Concurso IBGE Efetivo fará parte do CNU; 895 vagas

Concurso IBGE para efetivos terá 895 vagas. Órgão confirmou adesão ao Concurso Nacional Unificado. Confira todas as informações atualizadas.

Novo concurso IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) foi autorizado pelo governo federal e terá 895 vagas efetivas. O quantitativo foi distribuído entre analistas, pesquisadores, tecnologistas e técnicos, conforme portaria publicada no Diário Oficial da União.

continua depois da publicidade

"O comitê de concurso público do IBGE, já implantado, teve ontem sua primeira reunião. Este comitê é responsável por propor áreas de conhecimento, conteúdos programáticos, pontuação em titulação, entre outros. Cabe ao Conselho Diretor do IBGE a decisão final sobre os temas", informou o Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos (MGI) em 18 de julho de 2023.

Lembrando que o IBGE aderiu ao Concurso Nacional Unificado (CNU), novo modelo de provas que terá o mesmo regulamento para todos os órgãos que aceitaram participar do projeto. As avaliações serão divididas por Blocos Temáticos na parte de Conhecimentos Específicos.

O edital de abertura do CNU está previsto para ser divulgado até o dia 20 de dezembro de 2023. Mas, para isso, o Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos ainda terá que contratar a banca organizadora que ficará responsável por todas as etapas eliminatórias.

Leia também

Em nossa matéria, você confere os cargos que foram autorizados, cronograma oficial de atividades, remunerações previstas, etapas do certame e muito mais. Aproveite a visita e confira nossos simulados gratuitos para aperfeiçoar sua preparação para o concurso.

Concurso IBGE: quais os cargos autorizados?

texto "concurso IBGE" no centro da imagem. Fundo mostra mão escrevendo em caderno com lápis.

Vagas do IBGE farão parte do Concurso Nacional Unificado (CNU). Foto: Pexels / montagem Concursos no Brasil

A portaria distribui as 895 vagas autorizadas entre quatro cargos para o novo concurso IBGE:

  • Técnico em Informações Geográficas e Estatísticas - 300 vagas para nível intermediário;
  • Analista de Planejamento, Gestão e Infraestrutura em Informações Geográficas e Estatísticas - 275 vagas para nível superior;
  • Tecnologista em Informações Geográficas e Estatísticas - 312 vagas para nível superior;
  • Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas - 8 vagas para nível superior.

No final de abril de 2023, o IBGE solicitou ao governo federal a abertura de 3.044 vagas efetivas. O quantitativo autorizado agora é, portanto, inferior ao solicitado.

continua depois da publicidade

Mesmo assim, a autorização é comemorada tanto pelo órgão como pelos candidatos, que aguardam edital para efetivos desde 2015, quando foi aberto o último concurso IBGE.

Salários no concurso IBGE efetivo

A autorização do concurso IBGE é sucinta e não detalha salários nem lotações, por exemplo. Essas e outras informações serão anunciadas no edital unificado, já que o instituto aderiu ao CNU.

É possível que o novo edital IBGE contemple diversos estados, com salários nas seguintes faixas:

  • Técnicos em informações geográficas e estatísticas (ensino médio completo) - iniciais de R$ 3,6 mil;
  • Profissionais com ensino superior completo - iniciais entre R$ 8,4 mil e R$ 9,3 mil.

Concurso IBGE: atribuições dos cargos

Conforme editais anteriores do concurso IBGE, cada cargo conta com atuações diferentes. Confira:

Técnico em Informações Geográficas e Estatísticas no concurso IBGE

  • Coletar dados em diversas fontes;
  • Organizar, criticar, corrigir, lançar, tratar e manter os dados garantindo a integridade, confidencialidade, disponibilidade, atualização e fidedignidade;
  • Realizar entrevistas em domicílios e estabelecimentos informantes para obtenção de dados conforme metodologia e plano de supervisão da pesquisa;
  • Realizar levantamentos topográficos/geográficos/cartográficos para manter atualizada a base territorial dos municípios;
  • Proceder à compilação, montagem e organização dos elementos cartográficos, segundo as especificações e normas adotadas;
  • Executar e apoiar as tarefas ligadas à manutenção e atualização da rede física dos marcos geodésicos do IBGE;
  • Atuar nas diversas modalidades de disseminação de dados e informações, prestando suporte e orientações aos usuários;
  • Executar de acordo com instruções e/ou orientações as rotinas administrativas, do recebimento à organização, guarda e ao encaminhamento de documentos institucionais e de interessados;
  • Efetuar registros administrativos, orçamentários e financeiros, utilizando os recursos de informática disponibilizados e os sistemas corporativos e federais;
  • Dirigir veículo próprio do IBGE ou locado pela instituição para a execução dos trabalhos;
  • Operar e utilizar equipamentos de informática necessários à sustentação e apoio à coleta de dados, às áreas técnica e de suporte administrativo, à cartografia e geodésia e à disseminação de informações;
  • Executar outras atividades compatíveis com o cargo.

