Sinais de ansiedade no corpo: veja 18 sintomas comuns que merecem atenção

Desde tensão muscular até taquicardia e preocupação excessiva, a ansiedade se torna um problema quando começa a aparecer em níveis exagerados, prejudicando o organismo.

A princípio, a ansiedade consiste em um dos sintomas comuns do organismo, como resposta aos sinais de perigo e insegurança. É um instinto fundamental à sobrevivência, pois prepara o corpo para fugir e se proteger. No entanto, o problema começa quando essa reação ocorre de maneira desequilibrada.

Leia também

De acordo com a Psicóloga Hospitalar Ketlin Monteiro, um certo grau de ansiedade é esperado, mas pode sair do controle. “A ansiedade passa a ser considerada um transtorno psiquiátrico quando sua intensidade, duração ou frequência se tornam desproporcionais e causam sofrimento e prejuízo para o sujeito.”, explica a profissional.

Mas como identificar o momento em que uma reação natural se torna uma patologia? Segundo Ketlin Monteiro, isso acontece quando a ansiedade se torna uma emoção desagradável e incômoda, aparecendo sem nenhum estímulo externo que possa demandar esse instinto. Confira a seguir quais são os sinais mais comuns:

Quais são os sinais de ansiedade mais comuns no corpo?

sinais de ansiedade
Foto: Reprodução / Pexels

No geral, a ansiedade gera uma série de sintomas físicos e mentais que variam de acordo com o grau de estresse, assim como pelo motivo. Nos casos de uma prova ou realização de um concurso público, por exemplo, é comum sentir o coração acelerar e o estômago doer um pouco.

Em contrapartida, quando se trata de uma apresentação em público, o indivíduo pode se sentir tonto, com as mãos trêmulas e falta de firmeza nas pernas. De acordo com a psicóloga Ketlin Monteiro, os sintomas mais comuns são:

  1. Tensão muscular;
  2. Dor;
  3. Fadiga;
  4. Cefaleia;
  5. Queimação no estômago;
  6. Taquicardia;
  7. Tontura;
  8. Formigamento;
  9. Sudorese fria;
  10. Insônia;
  11. Dificuldade de concentração;
  12. Preocupação excessiva;
  13. Hipervigilância;
  14. Irritabilidade aumentada;
  15. Tensão subjetiva;
  16. Preocupações difusas;
  17. Apreensão e temor pelo pior;
  18. Preocupações de difícil controle.

Em alguns quadros, como o Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG), essas reações e sintomas podem se apresentar de forma constante e permanente, ou então em momentos específicos, durante crises de ansiedade abruptas e intensas. Como consequência, há um enfraquecimento da saúde física.

Basicamente, a descarga constante de adrenalina causada pela ansiedade pode desequilibrar o organismo a longo prazo, de modo que as reações se tornem verdadeiros sintomas. Neste sentido, a taquicardia e a tontura podem desencadear doenças cardiovasculares mais graves, como arritmia, hipertensão ou hipoglicemia.

Sendo assim, é fundamental não somente lidar com os sintomas e consequências, como também investigar a causa para a ansiedade excessiva. Somente assim é possível prevenir doenças crônicas e também contornar o quadro patológico da ansiedade, regulando esse sentimento aos níveis comuns.

Como lidar com os sinais da ansiedade?

Segundo a psicóloga Ketlin Monteiro, a forma de lidar com a ansiedade depende da sua origem, assim como a intensidade e frequência dos sintomas ansiosos.

“Enquanto uma resposta natural do organismo frente às demandas do ambiente, precisaremos sempre lidar com a ansiedade ao longo da vida. Contudo, quando causa sofrimento psíquico e prejuízo ao indivíduo entramos no campo da psicopatologia e o tido “controle” da ansiedade pode ser mais difícil”, afirma a profissional.

No caso das psicopatologias, existem algumas práticas que podem ajudar no manejo dos sentimentos associados à ansiedade, mas é necessário que elas acompanhem o tratamento adequado. Seja por meio da psicoterapia, aliada ou não com remédios psiquiátricos, é importante que o indivíduo reconheça quando precisa de ajuda médica.

Felizmente, a Psicologia possui diversas escolas e abordagens que atendem às diferentes necessidades e quadros patológicos. No entanto, quanto mais cedo o indivíduo optar pelo acompanhamento melhor, pois assim fica mais fácil investigar as origens e resolver os conflitos associados à ansiedade em desequilíbrio.

Em todos os casos, práticas cotidianas como técnicas de controle respiratório, meditação, ioga e a prática de exercícios físicos podem auxiliar no desenvolvimento de estratégias de manejo das crises de ansiedade.

Assim, torna-se possível conviver com os sentimentos e sintomas, mas também aprender a manter a ansiedade num nível adequado.

Leia também


você pode gostar também

Estas 7 leis Bizarras já existiram no Brasil; a 5ª é surpreendente

As leis mais estranhas são de autoria das Câmaras Municipais de Vereadores pelo Brasil, onde costuma ter uma aprovação mais fácil.

9 livros emocionantes que vão te deixar inspirado e mais otimista

Precisa de um pouco mais de inspiração e otimismo na sua rotina de preparação para as provas do concurso? Conheça nove livros emocionantes.

Consegue responder? Veja as 5 adivinhas mais DIFÍCEIS do mundo

Se você gosta de desafios, uma boa maneira de se divertir e exercitar o raciocínio ao mesmo tempo é por meio de adivinhas difíceis.

9 coisas que você precisa fazer todo dia para ficar ainda mais inteligente

As coisas que você precisa fazer todo dia para ficar ainda mais inteligente envolvem mudanças na sua rotina para exercitar as habilidades associadas a essa capacidade.

Eleições 2022: posso votar de bermuda e chinelo?

De acordo com as questões estabelecidas pelo TSE, é preciso cumprir determinadas regras no dia de votação com relação às vestimentas. Descubra se é possível votar de bermuda, entre outros detalhes.

Precisa estudar o Código Civil? Advogada lista dicas que ajudam

O Código Civil é um dos conteúdos mais cobrados dentro da matéria de Direito Civil, que possui diversas ramificações.