Estes 18 alimentos te ajudam a ter mais inteligência nos estudos

Quem quer passar em concurso público precisa manter uma alimentação balanceada para elevar o nível de inteligência durante os estudos e nas provas.

Os concurseiros de plantão precisam estar atentos não só aos conteúdos que caem nas provas, mas também em como o cérebro recebe essas informações. Para ter um bom desempenho, é necessário manter a mente sempre em dia e saudável. Nesse sentido, existem alimentos que ajudam a ter mais inteligência nos estudos.

Leia também

A saúde do cérebro está diretamente ligada à saúde do corpo. De acordo com a nutricionista Hortência Kettelen Souza Luz, formada pela Universidade Federal de Goiás (UFG), “a alimentação adequada pode ajudar a otimizar e desenvolver o aprendizado”.

Residente em Terapia Intensiva pelo Hospital das Clínicas da UFG, a profissional chama a atenção para “alguns fatores que podem influenciar a saúde do cérebro, como: estresse, carga genética e alimentação”. Em conversa com o Concursos no Brasil, ela falou em quais alimentos os concurseiros precisam focar.

Confira na matéria abaixo:

Vale ressaltar que esse artigo é meramente informativo, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento. Para saber quais alimentos incluir no seu dia a dia, o ideal é marcar uma consulta com o nutricionista.

Alimentos que melhoram a inteligência nos estudos

Hortência Luz lista 18 alimentos que podem ajudar no processo de aprendizagem por estimularem a produção de respostas entre as células cerebrais. Isso porque eles são ricos em nutrientes que fazem a manutenção da massa cinzenta, aumentando a inteligência e capacidade nos estudos. Veja quais são:

  1. Sementes e castanhas;
  2. Salmão;
  3. Abacate;
  4. Óleos vegetais;
  5. Macarrão;
  6. Pão;
  7. Arroz integral;
  8. Milho;
  9. Mandioca;
  10. Batata doce;
  11. Ovo;
  12. Banana;
  13. Leite e derivados;
  14. Farelo de trigo/aveia;
  15. Carnes;
  16. Frango;
  17. Feijão;
  18. Lentilha.

Os alimentos listados podem ser divididos em quatro grupos de acordo com o tipo de nutriente que fornecem. Entenda:

Ômega 6 e 3

As sementes e castanhas, bem como salmão, abacate e os óleos vegetais são fonte de ácidos graxos ômega 6 e 3. De acordo com a profissional, o ômega 6 influencia diretamente na “habilidade dos neurônios em utilizar glicose, auxiliando, assim, na concentração“.

Além disso, ela também explica que uma alimentação com baixo nível de ômega 3 “pode causar deficiência visual, problemas no aprendizado, motivação e afetar sistemas que utilizam neurotransmissores no córtex frontal”. Por isso, quem está estudando para concurso deve ingerir alimentos que proporcionem esses dois nutrientes.

Carboidratos

Apesar de dietas low carb (baixo nível de carboidrato) serem bastante famosas hoje em dia, Hortência chama atenção para o perigo que a falta desse nutriente pode causar. “A privação de carboidratos está diretamente associada à falta de energia, fadiga, apatia, inquietação e falta de atenção, reduzindo o desempenho cognitivo”, pontua.

A profissional afirma que, para melhorar a inteligência nos estudos, “o  ideal é que haja um maior consumo de carboidratos complexos”. Ela cita macarrão, pão, arroz integral, milho, mandioca e batata doce como algumas opções que podem ajudar nesse processo.

Vitaminas do complexo B

Se você é concurseiro, outra dica da nutricionista para elevar seu desempenho na hora de estudar é ingerir alimentos como ovo, banana, leite e farelo de trigo/aveia. Esses são ricos em vitaminas do complexo B, que “estão associadas a produção de neurotransmissores responsáveis pela atenção e diminuição da excitabilidade”, diz.

Ou seja, incluindo essas vitaminas na alimentação, você deve garantir maior nível de concentração. Hortência também esclarece que a falta desses nutrientes “pode causar nervosismo extremo, falta de energia e inércia”, prejudicando o candidato tanto nos estudos, como na prova.

Proteínas

Quem está acostumado a praticar exercícios físicos já sabe do benefício das proteínas para o corpo. Mas, segundo a profissional, elas vão além disso e “participam das conexões das redes neurais”. Isso significa que esse nutriente auxilia nas conexões entre as células cerebrais, desenvolvendo a inteligência na hora dos estudos.

Em suas palavras, ela diz que eles servem na “construção de novas sinapses, processo necessário para a comunicação entre os neurônios”. A nutricionista lista ovos, carnes, frango, leite e derivados, feijão e lentilha como alimentos fonte de proteína.

Vale ressaltar que esse artigo é meramente informativo, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento. Para saber quais alimentos incluir no seu dia a dia, o ideal é marcar uma consulta com o nutricionista.

Leia também


você pode gostar também

Confira 9 profissões incríveis para quem é apaixonado por animais

Você gosta de bichos? Então, conheça nove profissões para quem é apaixonado por animais e decole rumo ao sucesso em sua carreira profissional.

Veja os Signos que não abrem mão da liberdade no dia a dia

Alguns signos do zodíaco precisam se sentir mais livres no dia a dia e nas relações, portanto não abrem mão do seu próprio tempo sozinhos.

Veja 3 truques infalíveis para cortar cebola sem chorar

A cebola cortada libera um tipo de ácido que acaba levando às lágrimas quem está cortando o alimento. Saiba o que fazer para evitar o choro.

É possível aumentar o limite de Pix no app do Nubank; veja como

Banco digital criou uma nova funcionalidade, permitindo que clientes façam ajustes em limites diários de transações feitas via Pix.

Estes 5 comportamentos comuns no trânsito podem render multa

Alguns motoristas têm atitudes que acabam gerando multas e notificações no trânsito. Veja os erros mais comuns e não reproduza mais.

15 palavras parecidas, mas com significados bem diferentes

As palavras parecidas que possuem significados bem diferentes fazem parte de uma categoria gramatical chamada parônimas, mas nem todos conhecem os usos e regras.