Analista de Planejamento, Gestão e Infraestrutura em Informações Geográficas e Estatísticas

As atribuições dessa carreira dependem da área pleiteada pelo candidato. A título de exemplo, confira detalhes sobre a especialização de Auditoria, Ciências Contábeis e Geoprocessamento.

  • Área de Auditoria: realizar análise de demonstrações contábeis; examinar documentos de atos de gestão; executar atividades relacionadas ao planejamento dos trabalhos de auditoria; participar de reuniões de abertura dos trabalhos de auditoria com os gestores das unidades estaduais do IBGE e os responsáveis pelos processos de trabalho; avaliar a efetividade de trabalhos de auditoria e o resultado das ações de implementação das recomendações e sugestões constantes em relatórios de auditoria; fornecer subsídios para o aperfeiçoamento de normas e de procedimentos que visem a garantir a efetividade das ações e a sistemática de controle interno; executar o programa de auditoria de acordo com técnicas específicas; entrevistar e elaborar plano de ação, em conjunto com o auditado, para solução de problemas identificados; participar de reuniões de encerramento dos trabalhos de auditoria; exercer a função de auditoria de gestão, acompanhando a execução das políticas públicas estabelecidas nos planos e programas governamentais; elaborar relatórios de auditorias planejadas ou especiais; monitorar a execução de plano de ação; acompanhar a edição de normas legais e rotinas internas; efetuar a manutenção dos programas e papéis de trabalho de auditoria; elaborar sumário executivo dos trabalhos de auditoria realizados; auxiliar na elaboração do Relatório Anual de Atividades de Auditoria Interna (Raint) e do Plano Anual de Atividades de Auditoria Interna (Paint); examinar denúncias de ilícito administrativo praticado na Administração e sugerir o procedimento administrativo disciplinar a ser instaurado; emitir parecer sobre procedimento administrativo disciplinar concluído; zelar para que a atividade da administração pública se desenvolva segundo os princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, razoabilidade, eficácia, efetividade e economicidade; recomendar ao dirigente máximo de órgão ou entidade a instauração de tomada de contas especial, sindicâncias e processos administrativos disciplinares para apuração de responsabilidade; acompanhar a implementação das recomendações em relatórios da Controladoria-Geral da União (CGU) e diligências do Tribunal de Contas da União (TCU); viajar a serviço em todo o território nacional, sempre que necessário e executar outras atividades compatíveis com o cargo;
  • Área de Ciências Contábeis: executar trabalhos especializados da área contábil, utilizando os sistemas governamentais e corporativos; desenvolver atividades que envolvam atos e fatos da contabilidade governamental nos seus sistemas orçamentário, financeiro e patrimonial e que compreendam a análise de balancetes, balanços, registros e demais demonstrações contábeis, prestações de contas, relatórios, pareceres, e informações sobre assuntos contábeis, financeiros e orçamentários; orientações e normatizações; registro de operações contábeis; acompanhamento da legislação sobre contabilidade pública e matérias correlatas; orientar e organizar o processo de tomadas ou prestação de contas; elaborar pareceres sobre matérias de natureza técnica, jurídico-contábil, financeira e orçamentária, propondo, se for o caso, as soluções cabíveis em tese; supervisionar os cálculos de reavaliação do ativo e de depreciação de veículos, máquinas, móveis, utensílios e instalações; elaborar estudos, relatórios e outros documentos, com base em registros administrativos e executar outras atividades compatíveis com o cargo;
  • Área de Geoprocessamento: executar atividades relacionadas às ciências da geoinformação, sistemas geodésicos de referência, sistema geodésico brasileiro, GNSS, sensoriamento remoto, processamento e representação de dados geográficos e estrutura territorial brasileira; implementar sistemas computacionais para coleta, armazenamento, tratamento, processamento, análise e reprodução de dados geoespaciais, utilizando técnicas de geoprocessamento; desenvolver e implantar modelos de dados geoespaciais, funções topológicas e arquitetura de geoserviços; utilizar ferramentas de geoprocessamento para o processamento e análise de dados geoespaciais vetoriais e o processamento digital de imagens de satélites e fotografias aéreas e dados de altimetrias para construção de modelos digitais de terreno MDT; elaborar mapas temáticos para a disponibilização em publicações técnicas, atlas, séries de mapas e serviços web; utilizar os softwares Geomedia, ArcGis ou QuantumGis e executar outras atividades compatíveis com o cargo;

