Desenrola: governo deve lançar novo programa de renegociação de dívidas

Governo federal planeja programa de renegociação de dívidas. A ideia é que o Desenrola possa abranger as pessoas mais pobres.

Por conta da pandemia e, consequentemente, da crise econômica, milhões de brasileiros estão com o nome sujo por não conseguirem honrar seus débitos. Assim, o governo federal planeja lançar um novo programa de renegociação de dívida denominado de Desenrola.

O programa faz parte de uma promessa que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fez durante o período eleitoral. A ideia é que o lançamento seja feito em breve.

Desenrola: programa de renegociação de dívidas

O Desenrola está sendo desenvolvido pela equipe do Ministério da Fazenda. O objetivo é que milhões de brasileiros possam renegociar suas dívidas. No caso, a pessoa receberia o dinheiro do governo para pagar o débito inicial com os bancos ou empresas.

Assim, ao invés de pagar juros altos, o indivíduo passaria a dever o governo federal que oferecerá taxas de juros reduzidas e em condições especiais. O programa deve ser voltado para pessoas com renda de até três salários mínimos (R$ 3.960).

De acordo com o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, os detalhes do Desenrola serão apresentados ao presidente Lula até o final de janeiro deste ano. O Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal deverão fazer parte do programa.

Ainda de acordo com Fernando Haddad, além do Desenrola, o governo federal também planeja uma ação para que pequenas empresas possam ser atendidas e auxiliadas para poderem quitar suas dívidas e recuperarem sua situação financeira.

Quase 80% das famílias brasileiras estão endividadas

De acordo com levantamento da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), quase 80% das famílias brasileiras estão endividadas. Do total, cerca de 30,3% estão inadimplentes, ou seja, já não conseguem mais honrar seus pagamentos. O número vem crescendo a cada ano. Para se ter ideia, em 2021, eram 26%.

Entre as principais dívidas está o cartão de crédito. Os débitos com as companhias de cartões são considerados um dos piores que existem já que as taxas de juros e multas são altas podendo fazer com que a dívida se torne praticamente impagável com o passar dos meses ou anos.

Outro programa de renegociação é proposto na Câmara

Além do Desenrola, um outro programa de renegociação de dívidas foi proposto na Câmara dos Deputados. No caso, o Programa Nacional de Renegociação das Dívidas das Famílias (ReFamília) faz parte do Projeto de Lei (PL) nº 2685/22, do deputado Elmar Nascimento.

O Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal o Basa e o BNB serão utilizados para que empréstimos sejam ofertados às famílias endividadas. As taxas de juros serão mais baixas que as do mercado. Assim, será mais vantajoso que a pessoa utilize esse dinheiro para pagar as dívidas de juros maiores e passe a dever o governo onde as condições são mais favoráveis.

Consignado do Auxílio Brasil preocupa

Há também uma preocupação com as pessoas mais pobres, principalmente aquelas que fizeram o consignado do Auxílio Brasil, autorizado pelo governo de Jair Bolsonaro. Ao pegar o dinheiro emprestado dando o benefício como garantia, muitas pessoas passaram a viver em situação de risco de fome e de outras necessidades básicas.

Conforme o ministro do Desenvolvimento Social, Família e Combate à Fome, Wellington Dias, cerca de 3,5 milhões de pessoas se endividaram com o crédito consignado do Auxílio Brasil. Os débitos já estão na casa dos R$ 9,5 bilhões.

Leia também

você pode gostar também

Novidades do MEI 2023: veja o que muda para os empreendedores

Os microempreendedores individuais (MEIs) precisam ficar de olho no reajuste dos valores de contribuição e outras mudanças que ocorrerão neste ano de 2023.

Projeto regulamenta NOVA profissão no setor de turismo

O Projeto de Lei em tramitação no Senado Federal pretende regulamentar uma nova profissão no setor de turismo, a fim de promover mais segurança aos trabalhadores e viajantes.

Brasil criou 2 milhões de postos de trabalho em 2022, segundo o Caged

De acordo com dados divulgados pelo governo federal, houve saldo positivo de postos de trabalho com carteira assinada em 2022.

Valores a Receber: Banco Central alerta para golpe do dinheiro esquecido

Criminosos estão divulgando uma oferta falsa a respeito de montantes supostamente esquecidos no BC; veja como se proteger.

Reforma Tributária deve ser votada sem aumento nos impostos

De acordo com declaração do ministro da Fazenda, Fernando Haddad, a reforma tributária deve ser neutra, sem aumento nos impostos.

Guia mensal do MEI 2023 já pode ser emitida com os valores atualizados

Reajuste do pagamento mensal está vigente. Taxas para microempreendedores individuais variam de R$ 66 a R$ 162.