5 hábitos que estão prejudicando o seu cérebro e você ainda não sabia

Conheça os principais hábitos que prejudicam o cérebro e evite-os ao máximo, para aumentar as chances de ser aprovado no concurso.

O cérebro humano é um órgão extremamente complexo, já que é responsável por controlar todas as funções do nosso corpo. Desde simples movimentos como coçar a cabeça, passando pelas emoções até a capacidade de raciocínio. A grande questão é que existem determinados hábitos que prejudicam o cérebro e que provavelmente você não sabia. Continue e leitura que vamos te mostrar os cinco principais.

Conheça os hábitos que prejudicam o cérebro

1) Dormir poucas horas por noite

Esse é um dos péssimos hábitos que prejudicam o cérebro. Dormir poucas horas por noite afeta negativamente todo o funcionamento do nosso cérebro, já que atrapalha os neurônios de se reorganizarem.

Um sono de baixa qualidade ou fragmentado nos deixa sem energia no dia seguinte, interfere na retenção de informações da memória, nos deixa mal-humorados e letárgicos.

É durante o sono que a nossa criatividade fica mais aguçada, as informações novas se consolidam efetivamente e a memória fica bem mais fortalecida.

Por isso, se você sofre de insônia ou dorme menos do que seis horas por noite, é melhor rever isso. Um sono de qualidade é primordial para termos mais disposição física e mental para trabalhar ou estudar. Não negligencie isso, em nenhuma hipótese.

2) Isolamento social

Outros dos hábitos que prejudicam o cérebro que você nem sabia, é o isolamento social. Para que a nossa atividade cerebral seja mais eficiente, são necessários estímulos externos.

O problema é que o isolamento social (voluntário) fornece ao cérebro uma quantidade bem menor de informações, reduzindo consideravelmente a sua atividade.

Se você é uma pessoa solitária no dia a dia, o seu desempenho cognitivo pode piorar bastante. E isso se traduz em um maior risco de desenvolver depressão, ansiedade e outros distúrbios psicológicos, além de prejudicar bastante o cérebro.

Por isso, não se isole de tudo e de todos em sua vida. Mantenha os seus relacionamentos sociais sempre ativos, pois isso faz um bem danado para a sua saúde mental.

3) Estar “online” o tempo inteiro

Quanto tempo você fica no celular por dia? Esse também é um dos hábitos que prejudicam o cérebro. Quem ficar conectado aos meios digitais várias horas seguidas por dia, inclusive nos finais de semana, pode estar prejudicando a saúde da sua mente.

Esse hábito pode reduzir consideravelmente a sua capacidade cognitiva, além de causa a redução do volume cerebral.

A razão é simples. Estar conectado o tempo inteiro faz o cérebro consumir grandes quantidades de energia durante horas seguidas, sem que aconteça pausas frequentes e necessárias para que ele se recupere.

Se você é daqueles que ficam online 12 horas por dia ou até mais do que isso, é melhor deixar o “modo avião” fazer parte da sua rotina com uma maior frequência.

4) Ser uma pessoa sedentária

Mais um dos hábitos que prejudicam o cérebro. A falta de atividades físicas aeróbicas (que promovem a transpiração) também pode comprometer o funcionamento do seu cérebro, além de contribuir para acelerar o envelhecimento desse órgão, bem como a redução do seu volume.

Por isso, se você é uma pessoa que não tem ânimo para suar a camisa, é melhor repensar essa questão. Praticar exercícios físicos também pode turbinar o seu aprendizado, evitar eventuais falhas na memória e na cognição (que têm relação com o envelhecimento), além de melhorar bastante o seu humor.

Diante de tantos benefícios mentais e físicos, que tal sair do sedentarismo ainda hoje e começar a fazer uma caminhada com os amigos todos os dias, de agora em diante? Valerá muito à pena.

5) Excesso de sobrecarga mental

Você sabia que o nosso cérebro tem um limite para lidar com tarefas simultâneas? É verdade. Por isso, o excesso de sobrecarga mental é um dos piores hábitos que prejudicam o cérebro.

O estresse da vida moderna obriga esse frágil órgão a se esforçar excessivamente para controlar as emoções, o que faz com que algumas partes dele sejam menos estimuladas, acarretando uma perda da capacidade funcional.

Por isso, se você está andando extremamente estressado pelos cantos ou está com excesso de afazeres diários, saiba que o estresse crônico (causado pela alta quantidade de adrenalina no sangue) pode causar lapsos de memória, falta de atenção, inflamações, danos celulares irreversíveis e aumentar a possibilidade de doenças neurodegenerativas.

Dessa forma, recomendamos que você evite fazer várias coisas ao mesmo tempo e limite o número de afazeres diários. Não queira abraçar o mundo, concurseiro.

Viu como os hábitos que prejudicam o cérebro podem afetar em cheio a nossa saúde mental? Agora é evitá-los a qualquer custo e aumentar as chances de ser aprovado nas provas do certame. Desejamos boa sorte.

Leia também


você pode gostar também

5 truques infalíveis para montar um plano de estudos realmente eficaz

Acabou de fazer a inscrição em um concurso público? Conheça cinco truques infalíveis para montar um plano de estudos eficaz.

5 dicas úteis para fazer um bom fichamento durante os estudos

Procura uma técnica de aprendizagem que seja eficiente? Fique por dentro de cinco dicas úteis sobre como fazer um bom fichamento durante os estudos.

Moeda de R$ 1, conhecida como Perna de Pau, vale até R$ 8 MIL

A proposta de R$ 8 mil por uma unidade desse modelo surpreendeu os colecionadores e usuários da internet.

Atualmente, quais são as carreiras mais lucrativas do país? Veja 5 cargos

Sonha em conseguir um emprego que paga bem? Conheça as cinco carreiras mais lucrativas do país e invista naquela que mais combinar com o seu perfil.

9 profissões que pagam bem e exigem apenas Nível Fundamental

As profissões que não exigem curso superior, somente ensino fundamental, abrangem desde o campo de comércio e varejo até segurança pública e o setor de serviços.

5 características comuns às pessoas inteligentes; a terceira você nem vai acreditar

A inteligência é uma capacidade adquirida ao longo da vida. Pessoas inteligentes podem ser identificadas pela forma como reagem às situações.