Emprego formal cresce no Brasil; mais de 277 mil postos são criados

Segundo informações anunciadas pelo IBGE, o crescimento do emprego formal no país gerou uma queda na taxa de desempregos, registrando a menor porcentagem desde 2016.

Na última terça-feira (28), o Ministério do Trabalho anunciou que o Brasil gerou mais de 277 mil empregos com carteira assinada durante o mês de maio deste ano. Além disso, o período registrou 1,96 milhão de contratações em relação a 1,68 milhão de demissões.

Em comparativo com o mês de abril, os dados divulgados representam uma melhora, assim como em comparação com o mês de maio de 2021, quando houve a criação de 266,3 mil empregos formais no Brasil. De acordo com o Governo Federal, a previsão é estabelecer mais de 1,5 milhão de empregos com carteira assinada até o final deste ano.

O que mostram os dados sobre emprego no Brasil?

Em primeiro lugar, as informações do Ministério do Trabalho mostram a criação de 1,05 milhão de vagas de trabalho entre janeiro e maio de 2022. Neste sentido, o número total de empregos formais ultrapassa a casa dos 41,7 milhões no final do período analisado.

Acima de tudo, os empregos estão distribuídos nos cinco setores da economia, com a área de serviços concentrando 120.294 mil empregos em relação à menor concentração no setor da agropecuária, com 26,747. Ao todo, os setores da indústria, construção e comércio somam 129.977 mil vagas formais.

Em relação às regiões do Brasil, o Sudeste continua concentrando a maior quantidade de empregos, com 147.848 vagas em relação às 16.091 na região Norte. Da mesma forma, o Nordeste, Sul e Centro-Oeste acumulam 108.410 novas vagas criadas no período analisado.

O Governo Federal também anunciou que o salário médio de admissão, considerando todas as áreas e estados, foi de R$ 1.898,02 em maio deste ano, o que representa uma queda em relação ao mês de abril, que registrou salários médios de R$ 1.916,07.

De acordo com informações do IBGE, a taxa de desemprego no país caiu para 10,5% no trimestre encerrado no mês de abril.

Desse modo, a taxa consiste no menor nível registrado desde 2016, mas em números específicos, isso significa que ainda existem mais de 11,3 milhões de brasileiros desempregados.

Em 2021, uma pesquisa desenvolvida pela Austin Rating, uma agência de classificação de risco, classificou o Brasil com a quarta maior taxa de desemprego em relação a todas as economias do mundo.

Para combater o desemprego, o Governo Federal anunciou um pacote de medidas que prevê a desde a capacitação profissional com maiores oportunidades para profissionais desempregados até a antecipação de benefícios, como o abono salarial.

Neste sentido, outras ações como o Saque Extraordinário do FGTS e a criação do SIM Digital surgem para mitigar os efeitos gerados pela COVID-19 na economia.

Leia também

você pode gostar também

Concurso Receita Federal: edital com 699 vagas em breve; ganhos de até R$ 21 mil

Concurso Receita Federal 2022 pode ser divulgado a qualquer momento. A previsão é de que sejam abertas 699 vagas.

Novo RG tem emissão confirmada no país; veja estados que já aderiram

O novo RG está sendo implementado no Brasil gradativamente, com seis estados emitindo a nova versão enquanto as instituições se adaptam às alterações previstas em lei.

Concurso INSS passará a ser apenas para nível superior? Veja decisão

O novo concurso INSS é o primeiro para cargo de Técnico do Seguro Social nos últimos sete anos. O prazo para lançamento do edital já foi definido.

Multas de trânsito podem ser consultadas pelo CPF; veja como

A consulta às multas de trânsito é realizada pela internet. O procedimento permite que os condutores confiram os detalhes de cada infração.

Mais de 12 mil CNHs podem ser suspensas; veja se a sua será afetada

As informações são do Departamento de Trânsito do Mato Grosso do Sul, que identificou ainda um número recorde nos processos administrativos por mês durante este ano.

Já posso obter CNH sem fazer aulas em autoescolas? Entenda medida

CNH sem autoescolas: projeto de Lei da senadora Kátia Abreu busca descartar a obrigatoriedade das aulas para obtenção do documento.