Tecnologista em Informações Geográficas e Estatísticas

A carreira de Tecnologista em Informações Geográficas e Estatísticas também contempla diversas áreas. A seguir, listamos as atribuições de três especialidades: Geografia, Programação Visual/Webdesign e Engenharia Cartográfica.

  • Área de Geografia: fazer levantamento, revisão e análise bibliográfica; elaborar textos (analíticos, pareceres e relatórios técnicos), tabelas, gráficos, cartogramas e mapas para análise quantitativa e qualitativa do território brasileiro; fazer a interpretação analógica e digital, em escalas de diferentes níveis, de imagens obtidas através de sensores remotos de imagens (Landsat TM, Cbers, Alos, Geocover, Quickbird, entre outras) para elaboração de mapas temáticos e análise geográfica do território, assim como a caracterização e descrição das formas da Terra; analisar, organizar, sistematizar e executar os dados e informações dos levantamentos geomorfológicos; produzir estatísticas e indicadores ambientais; elaborar estudos sobre poluição, uso de recursos naturais e energia; participar de trabalho de campo, realizando observações, anotações e descrição da paisagem, coleta de material para análise de formações superficiais e documentação fotográfica, tendo como base a caracterização e descrição das formas de relevo, sua gênese, altimetria e atuação dos processos erosivos modeladores da paisagem, visando a produção de informações sob a forma de mapas, cartogramas e relatórios; fazer correlação do relevo e dos tipos de uso com outros elementos da paisagem, visando a definição das Unidades e Regiões Geomorfológicas e dos Domínios morfoestruturais e morfoclimáticos e executar outras atividades compatíveis com o cargo;
  • Área de Programação Visual/Webdesign: desenvolver diferentes tipos de trabalhos relativos a demandas audiovisuais, utilizando dispositivos digitais e recursos computacionais, mantendo a integração entre os aspectos estéticos e de identidade visual aplicados às qualidades gráfica e visual de cada projeto; projetar soluções audiovisuais para disseminação de informações; criar e implementar projetos de arquitetura da informação; utilizar as linguagens do conteúdo programático para produção de páginas para Internet; uso de frameworks em Javascript como angular; utilizar técnicas como media queries, dimensionamento de imagens por contexto e otimização de carregamento de páginas, dentre outras, na produção de aplicações responsivas e mobile first, respeitando padrões de acessibilidade recomendados pelo governo federal e os padrões definidos pelo W3C; atuar na implementação de interfaces para apresentação em vídeos; efetuar animações de objetos e efeitos multimídia e executar outras atividades compatíveis com o cargo;
  • Área de Engenharia Cartográfica: executar atividades relacionadas ao planejamento, manutenção e densificação do Sistema Geodésico Brasileiro nas suas componentes planimétrica, altimétrica e gravimétrica associada; executar, fiscalizar e validar o levantamento geodésico para implantação das redes geodésicas, o ajustamento das observações para determinações de coordenadas precisas e a implantação e manutenção das redes geodésicas ativas; identificar insumos de sensoriamento remoto e fotogrametria para as atividades de mapeamento topográfico e cadastral; planejar, executar, fiscalizar e validar o apoio de campo para o suporte ao georeferenciamento de insumos de sensoriamento remoto e fotogrametria e a coleta e padronização de nomes geográficos; planejar e executar as atividades de aerotriangulação, ortorretificação, extração e edição de modelos digitais de elevação de insumos de sensoriamento remoto e fotogrametria, bem como aquisição de feições cartográficas para o mapeamento de referência; planejar e validar a compilação e/ou editoração cartográfica de mapas e cartas; planejar a aquisição de insumos e a execução e validação do mapeamento de referência para apoio às pesquisas do IBGE; acompanhar a evolução da divisão político-administrativa do Brasil e executar e validar a sua representação cartográfica e executar outras atividades compatíveis com o cargo.

Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas

Conforme último concurso IBGE para a carreira (2008), as principais atribuições são voltadas a atividades especializadas de ensino e pesquisa científica, tecnológica e metodológica em matérias como estatística, geográfica, cartográfica, geodésica e ambiental.

Essa atribuição está definida no artigo 71 da lei nº 11.355, de 19 de outubro de 2006, alterada pela medida provisória nº 441 de 2008.

Vagas efetivas no IBGE: cronograma de atividades

Como o IBGE aderiu ao Concurso Nacional Unificado, as regras serão compartilhadas pelo instituto e os 19 outros órgãos que aderiram ao novo modelo de provas. O CNU, inclusive, ficou conhecido como o "Enem dos Concursos" justamente pelas similaridades dos projetos.

Recentemente, o governo federal divulgou um cronograma preliminar de atividades relacionadas ao novo certame:

  • Até 22 de novembro de 2023: contratação da banca organizadora para o CNU;
  • Até 20 de dezembro de 2023: publicação do edital de abertura, incluindo as vagas efetivas do IBGE;
  • Meados de março de 2023: realização das provas unificadas;
  • Abril de 2024: divulgação dos resultados gerais dos candidatos;
  • Julho de 2024: início dos cursos de formação, se for o caso;
  • Agosto de 2024: convocação dos novos servidores aprovados em todas as etapas do CNU.

Etapas previstas no CNU

O Concurso Nacional Unificado, que foi aderido pelo IBGE, conta com as principais etapas seletivas:

  • Provas objetivas para todos os candidatos a partir de Conhecimentos Gerais e Específicos;
  • Provas discursivas a serem aplicadas no mesmo dia das provas objetivas;
  • Provas de títulos que terão caráter apenas classificatório.

No CNU, os candidatos só poderão selecionar um dos Blocos Temáticos dentre a lista de possibilidades. Eles serão usados como referência na parte de Conhecimentos Específicos das provas objetivas, além da etapa discursiva.

Confira quais são os Blocos Temáticos para as vagas do IBGE:

  • Bloco VII - Dados, Tecnologia e Informação para os cargos de Analista de Planejamento, Gestão e Infraestrutura em Informações Geográficas e Estatísticas Tecnologista em Informações Geográficas e Estatísticas Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas;
  • Bloco de Nível Intermediário para o cargo de Técnico em Informações Geográficas e Estatísticas. Ênfase em "Informação Pública".

