Inflação do aluguel: FGV lança substituto do IGP-M; entenda

O Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR) vai medir a inflação do aluguel. Confira os detalhes.

Após uma série de problemas quanto à inflação do aluguel residencial, que tinha como base o IGP-M (indexador mais usado em contratos de aluguel), o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV) lançou um novo índice para a locação de imóveis. O Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR) atua no sentido de monitorar a evolução mensal dos valores de aluguéis residenciais no país.

O índice indicou, por exemplo, um aumento geral de 0,66% no preço dos imóveis no mês de dezembro, já que no mês de novembro o aumento foi de 0,79%.

Inflação do aluguel de imóveis

Ao ser comparado com os últimos 12 meses, no entanto, houve um recuo de 0,61%. Isso pode ser justificado pela recessão econômica no país, conforme avaliação do pesquisador da Fundação e responsável pela metodologia do IVAR, Paulo Picchetti.

O Índice de Variação de Aluguéis Residenciais foi lançado nesta terça-feira, 11 de janeiro de 2021, e seu cálculo será baseado de acordo com dados coletados por meio de contratos assinados por inquilinos e locatários nas cidades do Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte e Porto Alegre.

Os números passam a ser publicados mensalmente pela FGV, com base nos dados de empresas administradoras de imóveis. A ideia é que esse indicador possua maior aderência aos preços praticados no mercado imobiliário, já que os demais utilizados anteriormente tinham base nas informações da variação do aluguel residencial vindas de ofertas anunciadas.

Na cidade de São Paulo, por exemplo, os preços registrados caíram de 0,78% para 0,48%. Na cidade do Rio de Janeiro, a queda foi de 1,46% para 1,03%. Em Belo Horizonte e Porto Alegre, no entanto, a diferença de valor contou com aumento, com avanços registrados de 1,00% para 1,17% e de 0,27% para 0,43%, respectivamente em cada uma das cidades.

Leia também

você pode gostar também