Energia elétrica: Aneel diz que tarifa em 2023 será mais cara

A estimativa da Aneel sobre a tarifa ser mais cara em 2023 pode afetar diretamente as contas de energia elétrica dos brasileiros no próximo ano.

Na última quarta-feira (23), a Agência Nacional da Energia Elétrica anunciou que a tarifa de energia elétrica vai subir em 5,6%, em média, no próximo ano. A informação foi divulgada com o grupo de Minas e Energia que integram a equipe de transição do novo presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Entretanto, o aumento da tarifa em 2023 será variável conforme as distribuidoras de energia. Sobretudo, mais do que entender as porcentagens é fundamental conhecer mais sobre as aplicações diretas nas contas de energia elétrica. Saiba mais a seguir:

Como funcionará a tarifa de energia elétrica em 2023?

De acordo com Aneel, a tarifa de energia elétrica em 2023 vai variar de acordo com cada distribuidora de energia. Sendo assim, cerca de 7 distribuidoras terão um reajuste acima de 10% enquanto 15 outras passarão por mudanças entre 5% e 10%. Por fim, 17 distribuidoras poderão ter um ajude entre 0% e 5%, enquanto 13 distribuidoras passarão por um reajuste inferior a 0%.

No geral, as alterações serão feitas individualmente para cada distribuidora. Comumente, essa mudança acontece na data de aniversário do contrato de concessão do direito de distribuir energia elétrica no país.

Por isso, deve-se seguir a média de 5,6% como referência na hora de criar estimativas para os novos valores da conta de energia elétrica. Sobretudo, as diferenças nos reajustes são causadas pelo gasto na compra, transmissão e distribuição desse recurso. Porém, fatores como o crédito tributário que a companhia tem direito também afeta o cálculo.

Entretanto, é comum que esses créditos tributários sejam utilizados a favor do consumidor, como forma de reduzir o impacto desses reajustes. Até o momento não foram divulgadas à imprensa ou ao público quais são as envolvidas e em qual porcentagem estarão inseridas.

Neste caso, a Aneel também não detalhou para a equipe de transição de Minas e Energias sobre quais serão os percentuais e quais os tipos de consumidores serão atingidos. Ou seja, como fica o reajuste para as grandes empresas e indústrias, conectadas em alta tensão, e as residências, pequenas empresas e áreas rurais, conectadas em baixa tensão.

Anteriormente, neste ano, o reajuste da tarifa de energia elétrica para os consumidores residenciais chegou ao marco de 10,83%. De acordo com os dados da Aneel, essa alteração acompanhou a variação da inflação, com base na medição realizada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor.

Apesar disso, o atendimento às distribuidoras e repasses da tarifa tem causado uma desigualdade regional no país. Em outras palavras, os consumidores do Norte, Centro-Oeste e Nordeste são mais atingidos pela variação, consequência dos custos de distribuição,

Como funciona a tarifa na conta de energia elétrica?

A tarifa de energia elétrica é uma série de valores que representam as parcelas que são pagos para o setor da energia elétrica. Mais especificamente, refere-se aos custos com as operações técnicas, investimentos diretos e continuidade da cadeia produtiva.

Desse modo, essas quantias cobradas são fundamentais para que a energia elétrica seja viabilizada e chegue aos consumidores finais. Basicamente, a tarifa é gerada pela diferença entre a leitura de consumo do mês atual e o mês anterior, com o kWh sendo a unidade utilizada nesse cálculo.

Porém, as taxas de energia elétrica são calculadas com bate nos custos relativos aos tributos, mas também a distribuição e compra de energia. Ademais, o percentual considera a transmissão de energia e os encargos do setor, previstos na legislação brasileira.

Leia também

você pode gostar também

Litígio Zero: saiba quem pode renegociar dívidas com o governo

O novo programa de renegociação de dívidas, lançado pelo governo federal, possibilitará que pessoas físicas e empresas obtenham descontos para quitar débitos junto à Receita Federal.

WhatsApp tem nova função de Comunidades no Brasil; veja como funciona

Entenda melhor o novo recurso do WhatsApp e aprenda como criar sua própria comunidade no mensageiro da Meta.

Estágio Caixa tem 6,8 mil vagas abertas; saiba como se inscrever

Estágio Caixa Econômica Federal é destinado a estudantes do ensino médio, técnico e superior. Veja como participar.

Pagamento em cheque cai em desuso e Pix pode ter influenciado

Pagamento por meio de cheque especial segue caindo. Redução chega a 94% em comparação com o ano de 1995.

Venda de férias está prevista na CLT; veja as regras e como funciona

Comum entre os trabalhadores, prática acontece em empresas, entretanto existem algumas regras e limites previstos na lei para a venda de férias.

IPTU atrasado gera multa para o contribuinte

A multa para o contribuinte que não paga o IPTU no prazo correto é acumulativa, e varia de acordo com o período de inadimplência do cidadão.