Deepfake: 5 formas simples de detectar se uma imagem é feita por IA

A inteligência artificial (IA) continua evoluindo, mas ainda apresenta erros que nos permitem identificar o conteúdo gerado ou manipulado com ela.

Com o avanço das ferramentas de Inteligência Artificial (IA), muitas imagens falsas (deepfakes) são divulgadas como verdadeiras nas redes sociais.

continua depois da publicidade

Exemplos incluem imagens geradas por IA de figuras públicas, como aquela do Papa Francisco vestindo um casaco da marca Balenciaga.

A dificuldade dos especialistas em identificar essas diferenças levanta questões sobre como o público pode distinguir entre conteúdos autênticos e arquivos criados por essa tecnologia.

Para evitar desinformação, existem algumas formas simples de detectar se uma imagem é feita por IA. Veja a seguir.

continua depois da publicidade
Leia também

5 formas simples de detectar se uma imagem é feita por IA

1. Encontre a fonte original da imagem

Antes de compartilhar uma imagem em plataformas sociais, é fundamental verificar sua procedência, identificando a fonte original e o autor, seja um fotógrafo reconhecido, uma agência de notícias ou uma fonte anônima.

Caso a origem da imagem não seja clara, utilize ferramentas de busca reversa como Google Images, TinEye ou Yandex para rastrear publicações anteriores e verificar se a imagem foi confirmada por veículos de comunicação confiáveis que oferecem contexto.

continua depois da publicidade

Note que alguns softwares de IA, como o DALL-E, inserem marcas d'água discretas, normalmente um conjunto de cinco quadrados coloridos no canto da imagem.

Embora essas marcas possam ser removidas por usuários, é importante estar atento a outros indicativos de autenticidade.

2. Atente-se aos detalhes

Uma das falhas comuns em imagens geradas por IA de seres humanos são as mãos.

Por isso, você deve verificar se têm cinco dedos, se a posição é anatomicamente correta, e se a maneira como seguram objetos é natural e se, ao imitar a ação, o objeto permaneceria estável.

continua depois da publicidade

Essas verificações ajudam a identificar se uma imagem é genuína. Os olhos também são um desafio para as IAs, frequentemente aparecendo borrados, com expressões estranhas ou formas irregulares.

Inconsistências nos reflexos ou sombras de óculos podem ser indicativos de uma imagem gerada por IA. Além disso, rostos e texturas da pele podem ter um aspecto artificial.

Finalmente, erros de simetria e morfologia em orelhas, dentes e cabelos, especialmente quando não são o foco principal da imagem, podem sugerir uma origem digital.

3. Considere o contexto

Ao avaliar uma imagem para determinar se foi gerada por inteligência artificial, é essencial observar não apenas o sujeito principal, mas também o cenário ao redor.

Verifique se as placas em uma foto de rua estão claras ou desfocadas e se correspondem à localização real da cena.

A tecnologia atual pode falhar em detalhes como esses, que podem ser usados para verificar a autenticidade da imagem.

Além disso, é importante analisar as proporções entre pessoas e objetos retratados. A IA pode criar composições com proporções descoordenadas, onde o tamanho das partes difere do que é esperado na realidade.

4. Analise textos se houver

No caso de imagens que possuem textos em placas, etiquetas, anúncios ou cartazes, é importante examinar esses elementos cuidadosamente.

Textos gerados por IA podem ter aparência pixelada ou distorcida. Verifique também a autenticidade de logotipos para identificar alterações. Tais características podem revelar se a foto foi gerada digitalmente.

Se o texto for ilógico, descontextualizado ou incluir frases atípicas para um humano, é provável que a imagem seja feita por IA.

5. Desconfie da perfeição

A perfeição exagerada em imagens pode ser um indicativo de que não são reais. Em caso de imagens de pessoas, se os rostos apresentarem uma perfeição inatingível, sem poros ou manchas, provavelmente foram criados por IA.

Deepfakes gerados por IA costumam exibir um brilho artificial, resultante de um efeito que suaviza a pele excessivamente.

Mesmo em um ambiente online repleto de filtros, imagens feitas por essa tecnologia tendem a ter uma aparência tão irreal que se torna perceptível se olharmos mais a fundo.

Compartilhe esse artigo

Leia também

Concursos em sua
cidade