Calendário INSS: benefício começa a ser pago; veja datas e quem recebe

O calendário do INSS segue o dígito final Número de Identificação Social (NIS). Repasses vão até o mês de dezembro.

Nesta quarta-feira (24/11), uma nova rodada de pagamentos do calendário do INSS começa a ser paga aos aposentados e pensionistas. Os repasses são de acordo com o Número de Identificação Social (NIS). O primeiro depósito é para segurados com o NIS final 1 e que ganha até um salário mínimo (R$ 1.100,00).

Lembrando que o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) possui dos cronogramas de repasses. Um é para segurados com ganhos de até R$ 1.100,00 (um salário mínimo). O outro é para aposentados e pensionistas que possuem direito a pagamentos acima do salário mínimo (mais de R$ 1.100,00).

Calendário INSS: pagamentos de até R$ 1.100,00

Confira o calendário do INSS para os segurados que ganham até um salário mínimo (R$ 1.100,00):

  • NIS final 1: 24/11;
  • NIS final 2: 25/11;
  • NIS final 3: 26/11;
  • NIS final 4: 29/11;
  • NIS final 5: 30/11;
  • NIS final 6: 01/12;
  • NIS final 7: 02/12;
  • NIS final 8: 03/12;
  • NIS final 9: 06/12;
  • NIS final 0: 07/12.

Calendário INSS: repasses acima de R$ 1.100,00

Agora o cronograma para aposentados e pensionistas que recebem mais de R$ 1.100,00 (acima de um salário mínimo):

  • NIS finais 1 e 6: 01/12;
  • NIS finais 2 e 7: 02/12;
  • NIS finais 3 e 8: 03/12;
  • NIS finais 4 e 9: 06/12;
  • NIS finais 5 e 0: 07/12.

Pagamentos do INSS: como consultar

Com 35 milhões de segurados, divididos entre aposentados e pensionistas, o INSS vem sofrendo com problemas de demanda. Com déficit de 23 mil servidores, filas de pedidos sem repostas se tornaram um problema. Por isso, consultas online se tornaram essenciais.

Os repasses do INSS podem ser consultados gratuitamente via aplicativo Meu INSS (Android e iOS). Depois de baixar, é só entrar com seu login e senha e ir na opção de consulta. Quem não tem conta, basta criar uma nova com os seus dados.

O INSS prometeu reduzir as filas em 2022. Além disso, um novo concurso foi solicitado ao Ministério da Economia. Por enquanto, não há resposta conclusiva a esse respeito.

Leia também

você pode gostar também