Vagas efetivas no IBGE: locais de provas do CNU

  • Região Norte (39 municípios): AC – Cruzeiro do Sul, PA – Monte Alegre, AC – Rio Branco, PA – Óbidos, AM – Coari, PA – Oriximiná, AM – Humaitá, PA – Paragominas, AM – Manaus, PA – Parauapebas, AM – Manicoré, PA – Portel, AM – Maués, PA – Redenção, AM – Parintins, PA – Santana do Araguaia, AM – Tabatinga, PA – Santarém, AM – Tefé, PA – São Félix do Xingu, AP – Laranjal do Jari, PA –  Tucuruí, AP – Macapá, RO – Ariquemes, PA – Abaetetuba, RO – Ji-Paraná, PA – Altamira, RO – Porto Velho, PA – Belém, RO – Vilhena, PA – Bragança, RR – Boa Vista, PA – Breves, TO – Araguaína, PA – Cametá, TO – Gurupi, PA – Itaituba, TO – Palmas e PA – Marabá;
  • Região Nordeste (50 municípios): AL – Arapiraca, CE – Sobral, AL – Maceió, MA – Bacabal, BA – Barreiras, MA – Balsas, BA – Bom Jesus da Lapa, MA – Caxias, BA – Brumado, MA – Chapadinha, BA – Eunápolis, MA – Imperatriz, BA – Feira de Santana, MA – Pinheiro, BA – Guanambi, MA – São Luís, BA – Irecê, PB – Campina Grande, BA – Itaberaba, PB – João Pessoa, BA – Itabuna, PB – Patos, BA – Jacobina, PB – Sousa, BA – Jequié, PE – Caruaru, BA – Juazeiro, PE – Garanhuns, BA – Paulo Afonso, PE – Petrolina, BA – Ribeira do Pombal, PE – Recife, BA – Salvador, PE – Serra Talhada, BA – Teixeira de Freitas, PI – Floriano, BA – Vitória da Conquista, PI – Parnaíba, CE – Crateús, PI – Picos, CE – Fortaleza, PI – Teresina, CE – Iguatu, RN – Caicó, CE – Juazeiro do Norte, RN – Mossoró, CE – Quixadá, RN – Natal, CE – Russas e SE – Aracaju;
  • Região Centro-Oeste (18 municípios): DF – Brasília, GO – Anápolis, GO – Catalão, GO – Goianésia, GO – Goiânia, GO – Itumbiara, GO – Mineiros, GO – Rio Verde, MS – Campo Grande, MS – Corumbá, MS – Dourados, MS – Três Lagoas, MT – Alta Floresta, MT – Cáceres ,MT – Cuiabá, MT – Rondonópolis, MT – Sinop, MT – Tangará da Serra;
  • Região Sudeste (49 municípios): ES – Cachoeiro de Itapemirim, MG – Pouso Alegre, ES – Colatina, MG – Teófilo Otoni, ES – São Mateus, MG – Uberaba, ES – Vitória, MG – Uberlândia, MG – Almenara, RJ – Angra dos Reis, MG – Araçuaí, RJ – Cabo Frio, MG – Araxá, RJ – Campos dos Goytacazes, MG – Barbacena, RJ – Macaé, MG – Belo Horizonte, RJ – Petrópolis, MG – Curvelo, RJ – Rio de Janeiro, MG – Diamantina, RJ – Volta Redonda, MG – Divinópolis, SP – Araçatuba, MG – Governador Valadares, SP – Bauru, MG – Ipatinga, SP – Campinas, MG – Ituiutaba, SP – Itapeva, MG – Janaúba, SP – Marília, MG – Januária, SP – Piracicaba, MG – Juiz de Fora, SP – Presidente Prudente, MG – Lavras, SP – Ribeirão Preto, MG – Montes Claros, SP – Santos, MG – Muriaé, SP – São José do Rio Preto, MG – Paracatu, SP – São José dos Campos, MG – Passos, SP – São Paulo, MG – Patos de Minas, SP – Sorocaba e MG – Pirapora;
  • Região Sul: PR – Cascavel, PR – Curitiba, PR – Foz do Iguaçu, PR – Guarapuava, PR – Londrina, PR – Maringá, PR – Ponta Grossa, PR – Umuarama, RS – Bagé, RS – Caxias do Sul, RS – Passo Fundo, RS – Pelotas, RS – Porto Alegre, RS – Santa Cruz do Sul, RS – Santa Maria, RS – Santo Ângelo, RS – Uruguaiana, SC – Blumenau, SC – Chapecó, SC – Criciúma, SC – Florianópolis, SC – Joinville e SC – Lages.

Últimos editais do IBGE

O concurso IBGE mais recente para contratação de efetivos aconteceu há quase uma década, em 2015, sob responsabilidade da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Já a contratação de profissionais temporários ganhou fôlego no decorrer do ano passado, por conta das demandas para conclusão do Censo Demográfico.

Ao todo, foram abertas mais de 200 mil vagas temporárias para recenseadores e agentes em editais simplificados, publicados por diferentes bancas: FGV, IBFC e Idecan.

Por se tratar de contratação emergencial e temporária com foco na coleta de dados para o Censo, não houve aplicação de provas, como acontece em concursos do órgão, e sim análise curricular dos candidatos inscritos.

Concurso IBGE 2015 teve mais de 560 mil inscritos

Lançados pelo IBGE em dezembro de 2015, os dois últimos editais para contratação de servidores efetivos ofertaram 600 vagas em três cargos de níveis médio (460 vagas) e superior (140):

  • Técnico em Informações Geográficas e Estatísticas (médio);
  • Analista de Planejamento, Gestão e Infraestrutura em Informações Geográficas e Estatísticas (superior);
  • Tecnologista em Informações Geográficas e Estatísticas (superior).

