Seguro-desemprego terá reajuste em 2022? Confira a previsão das parcelas

O seguro-desemprego 2022 deverá ser corrigido conforme a inflação, pois o benefício é pago com base no valor do salário mínimo.

Com a correção baseada no índice da inflação, o seguro-desemprego 2022 deverá ser reajustado. O valor do benefício, assim como a maioria dos outros, tem como base o salário mínimo, que tem previsão de reajuste de 10,04% para o próximo ano.

O índice da inflação vem subindo constantemente a cada mês. O Ministério da Economia previa, no início do ano, que a inflação ficaria em 6,9%. Contudo, já passou para 8,4% e depois para 9,1%. Agora, após sucessivos aumentos, a nova previsão chegou a 10,04%.

Seguro-desemprego 2022: quem tem direito?

O seguro-desemprego é um benefício concedido ao trabalhador demitido sem justa causa, desde que tenha carteira assinada. Os pagamentos variam entre três e cinco parcelas mensais.

Para receber o benefício, o solicitante deve atender a algumas circunstâncias:

  • Não possuir fonte de renda para manter a família;
  • Ter trabalhado formalmente entre seis e 12 meses;
  • Não receber Benefício Previdenciário Contínuo – BPC (exceção do auxílio suplementar, abono de permanência em serviço e auxílio-acidente).

Os valores serão proporcionais à remuneração que a pessoa recebia antes de ser demitida, lembando que a base é um salário mínimo.

Valores do seguro-desemprego 2022

É importante destacar que atualmente o que existem são projeções quanto ao salário mínimo. Em 2021, o seguro desemprego tem como valor mínimo R$ 1.100,00 e o teto corresponde a R$ 1.911,84.

A expectativa do seguro-desemprego em 2022 é um aumento de 10,04%, conforme projeção da inflação. O mínimo, de acordo com essa projeção, será de R$ 1.210,44 e o teto pode chegar a R$ 2.100,00.

Conforme previsão do governo federal para o orçamento de 2022, a estimativa é de que 8,2 milhões de brasileiros sejam demitidos sem justa causa e pedirão o seguro-desemprego em 2022. Esse valor corresponderá a mais de 41 bilhões dos cofres públicos, podendo ser ampliado conforme a inflação.

Leia também

você pode gostar também