Auxílio emergencial: novo pagamento será liberado; veja como consultar

Novo pagamento do auxílio emergencial deve ser liberado até o dia 30 de novembro para quem contestou negativa do governo.

O governo federal já anunciou o fim do auxílio emergencial e terminou de pagar a 7ª parcela. No entanto, quem contestou alguma negativa ainda receberá o dinheiro pendente até o dia 30 de novembro. Veja como consultar o pagamento do auxílio emergencial.

Ao todo, em 2021, o auxílio emergencial pagou sete parcelas, sendo R$ 375 para mães solteiras chefes de famílias, R$ 150 para pessoas que moram sozinhas e R$ 250 para os outros beneficiários. A última parcela foi paga em outubro.

Auxílio emergencial: como consultar

Caso você tenha contestado a negativa do auxílio emergencial, é possível consultar a situação da análise no site do Ministério da Cidadania. Saiba como:

  • Acesse o site do Ministério da Cidadania dedicado ao auxílio emergencial;
  • Faça o login com os seus dados (número do CPF, o nome completo, o nome da mãe);
  • Depois de entrar, uma página informará a situação da contestação;
  • É possível que a análise ainda esteja sendo feita. Por isso, é preciso aguardar;
  • Se ela for aprovada, o dinheiro será depositado até 30 de novembro.

O dinheiro do auxílio emergencial é depositado em contas sociais digitais e pode ser movimentado no aplicativo Caixa Tem (Android e iOS). Por lá, o beneficiário pode pagar contas, transferir o dinheiro, fazer compras, saque e até pedir empréstimos. Recentemente, foi lançado o cartão de crédito do Caixa Tem.

22 milhões de pessoas sem benefícios

Quem recebia o auxílio emergencial e estava no Bolsa Família ou no CadÚnico, por sua vez, foi incluído no Auxílio Brasil. No entanto, com o fim do auxílio emergencial, estima-se que 22 milhões de pessoas ficarão sem benefícios do governo federal, já que não se enquadram nas duas categorias citadas anteriormente.

O Auxílio Brasil já começou a fazer os seus repasses no mês de novembro. Ainda é esperado que a PEC dos Precatórios seja aprovada para que o programa tenha verba suficiente para cumprir os valores prometidos. Por outro lado, quem está de fora ainda não foi incluído nos planos do governo.

Leia também

você pode gostar também