Salário mínimo 2023: Congresso aprova Orçamento; veja valor

Orçamento 2023 prevê reajuste do salário mínimo conforme a proposta do novo governo eleito e aumenta o teto de gastos para vários setores.

Nesta quinta-feira, 22 de dezembro de 2022, o Congresso Nacional aprovou o Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) para o próximo ano. Entre as novidades do relatório, está o reajuste do salário mínimo que contará com ganho real de 2,7%, superando em R$ 18 o valor anteriormente definido pelo presidente Jair Bolsonaro.

O aval foi concedido após a promulgação da PEC de Transição que altera a regra do teto de gastos do país. Com isso, foi aberto espaço de R$ 169 bilhões no orçamento 2023 para conceder pagamentos maiores à população. Além da alta no salário mínimo, o texto faz a manutenção dos R$ 600 para o Bolsa Família (Auxílio Brasil).

De quanto será o salário mínimo 2023?

Segundo a PLOA para o ano que vem, o piso nacional deve subir de R$ 1.212 para R$ 1.320. Originalmente, o governo Bolsonaro havia proposto um reajuste de 7,41%, subindo o pagamento para R$ 1.302. O atual presidente chegou a editar uma medida provisória determinando esse valor.

Com a queda da inflação, o salário mínimo 2023 teria um ganho real de 1,5%. No entanto, a equipe do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, já havia afirmado que pretendia elevar mais 1,4% sobre essa quantia, atingindo os R$ 1.320. A mudança seria baseada no Produto Interno Bruto (PIB) do país e não na inflação.

A nova regra para calcular o piso “vai impulsionar mais produção, mais industrialização, mais serviços, mais empreendedores e mais emprego e mais renda”, afirmou o senador eleito do Piauí, Wellington Dias. Após abertura no orçamento, foi possível conceder o ganho real total de 2,7% para o salário mínimo 2023.

Outras previsões do Orçamento 2023

O texto com as definições de gastos do próximo ano recebeu aprovação total do Congresso Nacional depois de ter sido avaliado pela Comissão Mista de Orçamento (CMO). Contudo, a proposta ainda precisa ser sancionada pelo presidente para poder vigorar, com seus quase R$ 2 trilhões em despesas primárias.

O principal destaque foi o reajuste do salário mínimo 2023 com ganho real de 2,7%, seguido do Bolsa Família com parcelas mensais de R$ 600. O Orçamento 2023 também prevê a inclusão de adicional de R$ 150 por criança de até seis anos no programa social. Outros pontos aprovados foram os seguintes investimentos:

  • R$ 3,7 bilhões para a manutenção do Auxílio Gás em 100% do preço de um botijão por família;
  • R$ 11 bilhões para reajuste de 9% nos salários dos servidores do Poder Executivo;
  • R$ 22,7 bilhões para o Ministério da Saúde;
  • R$ 18,8 bilhões para o Desenvolvimento Regional e R$ 12,2 bilhões em infraestrutura;
  • Adicional de R$ 11,2 bilhões para a área da Educação e R$ 2,15 bilhões para bolsas de estudo no Ensino Superior.

Ao todo, o documento recebeu R$ 145 bilhões a mais, por meio da PEC da Transição, para garantir esses custeios.

Leia também

você pode gostar também

Censo 2022: IBGE deve liberar os resultados em abril

Após uma sequência de adiamentos e entraves na realização do Censo 2022, o IBGE atualizou a previsão de divulgação dos resultados. As operações seguem ao longo de fevereiro.

Motocicletas ficarão isentas do IPVA 2023? Entenda a nova lei

No último ano, o projeto legislativo que prevê a isenção para motocicletas foi sancionado com força de lei. Porém, existem condições específicas de elegibilidade para a medida.

Bradesco tem mais de 40 vagas de emprego disponíveis; veja os cargos

Vagas de emprego disponíveis são destinadas a diversas áreas, em agências da instituição bancária, espalhadas por todo o país.

Detran fará mutirão de renovação da CNH; veja onde e como participar

A renovação da CNH deve ser feita periodicamente pelos motoristas. Caso não façam, estarão sujeitos ao pagamento de multa e a perda de sete pontos na carteira, por exemplo.

Vale-alimentação deve ter novas regras a partir de março de 2023

Vale-alimentação deixará de ser regulado pelo Banco Central, facilitando a entrada de novas empresas no mercado. Veja o que muda.

INMET alerta: chuvas intensas devem atingir mais de 1 mil cidades

Novas regiões devem ser atingidas pelas chuvas intensas que vêm afetando boa parte do país nos últimos tempos. Dessa vez, o alerta do INMET é para mais de 1 mil municípios.