Pessoas de baixa renda também podem contribuir com o INSS; veja como

Pessoas que passam a contribuir como facultativo de baixa renda também têm direito a vários benefícios do INSS.

As pessoas de baixa renda também podem contribuir com o INSS. Este procedimento é possível por meio do facultativo de baixa renda, que é uma forma de contribuição ao instituto com valor reduzido a 5% do salário mínimo. A modalidade, porém, é exclusiva para cidadãos de famílias de baixa renda, que devem cumprir outros requisitos.

Além da situação de baixa renda, os indivíduos que desejarem se tornar contribuintes devem se dedicar de forma exclusiva ao trabalho doméstico em sua residência, ou seja, donos de caso, sem ter renda própria.

Neste sentido, para contribuir com o facultativo, a pessoa não pode ter renda própria de nenhum tipo, o que inclui aluguel, pensão alimentícia, pensão por morte e outros valores. Também não é possível exercer atividade remunerada, dedicando-se apenas ao trabalho doméstico, como informado.

Em relação à renda familiar, o valor total deve ser de até dois salários mínimos; vale lembrar que o Auxílio Brasil, quando recebido, não entra em consideração para o cálculo da renda. Por fim, é crucial estar inscrito no Cadastro Único, com os dados atualizados a cada dois anos.

Como contribuir com o INSS no caso de pessoas de baixa renda

Os interessados em contribuir com o instituto devem gerar a Guia da Previdência Social no site ou aplicativo Meu INSS, clicando em Emitir Guia de Pagamento (GPS). Este processo também está disponível pelo portal Gov.br.

Para aqueles que preferirem, é possível baixar um carnê em uma papelaria e começar a contribuição, por meio do código de pagamento 1929. Este pagamento pode ser feito em qualquer banco ou casa lotérica de mais fácil acesso.

Pessoas que passam a contribuir como facultativo de baixa renda também têm direito a vários benefícios do INSS. São eles:

Para sanar outras dúvidas, basta ligar para a central de atendimento do instituto, por meio do telefone 135. Este serviço está disponível de segunda a sábado, das 7h às 22h.

Mais sobre a contribuição facultativa

Mesmo sem carteira assinada, este público em específico pode contribuir com R$ 60,60 por mês e ter os mesmos benefícios. Afinal, mesmo não exercendo uma atividade remunerada, o trabalho segue tendo grande importância para a família.

No INSS, cidadãos dedicados ao trabalho doméstico possuem o mesmo direito de se aposentar que qualquer outro trabalhador. Neste sentido, estas pessoas se enquadram na categoria de contribuintes facultativos, ou seja: não são obrigadas a contribuir com a Previdência Social, mas se desejado, podem fazê-lo.

Vale lembrar que a inscrição no CadÚnico é essencial neste processo. Para isso, é preciso comparecer a um Centro de Referência e Assistência Social (Cras) no município de residência.

Ao pagar 5% do salário mínimo, trabalhadores domésticos ganham direito a vários benefícios do INSS, incluindo a aposentadoria por idade. Além disso, a partir de 2023, a idade exigida para conceder esta aposentadoria será de 62 anos para mulheres e de 65 anos para homens, com tempo de contribuição mínimo de 15 anos para mulheres e 20 anos para homens.

Apesar desta ser a alíquota para domésticos (5%), existem ainda quantias para trabalhadores avulsos, contribuintes individuais e domésticos que não se encaixam na condição de baixa renda. Estes cidadãos podem contribuir com 7,5%, 9%, 12% ou 14% do salário mínimo.

Neste caso, os segurados podem receber todos os benefícios da Previdência, menos a aposentadoria por tempo de contribuição. Para isso, é preciso recolher 14% sobre a remuneração entre o salário mínimo e o teto da Previdência, atualmente de R$ 7.087,22.

Leia também

você pode gostar também

Calendário INSS inicia pagamentos para quem recebe acima de R$ 1.302

O calendário INSS para beneficiários que recebem valores acima de um salário mínimo já começou a ser pago. Confira as datas oficiais.

Caixa libera saque FGTS de até R$ 6,2 mil para ESTAS pessoas

A modalidade especial do saque FGTS que prevê o pagamento de até R$ 6,2 mil atende a um grupo específico. Além disso, possui critérios de elegibilidade para liberação dos valores vinculados ao fundo.

Projeto prevê bolsas de estudo para crianças e adolescentes

O Projeto de Lei Complementar em tramitação na Câmara dos Deputados pretende distribuir bolsas de estudo para crianças e adolescentes, mas existem regras específicas para o acesso.

Acompanhantes de PcD têm direito a desconto em passagens aéreas

Por enquanto, as pessoas com deficiência que não podem viajar sem acompanhante ainda dependem das decisões das empresas aéreas para os descontos nas passagens; veja detalhes.

Seguro-desemprego tem valores atualizados em 2023; saiba como pedir

Com o novo salário mínimo, os valores do seguro-desemprego foram atualizados para 2023. Veja aqui quais são eles e como pedir o benefício.

Aposentados do INSS têm direito a adicional de 25%; saiba em qual caso

Determinado grupo de aposentados do INSS tem direito a receber mensalmente o adicional de 25%. Saiba aqui se você tem esse direito e como solicitar.