Dinheiro esquecido: R$ 5,7 bilhões ainda esperam ser sacados

De acordo com o Banco Central, 4,3 mil solicitações foram feitas por pessoas físicas e jurídicas, contudo R$ 5,7 bilhões ainda estão disponíveis na plataforma.

Na segunda fase das consultas ao Sistema de Valores a Receber (SVR) do Banco Central, os brasileiros sacaram cerca de R$ 301 milhões esquecidos nas instituições financeiras. Isso representa apenas 5% dos R$ 6 bilhões disponíveis para resgate no programa, que foi relançado em 7 de março. Portanto, pelo menos R$ 5,7 bilhões ainda estão disponíveis na plataforma.

continua depois da publicidade

O último balanço do Banco Central mostra que 4.300 solicitações foram feitas por pessoas físicas e jurídicas para reaver os valores deixados nos bancos.

O maior valor sacado por pessoa física foi de R$ 749,5 mil, e para pessoa jurídica foi de R$ 252,3 mil. No entanto, a maioria (62,5%) tem direito a valores inferiores a R$ 10.

Além dos pedidos de saque, houve também 1,3 milhão de consultas de dados por herdeiros e testamentários (uma novidade introduzida na segunda fase do programa).

Leia também

Para evitar fraudes, o Banco Central alerta que todos os serviços oferecidos na plataforma são totalmente gratuitos. Desse modo, o público não deve efetuar qualquer tipo de pagamento para ter acesso aos seus valores.

Como verificar se há valores a receber e resgatar o saldo?

Para verificar se há valores pendentes a receber de instituições bancárias, a pessoa física pode simplesmente acessar o site do Banco Central e clicar em "Consulte se tem valores a receber". Após inserir os dados necessários, clique em "Consultar".

Assim que a consulta mostrar que há quantias a serem resgatadas, clique em "Acessar o SVR". Caso não haja fila, o usuário será direcionado para a página de login do gov.br. Seguem abaixo os requisitos para acessar a plataforma:

Para acesso a valores de usuários (pessoas físicas) ou pessoas falecidas, é necessária uma conta gov.br prata ou ouro. Se a conta for bronze, basta acessar o aplicativo gov.br, clicar em “aumentar nível”, e validar. Para acessar os valores corporativos, a conta gov.br deve estar vinculada ao CNPJ (qualquer tipo de vínculo, exceto colaborador).

O usuário terá 30 minutos dentro do sistema. Devem clicar na opção "Meus valores a receber" e em seguida ler e aceitar o Termo de Ciência. A tela exibirá o valor a ser recebido, o nome e os dados de contato da instituição que devolverá o valor e a origem (tipo) do valor.

Em seguida, deve-se clicar em “Solicitar por aqui” e selecionar uma chave Pix. A instituição devolverá o valor em até 12 dias úteis – não necessariamente via Pix (pode ser TED ou DOC). É importante anotar o número do protocolo.

Caso a chave Pix não esteja disponível para seleção, é possível criar uma chave em uma instituição bancária e retornar ao sistema para tentar novamente solicitar o valor. Alternativamente, o usuário pode entrar em contato diretamente com o banco por telefone ou e-mail para combinar a forma de devolução.

De onde vem o dinheiro esquecido em bancos?

O dinheiro esquecido em bancos, disponível para resgate, vem de:

  • Contas-correntes ou poupanças encerradas com saldo disponível;
  • Cobranças indevidas de tarifas previstas ou não em termo de compromisso assinado com o BC;
  • Cotas de capital e rateio de sobras líquidas de ex-integrantes de cooperativas de crédito;
  • Valores não solicitados de grupos de consórcio extintos;
  • Contas de pagamento pré-paga e pós-paga encerradas com valores disponíveis;
  • Contas fechadas em corretoras e distribuidoras de títulos e de valores mobiliários;
  • Outras situações em que existam valores a serem devolvidos reconhecidas pelas instituições financeiras.
Leia também

Concursos em sua
cidade