Nova CNH entra em vigor, confira o que acontece com a versão antiga

Nova CNH apresenta elementos gráficos específicos para proteger os brasileiros das falsificações e fraudes.

O novo modelo da Carteira Nacional de Habilitação, a CNH, começou a ser emitido. A princípio, a transição acontece gradativamente, na medida em que os condutores renovarem o documento ou solicitarem a emissão da primeira via.

A decisão que estabeleceu a mudança entre modelos partiu do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) em dezembro de 2021, e também acompanha outras alterações no Código de Trânsito Brasileiro.

No entanto, a entrada em vigor da nova CNH não interfere na validade do modelo utilizado anteriormente, de modo que continuem sendo válidos até a data estabelecida.

Quais são as principais mudanças na nova CNH?

Em primeiro lugar, um ponto interessante do novo documento é que possui tradução em três idiomas, português, inglês e espanhol, ampliando a acessibilidade para os condutores. Além disso, a principal alteração é no design da habilitação, que agora passa a contar predominantemente com tons de verde a amarelo.

O documento pode ser expedido no meio físico ou digital, mas também em ambos formatos de acordo com a escolha do motorista. A nova CNH apresenta elementos gráficos específicos para proteger os brasileiros das falsificações e fraudes. Ademais, conta com uma tabela que irá indicar a categoria da habilitação.

Nesse caso, a primeira coluna da tabela apresenta a categoria da habilitação, seguido por uma figura do automóvel pertencente a essa categoria e a indicação se o condutor pode dirigir esse tipo de veículo.

Porém, a tabela ainda irá apresentar se a condução faz parte do exercício profissional do cidadão e quais são suas restrições médicas, como necessidade dos óculos para dirigir ou enfermidades crônicas.

A habilitação contará com um sistema de identificação a respeito da permissão do condutor em dirigir. Neste sentido, a letra P indica que o motorista está portando somente a permissão de dirigir, enquanto a letra D indica que o documento é definitivo.

Apesar das alterações, a nova CNH continua apresentando o QR Code, disponível nesses documentos desde 2017. Sobretudo, esse código armazena todas as informações da habilitação e do condutor, incluindo a fotografia de identificação, mas protegendo a assinatura.

No geral, o Ministério da Infraestrutura afirma que a nova CNH possui mais mecanismos de segurança que os modelos anteriores. Aliás, uma das novidades é a utilização de uma tinta especial fluorescente e itens visíveis apenas com luz ultravioleta, o que dificulta a falsificação e fraude com as informações dos condutores.

Curiosamente, a nova CNH conta com o código MRZ (Machine Readable Zone) que também é utilizado em passaportes. Desse modo, o documento pode ser utilizado para identificação em viagens realizadas nos países do Mercosul.

Leia também

você pode gostar também

CNH gratuita pode virar realidade em 2022? Veja o que se sabe até então

Ainda não há previsão de aprovação do Projeto de Lei que desobriga os cidadãos a cursarem as aulas teóricas e práticas nas autoescolas, mas a negociação será individual.

Novo golpe está sendo aplicado em aposentados; saiba se proteger

O golpe é aplicado por meio da prova de vida, solicitando informações dos segurados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Posso levar multa com CNH provisória? Veja as regras oficiais

Ao fim do processo para tirar a CNH, o condutor aprovado recebe a habilitação provisória. Somente após um ano, o motorista pode pegar o documento definitivo.

Regras da nova CNH: veja o que muda na prática para os motoristas

Motoristas que já possuíam um documento válido não precisam tirar a nova CNH. A versão atualizada da carteira possui tecnologia antifraude e outras aplicações.

Já é possível obter CNH no país sem autoescolas? Entenda o projeto

Fim da obrigatoriedade da autoescola para tirar CNH está sendo discutido em projeto que circula no Congresso Nacional.

Feriados nacionais: qual é a próxima folga confirmada em 2022? Veja calendário

Restando apenas seis feriados até o final do ano, a próxima folga confirmada será no dia 7 de setembro, dia da Independência do Brasil.