Calendário do abono PIS/Pasep 2022 já foi liberado? Confira o que se sabe

Abono PIS/Pasep 2022 pode ser pago em dobro. Benefício é destinado aos profissionais que recebem, no máximo, dois salários mínimos.

O abono salarial do PIS/Pasep é um direito pago todos os anos aos trabalhadores de carteira assinada que recebem até dois salários mínimos. Em 2021, no entanto, os valores não foram repassados aos beneficiários, que devem ser pagos no ano que vem. Será que o calendário do abono PIS/Pasep 2022 já está disponível?

Há a expectativa de que no próximo ano sejam pagos dois lotes do abono PIS/Pasep. Um referente ao ano-base de 2020 e o outro a 2021.

Calendário do abono PIS/Pasep 2022

O governo federal ainda não sinalizou como será pago o abono do PIS/Pasep 2022. Alguns rumores, no entanto, apontam que os pagamentos possam começar a ser realizados no mês de janeiro ou fevereiro de 2022.

Existe a expectativa de que o PIS/Pasep seja pago duas vezes no ano de 2022. É que devido ao remanejamento orçamentário, o governo federal não realizou os pagamentos do ano-base de 2020, acumulando dois possíveis benefícios para o próximo ano.

O abono salarial PIS/Pasep é destinado aos trabalhadores formais de órgãos públicos ou da iniciativa privada, que estejam inseridos nas seguintes regras:

  • Inscrição no PIS ou Pasep há, pelo menos, cinco anos;
  • Devem ter trabalhado, no mínimo, 30 dias no ano-base;
  • Ter ganhos mensais de até dois salários mínimos no período;
  • Ter registro na RAIS (Relação Anual de Informações Sociais).

Correção do mínimo vai impactar no benefício

Os benefícios sociais pagos pelo governo federal utilizam como base o salário mínimo vigente. Atualmente, a projeção é de que o INPC, que define a correção do mínimo, termine em 10,04%.

O salário mínimo em 2021 é de R$ 1.100,00 e, conforme expectativas da inflação, poderá chegar a R$ 1.210,44. Caso o salário mínimo em 2022 tenha esse valor, o PIS/Pasep deve realizar pagamentos da seguinte maneira:

  • R$ 100,87 para quem trabalhou por um mês;
  • R$ 201,74 para quem trabalhou durante dois meses;
  • R$ 302,61 para quem trabalhou por três meses;
  • R$ 403,48 para aqueles que trabalharam por quatro meses;
  • R$ 504,35 para quem trabalhou por cinco meses;
  • R$ 605,22 para quem trabalhou por seis meses;
  • R$ 706,09 para aqueles que trabalharam por sete meses;
  • R$ 806,96 para aqueles que trabalharam por oito meses;
  • R$ 907,83 para quem trabalhou por nove meses;
  • R$ 1.008,70 para quem trabalhou por dez meses;
  • R$ 1.109,57 para aqueles que trabalharam por onze meses;
  • R$ 1.210,44 para quem trabalhou por doze meses.

Leia também

você pode gostar também