Imposto de Renda 2022: Receita aumenta prazo para envio da declaração

Declaração do Imposto de Renda é prorrogada pela Receita Federal. Confira quem precisa enviar os rendimentos.

A Receita Federal decidiu prorrogar a data final do envio da declaração do Imposto de Renda de Pessoa Física. A mudança já foi publicada no Diário Oficial da União (edição de 05 de abril de 2022). Portanto, confira qual o novo prazo e quem precisa fazer a declaração do IRPF.

Lembrando que a declaração do Imposto de Renda pode ser feita de três formas diferentes:

  • Pelo site do eCAC;
  • Por meio do aplicativo Meu Imposto de Renda (Android e iOS);
  • No programa de declaração do Imposto de Renda 2022 (disponível para download no site da Receita Federal).

Declaração do Imposto de Renda: novo prazo

De acordo com a Receita Federal, o novo prazo para realizar a declaração do Imposto de Renda é o dia 31 de maio de 2022. Anteriormente, a data final seria o dia 29 de abril.

No ano passado e em 2020, o governo federal já havia autorizado a prorrogação do prazo final de declaração. Na época, a justificativa foi a pandemia. Até agora, não foi informado o motivo para o aumento do prazo.

Imposto de Renda 2022: quem precisa declarar

Confira abaixo quem precisa declarar o Imposto de Renda em 2022:

  • Quem tem bens com valores que ultrapassam R$ 300 mil;
  • Pessoa que, em 2021, obteve rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70;
  • Quem negociou na Bolsa de Valores no ano passado ou que obteve ganhos com alienação de bens ou direitos;
  • Quem ganhou mais de 142.798,50 com atividade rural;
  • Pessoa que teve rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, desde que acima de R$ 40 mil;
  • Quem obteve isenção de imposto sobre ganho de capital na venda de um imóvel e comprou outro no prazo de até 180 dias.

Vale ressaltar que pessoas que se enquadrem como dependentes não precisam fazer a declaração, mesmo fazendo parte de um dos grupos citados acima. Quem é obrigado e não fizer a declaração pode cair na Malha Fina, pagar multas e até ter problemas com a Justiça no futuro.

Leia também

você pode gostar também