Veja 5 padrões de comportamento de pessoas altamente inteligentes

Conheça os cinco padrões de comportamento de pessoas altamente inteligentes e faça a sua carreira profissional decolar.

Qual são as principais qualidades que definem uma pessoa inteligente? Aquela que só tira a nota máxima na escola ou na faculdade, que tem o estereótipo de “nerd” ou que aprende de forma rápida apenas fazendo uma leitura dinâmica, certo? Errado. A inteligência humana vai muito além do domínio do conhecimento e está muito mais ligada às questões comportamentais. Por isso, conheça os cinco padrões de comportamento de pessoas altamente inteligentes. Você vai se surpreender.

Leia também

Confira atitudes de pessoas extremamente inteligentes

1) Elas são eternas questionadoras

Esse é um dos padrões de comportamento de pessoas inteligentes mais interessantes. Elas são questionadoras natas de praticamente todas as coisas.

Se você se deparar com questionamentos do tipo “Qual o sentido da vida”?, “Será que existe a cura para o câncer”? ou “Como eu posso me conhecer melhor”?, é bastante provável que você esteja diante de uma pessoa altamente inteligente.

O curioso é que elas sempre questionam a ordem das coisas ou dos acontecimentos e quais os motivos que aquilo deve ser feito (seja dessa ou daquela maneira). Pelo fato de terem uma curiosidade aguçada, pessoas inteligentes sempre se questionam sobre aquilo que as outras ainda não tiveram o interesse de saber ou conhecer.

2) Inteligência emocional aguçada

As chances de nos deparamos por aí com uma pessoa inteligente com os nervos à flor da pele ou com um altíssimo nível de estresse, mesmo diante de situações em que qualquer um poderia surtar, são mínimas. Isso porque um indivíduo altamente inteligente tem a inteligência emocional bem desenvolvida no dia a dia.

Ou seja, ele tem autoconhecimento suficiente para sabe lidar com suas emoções, até em cenários totalmente adversos. E quanto temos a nossa inteligência emocional bem desenvolvida, conseguimos conviver em harmonia com os outros, além de ter um maior nível de empatia.

Saber controlar as nossas emoções se traduz em ter atitudes inteligentes e lidar com consequências mais favoráveis.

3) Preocupação constante com o futuro

Esse é outro dos padrões de comportamento de pessoas inteligentes. Você sabia que indivíduos que se preocupam (com as incertezas do amanhã, por exemplo) com uma maior frequência têm níveis altos de inteligência? É verdade.

Seja pelo maior senso de responsabilidade ou por qualquer outro motivo, a questão é que pessoas altamente inteligentes tendem a se preocupar mais.

Isso tem uma explicação óbvia: como o futuro é incerto para todos nós, os mais inteligentes sentem, mesmo que seja de forma precoce, a necessidade de se precaverem contra os possíveis contratempos que poderão surgir.

Ou seja, em vez de manter o foco somente no hoje ou em momentos sociais (que também devem existir, diga-se de passagem), indivíduos altamente inteligentes têm uma preocupação constante com o futuro, já que precisam estar preparados, em todos os aspectos.

4) Bom humor nas alturas

Esse é um dos padrões de comportamento de pessoas inteligentes que muito provavelmente você não conhecia. Indivíduos com um maior nível de inteligência costumam ser mais bem-humorados no dia a dia, mesmo diante de situações delicadas.

Isso tem uma explicação sensata: eles têm uma perspectiva muito mais positiva sobre a vida e entendem que problemas e dificuldades são passageiros.

Dessa forma, pessoas altamente inteligentes sabem que não adianta manter uma visão pessimista sobre o mundo, já que os pensamentos negativos perturbam a mente e trazem uma grande instabilidade emocional. Por isso, preferem manter o bom humor nas alturas e, por consequência, uma boa saúde mental. E isso faz todo sentido, certo?

5) Elas buscam por “mentores reversos”

Pessoas inteligentes buscam conhecimento através de várias formas. Mas elas conseguem ir além e também procuram absorver a sabedoria alheia, já que têm maturidade suficiente para reconhecer que não sabem tudo sobre tudo.

Elas acreditam que é possível aprender com pessoas mais jovens, com menos experiência de vida e até com um nível escolar mais baixo.

Esses mentores reversos também podem ensinar bastante. Por isso, pessoas inteligentes acreditam que é possível tirar um bom proveito do conhecimento dos outros, que não se refere somente a assuntos complexos ou pouco explorados, mas sim de algo que seja corriqueiro, como se familiarizar com um novo tipo de tecnologia, por exemplo. Quem tem um alto nível de inteligência procura estreitar o relacionamento com os seus mentores reversos.

Está vendo como os padrões de comportamento de pessoas inteligentes não se restringem somente ao conhecimento em si? É claro que não podemos negligenciá-lo, mas a definição de inteligência vai além do que podemos imaginar.

Leia também


você pode gostar também

7 grandes filmes da Netflix que podem transformar a sua vida

Anda meio sem motivação para prosseguir com os estudos para as provas do concurso? Conheça sete filmes da Netflix que podem te inspirar.

Tem inglês fluente? Veja 5 profissões ideais para você e que pagam bem

Se você domina bem a língua inglesa, conheça cinco profissões que exigem inglês fluente e que pagam bem.

Dias contados: estes 11 carros vão SAIR de linha a partir de 2023

Os carros que vão sair de linha a partir de 2023 incluem modelos populares e de grande adesão dos brasileiros, como é o caso do Volkswagen Gol e do Fiat Uno.

Garçonete recebe gorjeta de R$ 15,5 mil e chora de tristeza depois. Saiba o motivo

Esta gorjeta acabou indo parar nas barras dos tribunais e envolve a garçonete, o cliente e o restaurante. Confira a matéria completa!

Concurso INSS: qual a nota mínima para ser aprovado nas provas?

As regras e normas do concurso INSS estão previstas no edital, onde os candidatos podem acessar as informações sobre qual a nota mínima para ser aprovado nas provas objetivas.

Pensão alimentícia: definição, principais regras e novas mudanças

Está estudando para um disputado certame da área jurídica? Conheça as particularidades da pensão alimentícia, que faz parte do conteúdo programático de vários editais.