Soldado da Polícia Militar

Prepare-se com questões de Soldado da Polícia Militar

01

(VUNESP - 2018 - PM-SP - Soldado da Polícia Militar) - Por que o criador do botão ‘curtir’ do Facebook apagou

as redes sociais do celular

A tecnologia só deve prender nossa atenção nos momentos em que nós queremos, conscientemente, prestar atenção nela. “Em todos os outros casos, deve ficar fora do nosso caminho.”

Quem afirma não é um dos críticos tradicionais das redes sociais, mas justamente o executivo responsável pela criação do botão ‘curtir' nos primórdios do Facebook, há mais de dez anos.

Depois de perceber que as notificações de aplicativos como o próprio Facebook ocupavam boa parte do seu dia, eram distrativas e o afastavam das relações na vida real, o matemático Justin Rosenstein decidiu apagar todas as redes sociais, aplicativos de e-mails e notícias de seu celular, em busca de mais “presença” no mundo off-line.

Interrogado se ele se arrepende por ter criado a fonte da distração que hoje tanto critica, responde: “Nenhum arrependimento. Sempre que se tenta progredir, haverá consequências inesperadas. Você tem que ter humildade e ter muita atenção no que acontece depois, para fazer mudanças conforme for apropriado”.

(Ricardo Senra. www.bbc.com. Adaptado)

A expressão destacada em “A tecnologia só deve prender nossa atenção nos momentos em que nós queremos” (1° parágrafo) pode ser substituída, com o sentido preservado, por

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
  5. e
Código da questão
Q53254Ca
02

(IBFC - 2018 - PM-SE - Soldado da Polícia Militar) - Integram a administração indireta, na qualidade de pessoas jurídicas de direito privado:

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
Código da questão
Q53528Ca
03

(VUNESP - 2018 - PM-SP - Soldado da Polícia Militar) - Dois amigos foram a uma lanchonete e pediram cinco pães de queijo e dois sucos, e pagaram, no total, R$ 19,50. Sabendo que o preço de um pão de queijo mais um suco é R$ 6,00, então, o valor a ser pago na compra de três pães de queijo será

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
  5. e
Código da questão
Q53259Ca
04

(VUNESP - Cabo da Polícia Militar de São Paulo 2020) - Quanto aos chamados crimes contra a liberdade sexual, assinale a alternativa correta.

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
Código da questão
Q58156Ca
05

(VUNESP - Soldado da Polícia Militar de São Paulo) - Carlos, Julia, Maria e Pedro são quatro amigos que costumam utilizar sempre um mesmo meio de transporte. Sabe-se que são verdadeiras as afirmações:

Carlos anda de bicicleta ou Maria anda de patins.
Maria anda de patins e Julia anda de motocicleta.
Julia anda de motocicleta ou Pedro anda de carro.
Desta maneira, pode-se afirmar corretamente que

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
Código da questão
Q58049Ca
06

(INCAB - 2019 - PM-SC - Soldado da Polícia Militar) - Sobre os direitos sociais, assinale a afirmativa correta.

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
  5. e
Código da questão
Q55043Ca
07

(UFPI - 2013 - Polícia Militar do Estado do Piauí - Soldado) - Seguindo o exemplo de outros países latinoamericanos que passaram por experiências de governos ditatoriais, o Brasil criou uma comissão para investigar os crimes de tortura, prisão arbitrária e assassinatos ocorridos durante o Estado Novo e a Ditadura Militar brasileira. Sobre o poder de atuação e a natureza da Comissão da Verdade no Brasil, é correto afirmar que essa Comissão:

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
  5. e
Código da questão
Q8360Ca
08

(UEG - 2013 - Polícia Militar/GO - Soldado) - Sobre as penas previstas no Código Penal, tem-se que:

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
Código da questão
Q38790Ca
09

(VUNESP - Cabo da Polícia Militar de São Paulo 2020) - A Lei Federal nº 13.106/2015 acrescentou o seguinte crime ao Estatuto da Criança e do Adolescente:

