Prova de Vida do INSS: veja o que muda em 2023

Leia e entenda como será o novo formato da prova de vida para os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), em 2023.

Anualmente, os segurados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) precisam realizar a prova de vida. Contudo, a partir deste mês, o formato deste procedimento vai sofrer alterações.

Em suma, a prova de vida do INSS tem como objetivo identificar se os beneficiários seguem vivos, no intuito de evitar fraudes, ou seja, que pessoas recebam o dinheiro de alguém que já faleceu.

Até 2020, a prova de vida precisava ser feita presencialmente. Assim, a autarquia exigia que os segurados se apresentassem em uma agência do INSS ou em um banco para comprovar que ainda estavam vivos. Porém, com a crise sanitária, ficou suspensa a obrigatoriedade da comprovação.

No mesmo ano foi criada a possibilidade de fazer a prova de vida por meio de biometria facial, usando a câmera do celular através do aplicativo oficial do Meu INSS, que segue ativo e pode ser acessado por qualquer cidadão. Agora, a prova de vida será feita de forma automática pelo governo.

Como será realizada a prova de vida do INSS em 2023?

A partir do cruzamento de informações, o INSS poderá confirmar que o titular do benefício está vivo. Isso será possível pela verificação de ações do segurado nas bases de dados próprias da autarquia ou naquelas mantidas e geridas pelos órgãos públicos federais.

Vale lembrar que a prova de vida estava suspensa desde fevereiro do ano passado. Enquanto isso, o INSS trabalhava na preparação das novas regras, que entrarão em vigor neste ano.

A grande vantagem desse novo método é que as pessoas que recebem benefícios da Previdência não precisarão mais se deslocar. Além disso, as mudanças tornam o procedimento mais ágil e seguro, especialmente para os idosos, que muitas vezes apresentam problemas de saúde e dificuldades de locomoção.

Com efeito, na prova de vida automática, o INSS vai consultar bancos de dados do governo para obter informações sobre o beneficiário, sabendo assim, se ele ainda está vivo ou não. Entre as informações a serem consultadas estão:

  • Consultas médicas feitas no Sistema Único de Saúde (SUS);
  • Atualização da caderneta de vacinação;
  • Comprovante de votação;
  • Emissão ou renovação de passaporte, CNH, Carteira de Identidade e outros documentos.

O que ocorre se não for possível fazer a prova de vida automática?

Se não for possível realizar a prova de vida de forma automática, isto é, usando a base de dados do governo federal, o beneficiário será notificado pelo INSS para realizar a comprovação. Entretanto, vale destacar que não haverá bloqueio de benefícios para quem não fizer a prova de vida, por enquanto, segundo o governo.

Por fim, quem quiser saber mais sobre a realização do procedimento pode consultar mais informações no site ou aplicativo “Meu INSS”, ou ainda ligar para o telefone 135.

Leia também

você pode gostar também

Auxílio Gás terá sua primeira parcela de 2023 em fevereiro; confira o valor

O pagamento do Auxílio Gás, benefício destinado às famílias de baixa renda, ocorre a cada dois meses. A primeira parcela deste ano será paga em fevereiro.

Benefício de R$ 1,2 mil é pago para ESTE grupo de trabalhadores

Uma iniciativa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) garante a um grupo específico de trabalhadores um benefício de R$ 1,2 mil em parcela única. Saiba mais sobre o assunto.

Calendário Bolsa Família de Janeiro: veja todas as datas

O valor médio do Bolsa Família atualmente é de R$ 614,21; veja quem vai receber o pagamento nesta quinta-feira.

Aposentadoria INSS: veja quem terá as parcelas ainda nesta semana

Além da aposentadoria, o INSS também paga auxílio-doença e pensão aos segurados; confira o calendário de janeiro a seguir.

Prova de Vida: INSS terá 10 meses para provar que segurado está vivo

Saiu uma portaria que regulamenta os novos procedimentos necessários para realizar a prova de vida do INSS dos segurados.

Extrato da aposentadoria do INSS já pode ser consultado via app

Benefício recebeu reajuste, consequência da alta do salário mínimo, que passou a vigorar no começo de 2023.