Bolsa Família: quando o adicional de R$ 150 vai ser liberado?

Promessa de campanha, valor adicional será repassado para famílias que possuem crianças de até 6 anos em sua composição.

O ministério do Desenvolvimento, Assistência Social, Família e Combate à Fome anunciou que o Bolsa Família vai pagar o adicional de R$ 150, como prometido na campanha do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

O Bolsa Família volta na gestão do petista e o adicional de R$ 150 é destinado para famílias que possuem crianças de até 6 anos na sua composição. Em reunião recente com o presidente, a pasta ministerial acordou a data para o adicional de R$ 150 ser liberado.

A medida ainda não foi implementada porque, desde que assumiu, o novo governo enfrentou alguns fatores que pesavam contra a liberação do adicional do Bolsa Família. Assim, o governo espera um pente-fino e a edição de uma medida provisória reestruturando o programa do governo.

Quando o adicional de R$ 150 vai ser liberado?

O Ministro do Desenvolvimento Social, Wellington Dias (PT), afirmou recentemente que o governo deve começar a repassar o pagamento dos R$ 150 adicionais do Bolsa Família a partir de março de 2023.

Nesse sentido, é necessário concluir a atualização do Cadastro Único (CadÚnico), instrumento pelo qual o governo consegue fazer a triagem e identificação de famílias em situação de baixa renda, portanto aptas a receber o benefício.

De acordo com o ministro da pasta, existem cerca de 10 milhões de famílias em situação irregular e cadastradas no programa do Bolsa Família. Do total, uma parcela de 6 milhões de famílias são unipessoais, aquelas compostas apenas por um membro.

O Ministro Wellington Dias afirmou que já no próximo mês será possível apresentar uma proposta para o Bolsa Família, contando com a participação integrada dos municípios. Nesse sentido, de um lado muita gente de fora terá direito a entrar, e muita gente irregular sairá do programa.

Questiona-se, entretanto, se após o recadastramento, o orçamento do Bolsa Família poderia mudar. O ministro afirmou que existem mais famílias irregulares, que passarão a não receber o benefício, do que propriamente mais pessoas aptas a entrar na lista dos beneficiários. Caso essa previsão se confirme, o impacto fiscal do Bolsa Família não aumentaria.

O governo trabalha com a ideia de que é muito importante tirar o Brasil do mapa da fome, da pobreza e da insegurança alimentar. Dessa forma, os R$ 150 adicionais para cada criança de até seis anos e a manutenção do Bolsa Família em R$ 600, já foram garantidos desde a aprovação da PEC da Transição, aprovada pelo Congresso.

Motivos para o atraso

Logo após a posse do novo governo, dois motivos foram determinantes para o não pagamento imediato do adicional de R$ 150 do Bolsa Família.

Assim, o governo precisa esperar a reformulação do cadastro para regularizar famílias e excluir outras que estão recebendo de forma indevida o auxílio, além de uma medida provisória que será planejada pelo Ministério com o objetivo de fazer uma reestruturação do Bolsa Família.

Todavia, o texto desta medida provisória vai reunir todas as condições que são exigidas às famílias que desejam integrar o programa, como matrícula das crianças e adolescentes na escola e o cartão com as vacinas em dia.

O ministro Wellington Dias também afirmou que o governo buscará ativamente pessoas que possuem direito ao programa que não estão contempladas pelo Bolsa Família.

Leia também

você pode gostar também

Benefício de R$ 1,2 mil é pago para ESTE grupo de trabalhadores

Uma iniciativa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) garante a um grupo específico de trabalhadores um benefício de R$ 1,2 mil em parcela única. Saiba mais sobre o assunto.

Calendário Bolsa Família de Janeiro: veja todas as datas

O valor médio do Bolsa Família atualmente é de R$ 614,21; veja quem vai receber o pagamento nesta quinta-feira.

Aposentadoria INSS: veja quem terá as parcelas ainda nesta semana

Além da aposentadoria, o INSS também paga auxílio-doença e pensão aos segurados; confira o calendário de janeiro a seguir.

Prova de Vida: INSS terá 10 meses para provar que segurado está vivo

Saiu uma portaria que regulamenta os novos procedimentos necessários para realizar a prova de vida do INSS dos segurados.

Extrato da aposentadoria do INSS já pode ser consultado via app

Benefício recebeu reajuste, consequência da alta do salário mínimo, que passou a vigorar no começo de 2023.

Empresa é obrigada a pagar auxílio-creche para mães? Confira as regras

O auxílio-creche permite que mães tenham um lugar para deixar seus filhos enquanto trabalham. Contudo, muitos não sabem se a empresa é obrigada a pagar o auxílio às mulheres.