Sem reajuste, servidores públicos devem manter greve; Entenda

Entidades representantes dos servidores públicos federais afirmaram que vão manter o estado de greve, apesar de fala do ministro.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, informou que não será possível reajustar o salário do funcionalismo público neste ano de 2022. Apesar disso, entidades que representam os servidores federais afirmaram que vão manter o estado de greve e seguir com o calendário de paralisações.

Caso haja mudança de planos do governo federal, é preciso promover o reajuste até 30 de junho para aplicar o aumento, sem ferir a Lei de Responsabilidade Fiscal. Assim, o governo teria apenas 20 dias para sancionar o reajuste.

O sindicato dos funcionários do Banco Central (Sinal) informou que os profissionais vão manter o estado de greve, independentemente da fala do ministro da Economia. É importante lembrar que os técnicos da área estão paralisados desde 1º de abril, e desde então tiveram apenas uma breve suspensão do movimento.

Presidente afirmou que reajuste acontecerá em 2023

De acordo com o presidente Jair Bolsonaro, o reajuste no salário dos servidores deve ficar para o ano de 2023. A fala sobre o reajuste dos servidores foi feita durante entrevista, concedida nesta terça-feira, dia 7 de junho. O presidente apontou ser provável aumento somente no ano que vem.

Em 2021, Bolsonaro informou que o governo estava trabalhando para dar um aumento aos servidores. Contudo, somente profissionais, como Policiais Federais, Policiais Rodoviários Federais e Agentes Penitenciários teriam direito aos reajustes.

Para o Orçamento de 2022, mais de 1,7 bilhão foram destinados aos reajustes dos profissionais da área de segurança. Segundo o Ministério da Economia, esse aumento correspondia a uma reestruturação de carreira.

Com isso, a situação gerou insatisfação por parte das outras categorias profissionais, que se sentiram desprestigiadas pelo governo federal. Como informado, há movimentos grevistas em diversos órgãos e setores, que estão insatisfeitos com a política de reajuste salarial.

Ao sentir a pressão dos sindicatos, o governo passou a estudar um reajuste de 5% para todos os servidores federais. A quantia foi criticada pelos trabalhadores, pois apenas a inflação de 2021 era maior que o aumento oferecido pelo governo.

Leia também

você pode gostar também