Fim do saque-aniversário do FGTS é objeto de amplo debate, diz ministro

No começo de janeiro, o Ministério do Trabalho e Emprego modificou as decisões recentes sobre o fim do saque-aniversário do FGTS para os brasileiros que aderiram a essa modalidade.

Após levantar a possibilidade do fim do saque-aniversário do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), o Ministério do Trabalho e Emprego recuou em sua decisão na última quinta-feira (5). Mais especificamente, o posicionamento partiu do ministro Luiz Marinho.

Através de postagem no Twitter, o representante da pasta garantiu que a modalidade “será objeto de amplo debate junto ao Conselho Curador do FGTS e com as centrais sindicais”. Saiba mais a seguir:

Em qual situação está o debate?

A princípio, a publicação de Marinho nas redes sociais afirmou que a preocupação da pasta é a proteção dos trabalhadores, em especial no caso de demissão. De acordo com o ministro, a prioridade no debate é resguardar os brasileiros e preservar a poupança desenvolvida ao longo dos anos.

Anteriormente, a primeira declaração sobre o fim do saque-aniversário do FGTS aconteceu em uma entrevista para o jornal O Globo, no dia 4 de janeiro. Diante da repercussão, a assessoria de imprensa do Ministério do Trabalho e Emprego confirmou que havia planos para executar a medida.

Com o recuo, espera-se que haja uma negociação entre as representações dos trabalhadores, a pasta e o próprio Conselho Curador. Sobretudo, a proposta é aperfeiçoar esse tipo de saque, a fim de contemplar um número maior de beneficiários e agir dentro do orçamento disponível.

Segundo informações da Caixa Econômica Federal, o saque-aniversário entrou em vigor em abril de 2020. Desde então, cerca de 28 milhões de trabalhadores aderiram a essa modalidade, retirando cerca de R$ 34 bilhões de suas contas do FGTS.

Em números específicos, estima-se que esse serviço movimente R$ 12 bilhões por ano. Entretanto, existem regras específicas que regulam como os trabalhadores podem acessar os saldos em suas contas ativas ou inativas.

Como funciona o saque-aniversário?

O saque-aniversário foi instituído no Brasil através da Lei número 13.932/2019. Neste sentido, permite que o trabalhador realize o saque parcial do saldo de sua conta do FGTS.

Porém, a movimentação dos valores está disponível uma vez ao ano, durante o mês do aniversário do titular. O saque fica disponível por três meses, a contar pelo primeiro dia útil do mês de nascimento do trabalhador.

Além disso, é diferente do saque-rescisão e possui natureza optativa. Sendo assim, o titular deve informar o desejo de mudar de modalidade para a Caixa Econômica Federal.

Assim, a legislação determina que o saque-aniversário atenda os trabalhadores demitidos somente com o valor referente à multa rescisória. Ou seja, sem acesso ao valor integral da conta.

Apesar disso, pode-se indicar o desejo de retornar à modalidade padrão a qualquer momento, por meio dos canais oficiais do FGTS. Atualmente, os serviços estão disponíveis pelo internet banking da Caixa Econômica, no site do FGTS e também pelo aplicativo, disponível para Android e iOS.

Em relação aos valores, há um limite de retirada calculado com base em um percentual do saldo da conta do trabalhador. Ou seja, quanto maior o saldo, menor a alíquota.

No entanto, há um acréscimo de uma parcela adicional. Basicamente, os valores determinados para o saque-aniversário seguem a relação:

  • Saldo de até R$ 500: saque de 50% das contas sem parcela adicional. Repasse total de até R$ 250;
  • Saldo de R$ 500,01 até R$ 1.000: saque de 40% mais parcela adicional de R$ 50. Repasse total de até R$ 450;
  • Saldo de R$ 1.000,01 até R$ 5.000: saque de 30% mais parcela adicional de R$ 150. Repasse total de até R$ 1.650;
  • Saldo de R$ 5.000,01 até R$ 10.000: saque de 20% mais parcela adicional de R$ 650. Repasse total de até R$ 2.650;
  • Saldo de R$ 10.000,01 até R$ 15.000: saque de 15% mais parcela adicional de R$ 1.150. Repasse total de até R$ 3.400;
  • Saldo de R$ 15.000,01 até R$ 20.000: saque de 10% mais parcela adicional de R$ 1,9 mil. Repasse total de até R$ 3.900;
  • Saldo acima de R$ 20.000: saque de 5% mais parcela adicional de R$ 2,9 mil. Repasse total de ao menos R$ 3.900.

Leia também

você pode gostar também

Calendário INSS inicia pagamentos para quem recebe acima de R$ 1.302

O calendário INSS para beneficiários que recebem valores acima de um salário mínimo já começou a ser pago. Confira as datas oficiais.

Caixa libera saque FGTS de até R$ 6,2 mil para ESTAS pessoas

A modalidade especial do saque FGTS que prevê o pagamento de até R$ 6,2 mil atende a um grupo específico. Além disso, possui critérios de elegibilidade para liberação dos valores vinculados ao fundo.

Projeto prevê bolsas de estudo para crianças e adolescentes

O Projeto de Lei Complementar em tramitação na Câmara dos Deputados pretende distribuir bolsas de estudo para crianças e adolescentes, mas existem regras específicas para o acesso.

Acompanhantes de PcD têm direito a desconto em passagens aéreas

Por enquanto, as pessoas com deficiência que não podem viajar sem acompanhante ainda dependem das decisões das empresas aéreas para os descontos nas passagens; veja detalhes.

Seguro-desemprego tem valores atualizados em 2023; saiba como pedir

Com o novo salário mínimo, os valores do seguro-desemprego foram atualizados para 2023. Veja aqui quais são eles e como pedir o benefício.

Aposentados do INSS têm direito a adicional de 25%; saiba em qual caso

Determinado grupo de aposentados do INSS tem direito a receber mensalmente o adicional de 25%. Saiba aqui se você tem esse direito e como solicitar.