Câmara aprova CPF como único número de identificação no Brasil

Cadastro deverá ser utilizado em todo o país. Identificação padronizada depende agora da sanção presidencial.

Deputados aprovaram nesta quarta-feira, 21, proposta que estabelece o CPF como único número do registro geral em todo o território nacional. O objetivo é padronizar atendimentos e definir o cadastro de pessoa física como identificação para novos documentos, emitidos ou renovados, como CNH, carteira de trabalho e certidão de nascimento.

Pelo texto, o CPF estará vinculado a outras inscrições, de modo que o cidadão não precisará informar outros números (RG, por exemplo) em atendimentos diversos. O projeto de lei, que já havia sido validado no Senado e retornou à Câmara para nova apreciação, segue agora para sanção presidencial.

A medida tem origem no PL 1422/19, do deputado Felipe Rigoni (União-ES), e prevê que o CPF conste nos cadastros de todos os órgãos públicos, no registro civil de pessoas naturais e em documentos de identificação emitidos por conselhos profissionais.

A iniciativa visa que todos os serviços públicos passem a utilizar o documento como ferramenta de acesso, o que valeria para atendimentos do SUS e do INSS, entre outros.

O que muda na prática?

Originalmente vinculado a declarações de imposto de renda para a Receita Federal, o CPF já é amplamente utilizado para identificação em todo o país. No entanto, muitos serviços ainda exigem apresentação ou preenchimento de registros adicionais, como o RG.

A proposta não suspende documentos emitidos nem inscrições anteriores, tampouco cria um documento único – apenas determina que o serviço público passe a utilizar somente o CPF como documento de identificação do cidadão.

No dia a dia, empresas privadas continuarão exigindo a carteira de trabalho (CTPS), eleições permanecerão usando o título de eleitor e Detrans seguirão emitindo a CNH, por exemplo. O objetivo é tornar o número do CPF referência nos documentos e atendimentos públicos bem como em consultas e pesquisas realizadas pelo próprio cidadão.

E os documentos antigos?

“O projeto apenas determina que a numeração dos novos documentos seja a mesma do CPF. Os documentos até então emitidos continuam com sua numeração original, podendo conter em seu corpo a informação do número do CPF”, destaca o relator do projeto no Senado, Esperidião Amin (PP-SC).

Pelo projeto apreciado agora pela Câmara dos Deputados, o CPF passará a ser referência em documentos como:

  • Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS);
  • Carteira Nacional de Habilitação (CNH);
  • Título de Eleitor;
  • Certidões de nascimento, casamento e óbito;
  • Cartão Nacional de Saúde (CNS);
  • Documento Nacional de Identificação (DNI/RG);
  • Número de Identificação do Trabalhador (NIT).

Qual será a vigência?

A proposta define o prazo de 12 meses para os órgãos adequarem sistemas e procedimentos de atendimento ao cidadão e passem a utilizar o CPF como único número de referência.

Leia também

você pode gostar também

Censo 2022: IBGE deve liberar os resultados em abril

Após uma sequência de adiamentos e entraves na realização do Censo 2022, o IBGE atualizou a previsão de divulgação dos resultados. As operações seguem ao longo de fevereiro.

Motocicletas ficarão isentas do IPVA 2023? Entenda a nova lei

No último ano, o projeto legislativo que prevê a isenção para motocicletas foi sancionado com força de lei. Porém, existem condições específicas de elegibilidade para a medida.

Bradesco tem mais de 40 vagas de emprego disponíveis; veja os cargos

Vagas de emprego disponíveis são destinadas a diversas áreas, em agências da instituição bancária, espalhadas por todo o país.

Detran fará mutirão de renovação da CNH; veja onde e como participar

A renovação da CNH deve ser feita periodicamente pelos motoristas. Caso não façam, estarão sujeitos ao pagamento de multa e a perda de sete pontos na carteira, por exemplo.

Vale-alimentação deve ter novas regras a partir de março de 2023

Vale-alimentação deixará de ser regulado pelo Banco Central, facilitando a entrada de novas empresas no mercado. Veja o que muda.

INMET alerta: chuvas intensas devem atingir mais de 1 mil cidades

Novas regiões devem ser atingidas pelas chuvas intensas que vêm afetando boa parte do país nos últimos tempos. Dessa vez, o alerta do INMET é para mais de 1 mil municípios.