Volta ou não? Veja o que já sabemos sobre o Horário de Verão em 2023

Em novembro, o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fez uma enquete para saber a opinião dos brasileiros sobre o horário de verão — mais de 66% foi favorável ao retorno da medida.

O horário de verão deixou de existir no Brasil em 2019, graças a uma decisão do atual presidente Jair Messias Bolsonaro. À época, o argumento utilizado para acabar com a alteração dos relógios nos meses de verão foi o de que a medida não proporcionava grande economia no consumo de energia elétrica em horários de pico.

Agora, com a eleição de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o assunto voltou à tona: afinal, será que o novo governo implementará o horário de verão novamente em 2023?

Horário de verão em 2023

No início de novembro, logo após os resultados das eleições, Lula fez uma enquete no Twitter, para saber a opinião de seus seguidores a respeito do tema. A enquete recebeu aproximadamente 2,3 milhões de votos e, desses, mais de 66% foram favoráveis ao retorno da medida.

Alguns dias antes, o ator Bruno Gagliasso usou a mesma rede social para pedir ao vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin (PSB), o retorno do horário de verão. Na ocasião, Alckmin respondeu ao ator, com emojis indicando que o pedido havia sido “registrado”.

Por enquanto, não houve qualquer pronunciamento oficial a respeito da volta do horário de verão em 2023, mas a expectativa é a de que a medida volte a ser implementada com o governo Lula. Informações oficiais serão divulgadas pelo próprio governo federal.

O horário de verão brasileiro

O horário de verão foi implementado no Brasil em 1931, no governo de Getúlio Vargas. No Diário de Notícias de então, uma publicação a respeito do tema dizia que “A prática dessa medida, já universal, traz grandes benefícios ao público, em consequência da natural economia de luz artificial”.

A partir daí, a medida foi adotada em alguns anos, mas sem regularidade. Só depois de 1985, devido a um período histórico de seca no Brasil, o horário diferenciado começou a ser estabelecido todos os anos.

Em 2008, um decreto presidencial instaurou o horário de verão permanentemente no país. A partir de então, o ajuste dos relógios acontecia do terceiro domingo de outubro até o terceiro domingo de fevereiro do próximo ano.

Tudo mudou com o decreto de Bolsonaro em 2019, que acabou com o horário de verão e disse que “o horário de pico hoje é às 15 horas e [o horário de verão] não economizava mais energia. Na saúde, mesmo sendo só uma hora, mexia com o relógio biológico das pessoas”.

Mudanças com o horário de verão

O fato é que o ato de mudar os relógios resulta, sim, em vantagens e desvantagens diversas. Confira algumas das mudanças provocadas pela implementação do horário de verão:

  • Vantagens: economia de energia elétrica, ainda que pequena; aumento das vendas em bares e no varejo; mais segurança nas ruas; uso do espaço público; a luz solar incentiva a prática de atividades físicas.
  • Desvantagens: algumas pessoas têm dificuldade física e psicológica para se adaptar; o ciclo agropecuário sofre mudanças; falta de sincronia de horários em diversas regiões do Brasil.

Leia também

você pode gostar também

Novidades do MEI 2023: veja o que muda para os empreendedores

Os microempreendedores individuais (MEIs) precisam ficar de olho no reajuste dos valores de contribuição e outras mudanças que ocorrerão neste ano de 2023.

Projeto regulamenta NOVA profissão no setor de turismo

O Projeto de Lei em tramitação no Senado Federal pretende regulamentar uma nova profissão no setor de turismo, a fim de promover mais segurança aos trabalhadores e viajantes.

Brasil criou 2 milhões de postos de trabalho em 2022, segundo o Caged

De acordo com dados divulgados pelo governo federal, houve saldo positivo de postos de trabalho com carteira assinada em 2022.

Valores a Receber: Banco Central alerta para golpe do dinheiro esquecido

Criminosos estão divulgando uma oferta falsa a respeito de montantes supostamente esquecidos no BC; veja como se proteger.

Reforma Tributária deve ser votada sem aumento nos impostos

De acordo com declaração do ministro da Fazenda, Fernando Haddad, a reforma tributária deve ser neutra, sem aumento nos impostos.

Guia mensal do MEI 2023 já pode ser emitida com os valores atualizados

Reajuste do pagamento mensal está vigente. Taxas para microempreendedores individuais variam de R$ 66 a R$ 162.