Art. 243. Vender, fornecer, servir, ministrar ou entregar, ainda que gratuitamente, de qualquer forma, a criança ou a adolescente, bebida alcoólica ou, sem justa causa,
outros produtos cujos componentes possam causar dependência física ou psíquica:

Pena – detenção, de 2 (dois) a 4 (quatro) anos, e multa, se o fato não constitui crime mais grave.” (NR)

Nos termos da Ordem de Serviço PM3-2/03/15-CIRCULAR, o Policial Militar, ao se deparar com ocorrência de flagrante delito a este tipo penal, restando evidenciada autoria e materialidade, entre outros procedimentos, deverá:

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
Código da questão
Q58145Ca
10

(IBFC - 2018 - PM-PB - Soldado da Polícia Militar) - 

Texto

Santinho

(Luiz Fernando Veríssimo)

Me lembro com clareza de todas as minhas professoras, mas me lembro de uma em particular. Ela se chamava Dona Ilka. Curioso: por que escrevi “Dona Ilka” e não Ilka? Talvez por medo de que ela se materializasse aqui ao meu lado e exigisse o “Dona”, onde se viu tratar professora pelo primeiro nome, menino? No meu tempo ainda não se usava o “tia”. Elas podiam ser boas e até maternais, mas decididamente não eram nossas tias. A Dona Ilka não era maternal. Era uma mulher pequena com um perfil de passarinho. Um pequeno passarinho loiro. E uma fera.

Eu era aluno “bem-comportado”. Era um vagabundo, não aprendia nada, vivia distraído. Mas comportamento, 10. Por isto até hoje faço verdadeiras faxinas na memória, procurando embaixo de tudo e em todos os nichos a razão de ter sido, um dia, castigado pela Dona Ilka. Alguma eu devo ter feito, mas não consigo lembrar o quê. O fato é que fui posto de castigo. Que consistia em fcar de pé num canto da sala de aula, com a cara virada para a parede. (Isto tudo, já dá pra ver, foi mais ou menos lá pela Idade Média.) Mas o que eu nunca esqueci foi a Dona Ilka ter me chamado de “santinho do pau oco”.

Ser bem-comportado em aula não era uma decisão minha nem era nada de que me orgulhasse. Era só o meu temperamento. Mas a frase terrível da Dona Ilka sugeria que a minha boa conduta era uma simulação. Eu era um falso. Um santo falsificado! Depois disso, pelo resto da vida, não foram poucas as vezes em que um passarinho imaginário com perfil de professora pousou no meu ombro e me chamou de fingido. Os santinhos do pau oco passam a vida se questionando.

Já outra professora quase destruiu para sempre qualquer pretensão minha à originalidade literária. Era para fazer uma redação em aula sobre a ociosidade, e eu não tinha a menor ideia do que era ociosidade. Se a palavra fora mencionada em aula tinha certamente sido num dos meus períodos de devaneio, em que o corpo ficava ali, mas a mente ia passear. E então, me achando formidável, fiz uma redação inteira sobre um aluno que precisa fazer uma redação sobre a ociosidade sem saber o que é isso, sua agonia e finalmente sua decisão de fazer uma redação sobre um aluno que precisa fazer uma redação sobre a ociosidade, etc. a professora chamou a atenção de toda a classe para a minha redação. Eu era um exemplo de quem acha que com esperteza pode-se deixar de estudar e por isto estava ganhando um zero exemplar. Só faltou me chamar de original do pau oco.

Enfim, sobrevivi. No ginásio, todos os professores eram homens, mas não me lembro de nenhuma marca que algum deles tenha deixado. As relações com as nossas pseudomães, no primário, eram mais profundas. As duas histórias que eu contei não têm nenhuma importância. Mas olha as cicatrizes.

O modo como o pronome “me” foi empregado, no início da primeira oração do texto caracteriza:

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
Código da questão
Q54926Ca