O certame registrou 561.482 inscritos em todo o país, com concorrência geral estipulada em 935 candidatos por vaga. Naquela época, os salários iniciais variavam entre R$ 3 mil e R$ 8,7 mil, além de benefícios como gratificações, auxílio-alimentação (R$ 373) e assistência médica e odontológica.

Cursos contemplados na época

Especificamente para analistas, as vagas foram distribuídas entre as seguintes áreas:

  • Análise de Projetos - Orçamento e Finanças - Planejamento e Gestão - Processos Administrativos Disciplinares (graduação em qualquer curso);
  • Análise de Sistemas/ Desenvolvimento de Aplicações – Web Mobile;
  • Análise de Sistemas/Desenvolvimento de Sistemas;
  • Análise de Sistemas/Suporte Operacional;
  • Análise em Biodiversidade (Biologia, Ecologia, Geografia e engenharias Florestal, Agronômica ou Ambiental);
  • Auditoria (Ciências Contábeis, Administração, Economia, Direito, Análise de Sistemas ou Engenharia de Produção);
  • Biblioteconomia;
  • Ciências Contábeis;
  • Design Instrucional;
  • Economia;
  • Educação Corporativa (Pedagogia);
  • Engenharia Agronômica;
  • Engenharia Cartográfica;
  • Engenharia Civil;
  • Engenharia Florestal;
  • Estatística;
  • Geografia;
  • Geoprocessamento;
  • Programação Visual/Webdesign;
  • Recursos Humanos - Administração de Pessoal;
  • Recursos Humanos - Desenvolvimento de Pessoas;
  • Recursos Materiais e Logística.

Provas e disciplinas IBGE/FGV

Todos os inscritos no concurso IBGE passaram inicialmente por provas objetivas, com 60 ou 70 questões, a depender da vaga pleiteada, aplicadas pela FGV em abril de 2016, em datas distintas para cargos de níveis médio e superior. Na época, os exames foram compostos pelas seguintes disciplinas:

  • Língua Portuguesa, Geografia, Matemática e conhecimentos sobre o IBGE – para técnicos/ensino médio completo;
  • Língua Portuguesa, Língua Inglesa, raciocínio lógico-quantitativo e conhecimentos específicos – para analistas e tecnologistas/ensino superior completo. Detalhe importante: a prova para o cargo de Tecnologista - Área de Conhecimento de Estatística foi a única que não cobrou a disciplina de raciocínio lógico-quantitativo.

Tecnologistas das áreas de Programação Visual/Webdesign e Design Instrucional passaram por uma segunda fase, a prova prática, aplicada posteriormente para candidatos convocados.

  • Acesse edital, provas e gabaritos do concurso IBGE 2015 (níveis médio e superior)

Concurso IBGE 2013: quase 120 mil candidatos

Antes do último concurso IBGE para efetivos – lançado em 2015 e com provas aplicadas em 2016 –, outro certame foi realizado pouco tempo antes.

Em 2013, ficou a cargo da Fundação Cesgranrio a abertura de 300 ofertas imediatas para nível médio (Técnico em Informações Geográficas e Estatísticas A), com ganhos entre R$ 2,8 mil e R$ 4,2 mil na época. O certame recebeu 119.207 inscrições em todo o país.

Provas e disciplinas IBGE/Cesgranrio

Em dezembro daquele mesmo ano, os candidatos passaram por etapa única, a prova objetiva, composta por 60 questões sobre:

  • Língua Portuguesa;
  • Raciocínio Lógico;
  • Geografia;
  • Conhecimentos específicos;
  • Conhecimentos gerais;
  • Noções de Informática.

Conteúdo programático do concurso IBGE 2013

De acordo com o edital do concurso 2013, os candidatos tiveram que se preparar conforme o seguinte conteúdo programático:

