Museólogo

Prepare-se com questões de Museólogo

01

(UNIUV - 2015 - Prefeitura de Jaguariaíva/PR - Museólogo) - Não está descrito no decreto-lei nº 25, de 30 de novembro de 1937, no que diz respeito aos livros de tombo:

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
  5. e
Código da questão
Q14646Ca
02

(FUNRIO - 2015 - UFRB - Museólogo) - Instaurado processo de sindicância, através de portaria, devidamente publicada, entendeu a Comissão Processante, tendo sido respeitado os princípios constitucionais do devido processo legal e ampla defesa, pela aplicação da penalidade de suspensão de 45 dias. Ao apreciar a proposta da Comissão Processante, nos termos da Lei nº 8112/90, pode-se afirmar o seguinte:

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
  5. e
Código da questão
Q27541Ca
03

(COPESE/UFJF - 2009 - UFJF - Museólogo) - A função do mediador do museu vem, nas últimas décadas, destacando-se e ganhando importância, o que é justificado em uma das alternativas a seguir. Aponte-a.

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
  5. e
Código da questão
Q24385Ca
04

(COPESE/UFJF - 2009 - UFJF - Museólogo) - O Sistema Brasileiro de Museus, que propõe melhorar a organização, a gestão e o desenvolvimento dos museus e dos processos museológicos no país, bem como valorizar saberes e fazeres específicos do campo museal, foi criado:

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
  5. e
Código da questão
Q24375Ca
05

(UNIUV - 2015 - Prefeitura de Jaguariaíva/PR - Museólogo) - A lei que regulamenta a profissão do Museólogo foi assinada em:

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
  5. e
Código da questão
Q14650Ca
06

(FUNRIO - 2015 - UFRB - Museólogo) - Em 1984, o Terreiro Casa Branca, localizado na cidade de Salvador, seria o primeiro terreiro de candomblé a receber oficialmente o reconhecimento como um elemento crucial na preservação da identidade religiosa de determinados segmentos sociais ligados à matriz cultural africana no Brasil. Neste momento, ainda que alguns antropólogos defendessem enfaticamente o seu tombamento por representar um exemplo da “pureza” da tradição Nagô, alguns arquitetos não viam razões estéticas que justificassem o tombamento do prédio como monumento nacional. Tratou-se de um processo complexo de negociações até que o terreiro fosse efetivamente tombado pelo SPHAN. Como relata o antropólogo José Reginaldo Gonçalves:

“Depois de uma tensa reunião do Conselho Consultivo do SPHAN, em Salvador, na tarde de 30 de maio de 1984, o Terreiro Casa Branca foi oficialmente tombado como monumento nacional. Nada similar havia ocorrido até então na história do patrimônio cultural no Brasil, e o caso tornou-se o foco de um intenso debate entre defensores e adversários daquela decisão. Estes últimos questionavam como seria possível o “tombamento” de um espaço que abrigava algo vivo e em permanente mudança, um culto religioso popular com seus diversos rituais. O tombamento de um prédio, uma ruína, ou um objeto pressupõe sua permanência e imutabilidade. Mas como, perguntavam, poderia um terreiro de candomblé ser mantido de forma inalterada?”

(GONÇALVES, José Reginaldo Santos. A retórica da perda. Os discursos do patrimônio cultural no Brasil. Rio de Janeiro: UFRJ; Ministério da Cultura / IPHAN, 2002. p.76-77.)

Sobre o debate descrito por Golçalves no trecho acima citado, podemos afirmar que ele refletia

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
  5. e
Código da questão
Q27563Ca
07

(UNIUV - 2015 - Prefeitura de Jaguariaíva/PR - Museólogo) - Qual dos museus abaixo não corresponde à tipologia de acervo referida:

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
  5. e
Código da questão
Q14655Ca
08

(UFMA/NEC - 2012 - UFMA - Museólogo) - O Programa Luta contra o Tráfico Ilícito de bens Culturais, uma campanha da UNESCO em parceria com o IPHAN e Interpol tem como objetivo:

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
  5. e
Código da questão
Q24406Ca
09

(COPESE/UFJF - 2009 - UFJF - Museólogo) - A museografia vista como “... o conjunto de práticas através das quais o Museu se viabiliza, ganhando uma identidade específica, uma personalidade própria.”, é decorrente de uma ideia, em que a museologia:

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
  5. e
Código da questão
Q24384Ca
10

(FUNRIO - 2015 - UFRB - Museólogo) - Com relação a possibilidade de acumulação de períodos de férias, nos termos da Lei nº 8112/90, é correto afirmar que

  1. a
  2. b
  3. c
  4. d
  5. e
Código da questão
Q27537Ca