Salário está atrasado? Veja quais são os seus direitos

O pagamento do salário mensal, quinzenal ou semanal é estabelecido por meio do contrato de trabalho, mas possui o respaldo das leis trabalhistas e também dos direitos civis.

No geral, o pagamento do salário consiste em uma das principais obrigações dos empregadores, previstas no contrato de trabalho e também resguardada pela legislação. É através da remuneração obtida pela prestação de serviço que o profissional consegue obter os bens básicos, como alimentação, saúde, moradia e outras necessidades.

Como consequência, o Direito do Trabalho estabelece um conjunto de regras para resguardar o trabalhador do atraso salarial, além de garantir que ele possa reivindicar esse direito na empresa. Mas o que fazer quando o salário está atrasado? Confira a seguir.

Quais são as regras vigentes?

No geral, a Consolidação das Leis de Trabalho (CLT) estabelece o atraso salarial como um dano ao direito da personalidade do trabalhador, de modo que o impeça de honrar com os compromissos assumidos e a continuidade da função de provedor da família. No entanto, essas regras não possuem a mesma aplicação para aqueles que trabalham como pessoa jurídica ou Microempreendedores Individuais.

Por via de regra, o salário mensal deve ser pago até o quinto dia útil do mês seguinte ao último pagamento, como uma espécie de data de vencimento. No caso do salário quinzenal ou semanal, o pagamento acontece no quinto dia útil subsequente ao encerramento da quinzena ou da semana.

Antes de mais nada, é fundamental que essas regras estejam expostas e transparentes nos contratos assinados entre as partes, incluindo desde o valor do serviço até a forma de pagamento, data de vencimento e descrição das atividades.

Assim, tanto o empregador quanto o empregado conseguem ter um respaldo legal e um documento comprovando as condições estabelecidas para a realização da atividade profissional.

O que acontece quando o salário está atrasado?

Caso essa norma não seja respeitada, o salário deverá ser corrigido monetariamente. Segundo o Tribunal Superior do Trabalho, há também a incidência de uma multa de 10% sobre o valor do salário devido, dentro do período de 20 dias no atraso do pagamento, e de 5% por dia no período seguinte.

Entretanto, se houver convenção ou acordo coletivo para prever a aplicação da multa em um valor superior, o que prevalece é o estabelecido por essas vias. Além das multas, a empresa pode receber outras punições pelos órgãos de fiscalização do trabalho. Porém, nesses casos a multa é revertida para os cofres públicos, e não para o trabalhador.

Se o atraso no salário for reiterado, o profissional pode considerar o contrato de trabalho rescindido e solicitar todas as verbas rescisórias elegíveis em casos de demissão sem justa causa.

Apesar da legislação trabalhista não determinar um período mínimo de atraso para considerar a rescisão como vigente, os Tribunais Regionais do Trabalho estabelecem dois meses de atraso salarial como suficiente.

Nos casos em que o atraso salarial cause um prejuízo maior ao empregado, como a negativação do CPF em decorrência do atraso de pagamento ou diante da venda de produtos pessoais para o pagamento de contas básicas é possível solicitar uma indenização da empresa. Neste caso, a indenização por danos morais é somada às multas e ao valor devido pelo empregador.

Em última instância, a empresa pode passar por uma autuação fiscal realizada diretamente pelo Ministério do Trabalho.

Leia também


você pode gostar também

Validade de concursos: como esse prazo afeta os concurseiros?

Entenda como funciona a validade de concursos públicos e saiba como esse prazo afeta a vida de todo concurseiro aprovado.

Estas 5 profissões antigas voltaram à moda no país e ganharam relevância

Conheça cinco profissões antigas que voltaram a ganhar espaço e relevância no mercado de trabalho brasileiro.

Concurso INSS: veja 5 dicas infalíveis para aplicar durante os estudos

As dicas infalíveis para aplicar durante os estudos do concurso INSS permitem que o concurseiro tenha mais organização nas etapas de aprendizagem e revisão do conteúdo.

Veja 5 coisas que você não pode colocar no seu currículo em 2022

Está procurando emprego? Saiba o que não colocar no currículo em 2022 e aumente as chances de ser convocado para uma entrevista.

5 profissões que pagam bem aos que desejam ter jornada de 20 horas semanais

Se você sempre sonhou em ter um alto salário mas sem trabalhar demais, conheça cinco profissões que pagam bem e trabalham pouco.

Profissões de Humanas: veja os 5 cargos mais bem pagos do Brasil

Sonha em começar uma carreira que paga um alto salário? Conheça cinco profissões de Humanas que podem transformar isso em realidade.