  • Língua Portuguesa: compreensão e interpretação de texto; organização textual dos vários modos de organização discursiva; coerência e coesão; ortografia; classe, estrutura, formação e significação de vocábulos; derivação e composição; oração e seus termos; estruturação do período; classes de palavras/aspectos morfológicos, sintáticos e estilísticos; linguagem figurada e pontuação;
  • Raciocínio Lógico: avaliação da habilidade de entender a estrutura lógica de relações entre pessoas, lugares, coisas ou eventos, deduzir novas informações e avaliar as condições usadas para estabelecer a estrutura daquelas relações. As questões das provas poderão tratar das seguintes áreas: estruturas lógicas; lógica de argumentação; diagramas lógicos; aritmética, álgebra e geometria básica;
  • Geografia: noções básicas de cartografia/orientação e pontos cardeais; localização/ coordenadas geográficas (latitude e longitude); representação: leitura, escala, legendas e convenções. Natureza e meio ambiente no Brasil: grandes domínios climáticos; ecossistemas. As atividades econômicas e a organização do espaço, espaço agrário/modernização e conflitos; espaço urbano/atividades econômicas, emprego e pobreza; rede urbana e as regiões metropolitanas. Formação territorial e divisão político-administrativa: divisão político-administrativa e organização federativa;
  • Conhecimentos Específicos sobre o IBGE: informações sobre a instituição, conceitos básicos para o desenvolvimento do trabalho na agência e da atividade do Técnico de Coleta;
  • Conhecimentos Gerais: elementos de política brasileira. Cultura e sociedade brasileira: música, literatura, artes, arquitetura, rádio, cinema, teatro, jornais, revistas e televisão. História do Brasil. Descobertas e inovações científicas na atualidade e seus impactos na sociedade contemporânea. Meio ambiente e sociedade: problemas, políticas públicas, organizações não governamentais, aspectos locais e aspectos globais. Panorama da economia nacional e cotidiano brasileiro;
  • Noções de Informática: correio eletrônico (mensagens, anexação de arquivos, cópias). Periféricos. Componentes. Estruturação de diretórios, subdiretórios e arquivos. Windows 7. Browser.

Acesse aqui edital, provas e gabaritos do concurso IBGE 2013

Último concurso IBGE para Pesquisador ocorreu em 2008

Há muito tempo era aguardado um novo concurso IBGE para a carreira de Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas. Isso porque o último edital foi lançado em 2008, sob responsabilidade da Escola Nacional de Ciências Estatísticas do IBGE (Ence).

Na época, foram abertas 13 vagas efetivas para lotação no Rio de Janeiro. As oportunidades foram distribuídas entre as áreas de Análise Ambiental (1), Demografia (2), Estatística (6), Análise Agropecuária (1), Geociências (1) e Matemática (2).

Era necessário ter mestrado na área pleiteada, conforme  o edital de abertura:

quadro com requisitos para o cargo de Pesquisador

Requisitos mínimos para ingressar no concurso IBGE de 2008. Reprodução: IBGE

De acordo com o IBGE, os vencimentos do Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I, incluindo-se a retribuição de titulação e a gratificação de desempenho, chegaram a R$ 6.747,67 para mestres e R$ 7.269,67 para doutores.

"Para as áreas de conhecimento de Estatística e Matemática, a seleção teve três etapas: prova discursiva; prova didática e análise de títulos. Para as áreas de Análise Ambiental, Demografia, Análise Agropecuária e Geociências, foram duas etapas: prova discursiva e análise de títulos", comunicou o IBGE na época.

Conteúdo programático para Pesquisador

A título de exemplo, listamos o conteúdo programático de três especialidades relacionadas ao cargo, conforme edital de 2008. Confira abaixo:

