Federal que oferece condições especiais de negociação e quitação para pessoas com o nome sujo.