11 coisas bizarras que eram complemente “normais no passado”

Antigamente, certos hábitos eram considerados extremamente comuns. Hoje em dia, tais coisas são bizarras para muitos, e até mesmo proibidas.

O mundo e a sociedade estão em constante transformação. Com o passar do tempo, hábitos antes populares foram alterados e otimizados com base na realidade de cada época, tornando versões anteriores obsoletas e, por vezes, até mesmo estranhas. Certas coisas bizarras feitas no passado eram consideradas normais, por exemplo.

Para comprovar este fato, confira abaixo uma lista de coisas bizarras feitas pelas pessoas que eram extremamente comuns, mas que não poderiam existir hoje sem receber olhares tortos.

Veja a coisas absurdas que eram absolutamente normais um tempo atrás

1. Comercializar brinquedos radioativos

11 coisas bizarras que eram complemente "normais no passado"
Foto: Reprodução / Pixabay.

Este hábito não é apenas incomum, como também letal. Durante os anos 50, elementos radioativos não eram de conhecimento geral, muito menos se entendia totalmente sobre sua função. Nem mesmo cientistas eram capazes de saber tudo que envolvia estes ícones da ciência.

Por tal motivo, em meados de 1950, surgiram então uma série de brinquedos infantis que faziam uso de substâncias radioativas. Hoje em dia, sabe-se que tais elementos são nocivos à saúde. Estes objetos chegavam a conter doses de urânio e polônio.

2. Fumar em aviões era comum no passado

Fumar já foi um hábito muito mais comum do que é hoje. Antigamente, o cigarro remetia ao status, estilo e era popularizado pelas pessoas descoladas, principalmente artistas.

Assim, ninguém se importava em acender um dentro de locais fechados, como restaurantes, lojas, no trabalho e até mesmo em aviões.

3. Ir à escola não era aconselhado

Os tempos já foram sombrios para o mundo da educação. No início do século XX, menos de 20% das crianças frequentavam uma escola; desta porcentagem, apenas 9% delas chegavam a terminá-la.

Era possível contar nos dedos quantas dessas pessoas possuíam educação superior. Já o resto se acostumava a trabalhar desde cedo nas mais diversas áreas.

4. Praticar o primeiro e o segundo sono

Os europeus durante a Idade Média praticavam um conceito hoje chamado de sono bifásico. Neste sentido, dormiam profundamente duas vezes ao dia: o primeiro sono começava no pôr-do-sol e ia até meia-noite. Feito isso, ficavam acordadas por até três horas, utilizando o tempo para orar ou ler.

Logo depois, começava o segundo sono. Este durava até o nascer do sol, e a partir de então, o dia começava de forma efetiva.

5. Sangria como remédio universal

A sangria foi um método de tratamento popular por 2 mil anos, pelo menos até o século XX. Sem entender de seus malefícios, foi praticada para tratar todos os tipos de doença, e muitas vezes, fez mais mal do que bem. Os pacientes enfraqueciam mais do que o imaginado.

6. Tirar fotos de pessoas mortas

Provavelmente um dos costumes mais bizarros de todos, as fotos pós-morte eram uma forma das famílias preservarem a memória de seus entes queridos falecidos. Feito no século XIX, os cadáveres eram arrumados para parecerem vivos na fotografia.

Os fotógrafos os colocavam sentados, em posições naturais, desenhando olhos nas pálpebras fechadas.

7. Máquinas de banho na praia

Aproveitar as praias como é feito hoje em dia? Nem pensar. Durante os séculos XVIII e XIX, apenas entrar na água não era permitido.

Para isso, existiam as máquinas de banho: carrinhos parecidos com cabanas, conduzidos até a água para que os banhistas pudessem nadar com privacidade. As cabanas femininas ficavam afastadas das dos homens.

8. Papel higiênico de pedra

Dentre os inúmeros fenômenos anti-higiênicos da antiguidade, este certamente é de se surpreender. Afinal, a lista de coisas utilizadas antes da invenção do papel higiênico é quilométrica.

Além de folhas de plantas, casca de coco, lã de ovelha, panos, esponjas e água, os antigos gregos levavam o prêmio ao usar pedras, ou até cerâmica.

9. Chopines

Para quem imagina que os saltos altos de hoje já são grandes o suficiente, os chopines podem deixar muitos de queixo caído.

Também conhecidos como “zoccoli” ou “pianelli”, este era um tipo de salto que ia até 50 cm de altura, e precisavam de outras pessoas para auxiliar a calçá-los. Além de serem tendência de moda, evitavam sujar as roupas na rua.

10. Despertador como profissão

Esta certamente pode ser considerada uma profissão antiga: despertadores ambulantes existiam entre o século XVII até a década de 1950. Trabalhavam despertando pessoas que precisavam acordar cedo. Para isso, utilizavam zarabatanas, lançando sementes nas janelas.

11. Tratamentos com cocaína

A cocaína nem sempre foi ilegal e de uso recreativo. Por muito tempo, foi vista por boa parte da comunidade médica e científica como medicamento para tratar tosses e dores de dente.

Entrar em uma farmácia e encontrar cocaína sendo receitada como sedativo para crianças chegava a ser comum, e anúncios com a droga podem ser encontrados até hoje.

Leia também

você pode gostar também

Conheça 9 profissões que não precisam de diploma

Não pôde concluir os estudos e vai começar a procurar emprego? Conheça nove profissões que não precisam de diploma e que costumam ter uma grande demanda.

Saiba como aumentar sua produtividade em 7 passos

Procura uma forma de aumentar a produtividade nos estudos para as provas do concurso? Fique por dentro de sete dicas incríveis e turbine as suas chances de aprovação.

Síndrome de Burnout: qual é a causa? Descubra como evitar

A Síndrome de Burnout é um distúrbio emocional relacionado com o excesso de trabalho, sendo considerada uma doença ocupacional por especialistas da área de saúde.

9 profissões com bons salários que não exigem nível médio

Sempre sonhou em ganhar bem, mas não quis levar os estudos adiante? Conheça nove profissões com bons salários que não exigem nível médio.

9 informações que não precisam ser citadas em seu currículo

Vai começar a procurar emprego e quer aumentar as chances de ser convocado para um processo seletivo? Então, conheça nove informações que não precisam ser citadas no currículo.

5 profissões que pagam bem e têm vagas sobrando

As profissões que pagam bem e têm vagas sobrando saem das carreiras tradicionais por acompanharem as inovações no mercado de trabalho. Porém, existem requisitos para ocupar os cargos dessa lista.