Afinal, para que realmente serve o Horário de Verão?

No Brasil, o Horário de Verão envolve adiantar o relógio em uma hora a cada início de outubro até o final de fevereiro de cada ano.

Milhões de brasileiros já estavam acostumados a mudar as horas de seus relógios em uma determinada época do ano para coincidir com o famoso Horário de Verão.

No entanto, nos últimos anos, o governo federal indicou que esse tipo de organização do tempo não seria mais adotado, o que levou muitas pessoas a se perguntarem para que serve o Horário de Verão. Confira como surgiu e qual a sua função a seguir.

Como surgiu o Horário de Verão?

A ideia da mudança de horário foi sugerida pela primeira vez pelo cientista e diplomata americano Benjamin Franklin no século 18. Mas só foi implementado no século 20, quando o construtor inglês William Willett propôs a criação do Horário de Verão para que os londrinos pudessem aproveitar mais horas de luz do dia. Porém, foi a Alemanha que colocou a teoria em prática na Primeira Guerra Mundial.

Em 30 de abril de 1916, Guillermo II decretou um Horário de Verão para economizar combustível, também entre seus aliados e nas áreas ocupadas. Atualmente todo o continente o aplica, exceto o território europeu da Rússia e da Turquia.

Os Estados Unidos também o fazem, embora em datas diferentes e com exceções. Na América Latina, vários países tentaram as modificações do cronograma, mas poucos o mantiveram até os dias atuais.

Na África houve tentativas de implementação, mas hoje não é aplicado. Inclusive, menos de 40% dos países do mundo ajustam a hora, embora mais de 140 tenham aplicado o Horário de Verão em algum momento no passado.

Para que serve o Horário de Verão?

A ideia por trás da mudança do relógio é aproveitar a luz solar no hemisfério norte. Com efeito, a principal função do Horário de Verão é diminuir a sobrecarga do consumo de energia elétrica durante alguns picos diários, por exemplo, no final da tarde, quando muitas pessoas retornam do trabalho, ocasionando um maior uso de equipamentos elétricos.

Antes da suspensão do Horário de Verão, no Brasil, as pessoas adiantavam os relógios em uma hora no mês de outubro e seguiam nesse ritmo até o terceiro domingo do mês de fevereiro.

Quando esse sistema foi implantado no país?

Em nosso país, o Horário de Verão foi implantado em 3 de outubro de 1931 no governo do presidente Getúlio Vargas. Seu objetivo era reduzir o consumo de energia elétrica no horário entre 18 e 20 horas.

Desse modo, o primeiro Horário de Verão do Brasil durou quase seis meses, voltando ao normal somente em 31 de março do ano posterior.

Contudo, o sistema não ficou em vigor por muito tempo, sendo adotado novamente em 1949 e permanecendo até 1953, durante os governos de Eurico Gaspar Dutra e novamente de Getúlio Vargas.

O Horário de Verão também ocorreu de 1963 até 1968, sendo novamente suspenso em 1969 e retornando em 1985, durante o governo de José Sarney. Em 1988, as unidades federativas do Acre, Amapá, Pará, Roraima, Rondônia e Amapá ficaram de fora do decreto de reativação da mudança de horário, devido a sua localização próximo à linha do Equador.

De lá para cá, esse sistema foi aplicado todos os anos em parte do Brasil, sendo finalmente regulamentado pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2008.

Contudo, em 2019, o presidente Jair Bolsonaro assinou um novo decreto que colocava fim na aplicação do Horário de Verão nos 11 estados brasileiros em que ele acontecia.

Leia também

você pode gostar também

Conheça 9 profissões que não precisam de diploma

Não pôde concluir os estudos e vai começar a procurar emprego? Conheça nove profissões que não precisam de diploma e que costumam ter uma grande demanda.

Saiba como aumentar sua produtividade em 7 passos

Procura uma forma de aumentar a produtividade nos estudos para as provas do concurso? Fique por dentro de sete dicas incríveis e turbine as suas chances de aprovação.

Síndrome de Burnout: qual é a causa? Descubra como evitar

A Síndrome de Burnout é um distúrbio emocional relacionado com o excesso de trabalho, sendo considerada uma doença ocupacional por especialistas da área de saúde.

9 profissões com bons salários que não exigem nível médio

Sempre sonhou em ganhar bem, mas não quis levar os estudos adiante? Conheça nove profissões com bons salários que não exigem nível médio.

9 informações que não precisam ser citadas em seu currículo

Vai começar a procurar emprego e quer aumentar as chances de ser convocado para um processo seletivo? Então, conheça nove informações que não precisam ser citadas no currículo.

5 profissões que pagam bem e têm vagas sobrando

As profissões que pagam bem e têm vagas sobrando saem das carreiras tradicionais por acompanharem as inovações no mercado de trabalho. Porém, existem requisitos para ocupar os cargos dessa lista.