Erros no Auxílio Brasil vão gerar indenização a famílias em 2022?

A ação judicial apresentada nesta semana pela Defensoria Pública da União solicita que o Governo Federal indenize os brasileiros que tiveram o Auxílio Brasil retido desde 2021.

Na última segunda-feira (26), a Defensoria Pública da União (DPU) entrou com uma ação civil pública contra o Governo Federal para gerar indenização às famílias prejudicadas pelos erros no Auxílio Brasil em 2022.

Leia também

Neste sentido, a ação judicial é baseada no fato de que o governo negou o Auxílio Brasil a diversas pessoas que tiveram que entrar na Justiça para solicitar o antigo Auxílio Emergencial. Entenda mais a seguir:

Erros no Auxílio Brasil vão gerar indenização a famílias?

A ação judicial da Defensoria Pública da União contra o Governo Federal aborda especificamente os casos de brasileiros socialmente vulneráveis que não receberam o Auxílio Emergencial por erros na via administrativa. Além disso, considera os casos em que foi solicitado o Auxílio Brasil, mas o Ministério da Cidadania negou a inscrição.

As famílias de baixa renda não receberam o benefício porque a pasta identificou o caso como “cumulação indevida de benefícios sociais” por terem solicitado o Auxílio Emergencial. O antigo programa social foi pago especificamente durante o período de 2020 e 2021, nas fases mais graves da pandemia do coronavírus.

Com o lançamento do Programa Auxílio Brasil em dezembro de 2021, houve uma transição decorrente do encerramento do Auxílio Emergencial. A iniciativa do DPU parte da perspectiva de que os cidadãos que obtiveram o Auxílio Emergencial por meio da Justiça terão que repetir o processo para receber o Auxílio Brasil.

Desse modo, o bloqueio do programa social se configura como uma medida “inidônea, desnecessária, desproporcional e não razoável”, segundo os autores do processo.

O DPU acredita que, ao recorrer à Justiça, os brasileiros socialmente vulneráveis terão novos gastos com o processo, e também irão acabar gerando uma explosão de demandas para o Poder Judiciário. A instituição está solicitando que a União seja condenada por se omitir e negar o Auxílio Brasil.

Há ainda a requisição de uma condenação ao pagamento de indenização por dano moral coletivo, sob o argumento de que a retenção das parcelas do Auxílio Brasil é um ato ilícito e indevido. A causa custará R$ 10 milhões para o Governo Federal por conta das indenizações.

A multa estabelecida é de R$ 10 mil por caso, principalmente nas situações em que o Auxílio Brasil não foi concedido porque o Ministério da Cidadania identificou um acúmulo de benefícios referentes aos brasileiros que recebiam o Bolsa Família e o Auxílio Emergencial. Contudo, a decisão ainda irá tramitar na Justiça.

Quais são as regras do Auxílio Brasil?

Por via de regra, podem receber o benefício mensal de transferência de renda todos os brasileiros que:

  • Sejam parte de uma família em situação de extrema pobreza, caracterizadas pela renda familiar per capita mensal igual ou inferior a R$ 105;
  • Sejam parte de uma família em situação de pobreza, caracterizadas pela renda familiar per capita mensal entre R$ 105,01 e R$ 210;
  • Sejam parte de uma família em regra de emancipação, caracterizadas pela renda familiar per capita mensal de, no mínimo, R$ 252 por pessoa;
  • Tenham a inscrição no CadÚnico atualizadas e regulares.

Leia também


você pode gostar também

Auxílio Brasil dobrado em dezembro: veja quem pode receber até R$ 1,2 mil

Auxílio Brasil dobrado em dezembro é uma possibilidade para pessoas que cumprirem regras específicas do programa.

BPC bloqueado ou suspenso? Saiba como reativar o benefício de R$ 1,2 mil

Falta de atualização cadastral é um dos principais motivos para o bloqueio do benefício, pago a um grupo específico de contribuintes previdenciários.

Aposentadoria: saiba quem tem direito ao adicional de 25% no valor

Alguns aposentados do INSS têm direito a receber um adicional de 25% no valor de seus benefícios mensais. Veja como funciona essa regra.

BPC: saiba se o benefício pode ser acumulado com aposentadoria

Por ter natureza assistencial, o BPC gera algumas dúvidas em seus beneficiários. Uma delas é se o benefício pode ser acumulado com aposentadoria. Se você também tem essa dúvida, confira neste texto a resposta.

Minha Casa Minha Vida: comissão aprova projeto para renegociação de dívidas

O objetivo do projeto é oferecer aos beneficiários a oportunidade de regularizar sua situação com descontos sobre multas e juros moratórios. Descubra neste texto o que falta para o projeto virar lei.

Salário-Maternidade Urbano do INSS: veja regras oficiais e como solicitar

Benefício é cedido a pessoas que precisam se afastar do trabalho ao completarem uma gestação e em outras situações como adoção, por exemplo.