  • Área de Análise Ambiental: Unidade I – Análise exploratória de dados. Medidas de resumo. Introdução à probabilidade e variáveis aleatórias; introdução à Inferência Estatística; Censos, amostras e registros administrativos; Inferência estatística. Unidade II – Indicadores: conceitos básicos, critérios de classificação e propriedades desejáveis. Fontes de dados e indicadores. A concepção de sistemas de informação. Indicadores compostos ou sistemas de indicadores, vantagens e desvantagens. Métodos de aglutinação de indicadores. Mapeamento temático. Mapeamento de uso e cobertura da terra. Unidade III - Produção e análise de indicadores socioambientais. Recomendações de organismos multilaterais para sistemas de indicadores ambientais e de desenvolvimento sustentável. Modelo pressão-estado-resposta (PER). Índice de Desenvolvimento Humano, Índice de Sustentabilidade Ambiental, Pegada Ecológica. Metas do Milênio e seus indicadores. Indicadores de desenvolvimento sustentável;
  • Área de Estatística: Unidade I – Conceitos básicos de probabilidade; probabilidade condicionada; variáveis aleatórias discretas; função de probabilidades; função de Distribuição (definição e propriedades); distribuições condicionais; Variáveis aleatórias contínuas: função de densidade de probabilidade (definição e propriedades); momentos de uma distribuição: valor esperado e variância; especificação da distribuição conjunta de n funções reais de uma variável aleatória n-dimensional; soma de variáveis aleatórias independentes; distribuições das estatísticas de ordem; Lei dos Grandes Números; convergência em distribuição; Teorema Central do Limite; processos estocásticos: cadeias e processos de Markov. Unidade II – Estimação pontual. Método dos momentos. Método da Máxima Verossimilhança; estimador de máxima verossimilhança para modelos discretos e contínuos. Propriedades dos estimadores pontuais; família exponencial; estimação por Intervalo. Testes estatísticos de hipóteses: conceitos básicos; comparação entre testes; Teste da Razão de Verossimilhança. Unidade III – Modelo de regressão linear; estimação dos parâmetros do modelo; propriedades dos estimadores de mínimos 17 quadrados ordinários e de máxima verossimilhança; inferência em regressão; análise de resíduos; análise de variâncias. Modelos lineares generalizados: definição e conceitos; Estatística de Wald; razão de verossimilhança e a estatística Deviance; Testes de adequação do modelo; Análise de dados binários e regressão logística. Unidade IV – Modelos para Séries Temporais: modelos de Box e Jenkins; modelos autoregressivos; modelos de médias móveis; modelos mistos; função de autocorrelação (FAC) e Função de autocorrelação Parcial (FACP); identificação e estimação. Princípios básicos do planejamento de experimentos; experimentos para comparar vários tratamentos; análise de modelos com efeitos fixos; experimentos fatoriais; experimentos hierárquicos e aninhados. Unidade V – Amostragem aleatória simples. Amostragem estratificada. Amostragem sistemática. Amostragem por conglomerados. Unidade VI – Introdução à Inferência Bayesiana;
  • Área de Geociências: Unidade I – Informação Geográfica (IG) e Sistemas de Informação Geográfica (SIGs): Conceitos básicos em ciência da geoinformação; Sistemas geodésicos de referência, Sistema Geodésico Brasileiro, SIRGAS, cartografia para geoprocessamento; Noções gerais de GNSS; Técnicas de captura da IG; conceitos de Sensoriamento Remoto; Processamento e representação da IG; Arquitetura de SIGs. Unidade II – As Infra-estruturas de Dados Espaciais (IDEs): Conceituação; Justificativa para o estabelecimento das IDEs; Princípios e componentes das IDEs; GSDI, OGC, ISO/TC211: missões, objetivos e formas de atuação; A evolução das IDEs regionais: Américas e Europa; Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais do Brasil (Inde); Introdução à Web Semântica; A Web Semântica e a Informação Geográfica. Unidade III - Linguagens e Arquiteturas para Geosserviços: Internet para a geoinformação; Noções de TI para as IDEs: arquitetura cliente-servidor, arquitetura Web, arquitetura orientada a serviços; Serviços Web: conceitos básicos; Linguagens do W3C aplicadas a geoserviços: conceitos sobre XML e HTML; A linguagem GML para representação de IG: conceitos. Unidade IV - Normas para a Informação Geográfica: Noções gerais sobre a família ISO19100 e seu alcance; A norma ISO19115 (ISO/TC211): elaboração; entidades de metadados; O padrão FGDC/CSDGM de metadados: conceitos. Unidade V - Padrões e Recomendações do OGC: O marco de referência do Open Geospatial Consortium (OGC); Noções gerais sobre as especificações de serviços definidas pelo OGC: WMS, WFS, WCS, SLD, Gazetteer e Cat (CSW).

Sobre o IBGE

YouTube video

Em linhas gerais, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) é o principal provedor de dados e informações do país. Ele oferece uma visão completa e atual da sociedade e conta com as seguintes funções:

  • Produção e análise de informações estatísticas;
  • Coordenação e consolidação das informações estatísticas;
  • Produção e análise de informações geográficas;
  • Coordenação e consolidação das informações geográficas;
  • Estruturação e implantação de um sistema de informações ambientais;
  • Documentação e disseminação de informações;
  • Coordenação dos sistemas estatístico e cartográfico nacionais.
Você também pode
gostar

Concursos em sua
cidade