Saiba como funciona a Carteira de Trabalho Digital

O aplicativo diminui a burocracia da contratação para o empregador, e também oferece a possibilidade de consulta aos contratos profissionais e benefícios.

A Carteira de Trabalho Digital, ou CTPS Digital, é um aplicativo do Governo Federal que permite a emissão e manutenção do documento através do celular. Disponível para Android e iOS, as funcionalidades permitem que o trabalhador consulte contratos de trabalho, desde os atuais até os antigos, e acesse os benefícios profissionais, incluindo desde o abono salarial até os valores previstos pelo INSS.

Os trabalhadores que não tiverem o aplicativo disponível no aparelho, podem acessar pela internet, através do portal de serviços do Governo Federal. Com o cadastro, é possível utilizar as funcionalidades disponíveis, assim como os canais de atendimento ao trabalhador.

Para realizar o cadastro, basta utilizar as informações no sistema do Gov.br, tendo como base a inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) do Governo Federal, em caso de dúvidas, o Emprega Brasil oferece um passo a passo para realizar esse procedimento.

Com lançamento em 2017, o documento digital passou a substituir o documento físico a partir da Portaria nº 1065, publicada em setembro de 2019. Sendo assim, a Carteira de Trabalho física não é mais obrigatória para a contratação em alguns casos, mas a versão digital não é aceita para identificação civil.

A partir do CPF do trabalhador, é possível que o empregador consulte as informações digitalmente para emissão do contrato. Porém, a contratação por órgãos públicos e organismos internacionais precisam utilizar a versão impressa.

No entanto, a orientação do Ministério do Trabalho é que se mantenha o documento impresso como garantia, e também por razões de segurança. Através da versão anterior, é possível comprovar o tempo de trabalho e as anotações pertinentes a essa experiência.

Como emitir a Carteira de Trabalho Digital?

Em primeiro lugar, é preciso baixar o aplicativo na loja do seu celular. Logo em seguida, siga aos passos:

1. Abra o aplicativo e toque no botão “Entrar”;
2. Utilize suas informações no sistema do Gov.br, através do CPF e senha;
3. Caso não tenha informações registradas, clique em “Criar sua conta” e selecione uma das opções de cadastro;
4. A partir da sua conta, acesse a CTPS Digital dentro do menu;
5. Autorize o aplicativo a utilizar seus dados pessoais tocando em “Autorizar”;
6. Aguarde a sincronização das informações e utilize as funcionalidades disponíveis.

Entre as funcionalidades, existe a opção de criar um PDF com os dados no aplicativo para imprimir ou mandar para os empregadores. Através da aba “Enviar” é possível selecionar informações específicas ou incluir todos os dados. A CTPS Digital disponibiliza o download em PDF, o armazenamento na nuvem ou envio por meio de outros aplicativos.

No geral, o processo acontece de maneira instantânea e gratuita, sem tempo de espera ou burocracias como acontecia no procedimento anterior de emissão da Carteira de Trabalho física. Porém, caso o trabalhador identifique disparidades nas informações do aplicativo é possível recorrer ao empregador atual para corrigi-las no sistema do eSocial.

Com o cadastro, o número de identificação da Carteira de Trabalho Digital é o número de CPF. Se o cidadão não conseguir realizar o cadastro ou tiver dificuldades em acessar o aplicativo por problemas com o sistema do Gov.br, é possível solicitar atendimento através do Portal de Serviços.

Como funciona para o empregador?

Em primeiro lugar, as empresas passam a utilizar das informações previstas no e-Social para contratações, demissões e manutenção cadastral. Desse modo, o sistema prevê menos burocracia e dificuldade no processo, pois há mais autonomia para os empregadores.

Sendo assim, não há multas para os empregadores que não solicitarem a Carteira de Trabalho física para contratação. No geral, deve-se ficar atento com o prazo de envio das informações relacionadas à contratação.

O trabalhador consegue acessar o contrato no aplicativo após 48 horas depois do envio das informações do empregador. No entanto, é função da empresa corrigir eventuais erros para evitar problemas no cadastro.

O sistema não prevê prazos específicos para correção, de modo que possam ser feitos a qualquer momento. Apesar disso, é importante manter uma revisão periódica para evitar punições previstas por lei, bem como requisitar atualizações assim que notar disparidades.

Por fim, o eSocial prevê utilização tanto pelo empregador quanto por um procurador, desde que este esteja habilitado devidamente no sistema. Dessa maneira, contadores ou representantes da companhia podem realizar esses procedimentos.

Leia também


você pode gostar também

7 alimentos que “roubam” a memória; o sexto você nem vai acreditar

Pesquisas recentes mostram que alguns alimentos pobres em nutrientes podem gerar deficiência nutricional no organismo e afetar as funções cerebrais a longo prazo.

7 filmes da Netflix que vão te deixar mais feliz e otimista em 2022

Selecionamos sete filmes da Netflix que podem te dar mais otimismo.

Área jurídica: confira 5 carreiras que têm ganhos acima de R$ 15 MIL

Tem afinidade com a promissora área jurídica? Então, conheça cinco rentáveis carreiras que pagam salários acima de R$ 15 mil por mês.

5 truques infalíveis para montar um plano de estudos realmente eficaz

Acabou de fazer a inscrição em um concurso público? Conheça cinco truques infalíveis para montar um plano de estudos eficaz.

5 dicas úteis para fazer um bom fichamento durante os estudos

Procura uma técnica de aprendizagem que seja eficiente? Fique por dentro de cinco dicas úteis sobre como fazer um bom fichamento durante os estudos.

Moeda de R$ 1, conhecida como Perna de Pau, vale até R$ 8 MIL

A proposta de R$ 8 mil por uma unidade desse modelo surpreendeu os colecionadores e usuários da internet.