Por que as garrafas de vinho têm padrão de 750 ml em vez de 1 litro?

Escolher um bom vinho pode ser uma tarefa difícil para uma pessoa leiga, mas você sabe por que o tamanho padrão dessa bebida é de 750 ml?

O vinho é uma das bebidas mais apreciadas pelo mundo. Ele é comercializado em diferentes garrafas, estilos e uvas. Uma dúvida, no entanto de muitos consumidores diz respeito à quantidade padrão comercializada, que corresponde a 750 ml. Entenda, a seguir, a explicação para isso.

Está muito enganado quem acredita que o vinho só tem diferença de cores e rótulos. Essa bebida é bem complexa, apresentando diferentes características, sabores e variedades. Por isso, há pessoas especialistas em apreciar essa iguaria. Há cinco tipos de vinhos simples que podemos enumerar: tinto, branco, rosé, espumante e licoroso.

Por que o vinho tem 750 ml?

Esta é mais uma daquelas histórias que podem ser explicadas com base o sistema métrico de unidades e o sistema imperial inglês, o mais antigo. De acordo com a história, no século XIX, o Reino Unido era o principal importador de vinhos franceses. E os ingleses gostavam de usar o galão, que equivalia a 4.546 litros.

Em razão disso, para atender os principais consumidores, os franceses adotaram caixas com seis garrafas de 750 ml que, se somadas, dão o valor total do galão.

Por isso, até hoje, o padrão para comercialização do vinho é de 750 ml. No entanto, não existe apenas essa quantidade disponível. Estão à venda, atualmente, nos seguintes tamanhos:

  • Um quarto: 187 ml;
  • Meia garrafa: 375 ml;
  • Sobremesa: 500 ml;
  • Garrafa: 750 ml;
  • Magnum: 1,5 l;
  • Jeroboam (Jeroboão): 3 l;
  • Réhobam (Roboão): 4,5 l;
  • Imperial ou Matusalém: 6 l;
  • Salmanazar ou Mordecai: 9 l;
  • Baltazar: 12 l;
  • Nebuchodonosur: 16 l;
  • Melchior: 18 l;
  • Salomão: 20 l;
  • Melquisedeque: 30 l.

Saiba mais curiosidades sobre os vinhos

A principal diferença entre os vinhos existentes são as uvas utilizadas para a produção de cada bebida. O tipo de uva influencia diretamente no sabor, aroma e no resultado final do vinho.

Algumas uvas deixam o sabor forte da fruta, outras mais leves, e ainda há aquelas com pigmentação tão forte que deixam o vinho com uma cor mais escura. De maneira geral, nenhum vinho será igual ao outro, pois dependerá de uma série de fatores como a escolha da uva, a viticultura e a vinificação, por exemplo.

Além disso, os tipos de vinho também variam conforme a cor, a quantidade de açúcar e gás carbônico, e o teor alcoólico. Em razão disso, pode-se afirmar que a melhor escolha para o vinho é aquele que agrada mais o seu paladar. Não existe um vinho melhor que o outro. Por isso, escolha sempre aquele que você se adapta melhor.

Contudo, se a intenção for harmonizar com algum prato, é interessante seguir algumas dicas:

  • Cabernet Sauvignon: essa uva combina com risotos, queijos maduros e polenta com ragu;
  • Merlot: essa uva vai harmonizar com carnes vermelhas, embutidos e molhos para massas à base de carnes;
  • Malbec: essa usa combina com carne de cordeiro, churrasco e carne de costela;
  • Pinot Noir: essa uva vai muito bem com frutos-do-mar, vegetais, estrogonofe de frango, cremes e caldos;
  • Chardonnay: essa uva combina com frutos-do-mar suaves com molhos ácidos, bacalhau e massas ao molho branco.

Vale salientar que a harmonização de vinhos consiste em escolher o vinho certo para acompanhar uma refeição, sendo possível harmonizar vários tipos de uvas, a fim de ressaltar os sabores da combinação. Isso porque a escolha do vinho errado pode anular o sabor da bebida ou da refeição.

Leia também

você pode gostar também

Conheça 9 profissões que não precisam de diploma

Não pôde concluir os estudos e vai começar a procurar emprego? Conheça nove profissões que não precisam de diploma e que costumam ter uma grande demanda.

Saiba como aumentar sua produtividade em 7 passos

Procura uma forma de aumentar a produtividade nos estudos para as provas do concurso? Fique por dentro de sete dicas incríveis e turbine as suas chances de aprovação.

Síndrome de Burnout: qual é a causa? Descubra como evitar

A Síndrome de Burnout é um distúrbio emocional relacionado com o excesso de trabalho, sendo considerada uma doença ocupacional por especialistas da área de saúde.

9 profissões com bons salários que não exigem nível médio

Sempre sonhou em ganhar bem, mas não quis levar os estudos adiante? Conheça nove profissões com bons salários que não exigem nível médio.

9 informações que não precisam ser citadas em seu currículo

Vai começar a procurar emprego e quer aumentar as chances de ser convocado para um processo seletivo? Então, conheça nove informações que não precisam ser citadas no currículo.

5 profissões que pagam bem e têm vagas sobrando

As profissões que pagam bem e têm vagas sobrando saem das carreiras tradicionais por acompanharem as inovações no mercado de trabalho. Porém, existem requisitos para ocupar os cargos dessa lista.