Oportunidades: 15 cidades que mais geram novas vagas de emprego

O Brasil gerou mais de um milhão de empregos entre janeiro e maio deste ano. Confira as cidades que mais geram novas vagas por todo o território do país.

De acordo com os dados do Novo Caged, divulgados pelo Ministério do Trabalho e Previdência, o Brasil chegou a gerar mais de um milhão de empregos formais apenas entre janeiro e maio deste ano. O número também se relaciona à localidade: neste sentido, é importante considerar as cidades que mais geram novas vagas de emprego.

José Carlos Oliveira, ministro do Trabalho e Previdência, considerou as métricas deste ano um recorde na história do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Mesmo com as crises econômicas de 2022, foi atingido um dos maiores patamares dos últimos 10 anos.

No total, foram alcançados cerca de 41.729.858 postos de trabalho. Desta quantidade, existem algumas cidades brasileiras que lideraram os números de contratações neste ano. Além disso, entre as 10 primeiras, apenas uma não é uma capital. Para conferir mais sobre o assunto, confira abaixo as 15 cidades que mais geram novas vagas de trabalho no Brasil.

Cidades que mais geram novas vagas de emprego no país

Em relação às cidades que mais geram empregos sem ser capitais, ainda dentro do ranking, a cidade de Campinas criou mais de 93 mil vagas formais. Logo em seguida, fora do eixo Rio-São Paulo, aparece também Joinville. O município catarinense chegou a gerar 60,8 mil vagas de emprego neste ano.

No geral, porém, o ranking de cidades que mais geraram novos empregos neste ano no país é o seguinte:

  • São Paulo (SP): 1.142.813 empregos;
  • Rio de Janeiro (RJ): 329.519 empregos;
  • Curitiba (PR): 225.576 empregos;
  • Belo Horizonte (MG): 218.261 empregos;
  • Brasília (DF): 171.171 empregos;
  • Goiânia (GO): 133.329 empregos;
  • Fortaleza (CE): 125.110 empregos;
  • Salvador (BA): 114.648 empregos;
  • Porto Alegre (RS): 111.526 empregos;
  • Campinas (SP): 93.176 empregos;
  • Barueri (SP): 88.815 empregos;
  • Manaus (AM): 88.404 empregos;
  • Recife (PE): 83.177 empregos;
  • Guarulhos (SP): 70.456 empregos;
  • Joinville (SC): 60.827 empregos.

Já em relação aos estados, o ranking de regiões que mais geraram emprego entre janeiro e julho deste ano é o seguinte:

  • São Paulo: 594.613 empregos;
  • Minas Gerais: 219.560 empregos;
  • Santa Catarina: 139.410 empregos;
  • Paraná: 132.328 empregos;
  • Rio Grande do Sul: 107.563 empregos;
  • Goiás: 89.862 empregos;
  • Rio de Janeiro: 82.687 empregos;
  • Bahia: 81.449 empregos;
  • Mato Grosso: 61.135 empregos;
  • Ceará: 46.129 empregos.

Em primeiro lugar está a cidade de São Paulo, com 1,1 milhão de oportunidades de trabalho criadas em 2022. Junto da capital, estão ainda outras cinco cidades paulistas na lista, como Campinas, Barueri, Guarulhos, Ribeirão Preto e São Bernardo do Campo.

De acordo com o ranking, a maioria das oportunidades de emprego foi criada no Sudeste e no Sul. Mesmo assim, outras cidades fora da região também ficam entre as 10 melhores colocadas, como Brasília, Goiânia e Fortaleza.

Em maio, por exemplo, o setor de Serviços teve grande destaque. Foram gerados 120.294 postos de trabalho formais, distribuídos entre atividades de informação, comunicação, financeiras, profissionais, imobiliárias e administrativas, entre 49.373.

Igualmente, o destaque vai para a administração pública, educação, saúde, serviços sociais e seguridade social, com 24.785 vagas.

Início do ano

A pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) analisou 5.570 municípios do Brasil. No estudo, foi feita uma seleção das cidades que geraram pelo menos 10 mil empregos formais, entre julho de 2020 até fevereiro de 2022.

Com base nos resultados, os municípios com maior destaque foram aqueles com maior produção e exportação de produtos agrícolas e minerais, bem como aqueles com vocação turística. Em relação às commodities, a comercialização internacional contribuiu para a redução de desemprego no país.

O período considerado para análise corresponde à época em que o Caged começou a registrar saldos positivos, logo após a primeira onda da pandemia da COVID-19. Deste modo, os municípios com maior oferta de empregos nesta época foram:

  • Porto Seguro (BA);
  • Araruama (RJ);
  • Balneário Camboriú (SC);
  • Canaã dos Carajás (PA);
  • Ipojuca (PE);
  • Pederneiras (SP);
  • Santo Antônio de Jesus (BA);
  • Vacaria (RS).

Economistas acreditam que o retorno aos postos de trabalho nesta época foram influenciados pela retomada da economia, processo que ocorreu depois das restrições mais duras da pandemia, possibilitando o crescimento do turismo no país.

Esta área, por exemplo, foi a mais afetada durante a quarentena. Em compensação, é a que possuiu mais potencial de regeneração com o controle da disseminação da doença.

Em 20 meses, o mercado de trabalho foi capaz de gerar mais de 4,44 milhões de vagas, demonstrando um avanço de 12% no estoque dos municípios. Em 2021, foram criadas cerca de 2,7 milhões de vagas, com um crescimento de 4,6%.

Leia também

você pode gostar também

Conheça 9 profissões que não precisam de diploma

Não pôde concluir os estudos e vai começar a procurar emprego? Conheça nove profissões que não precisam de diploma e que costumam ter uma grande demanda.

Saiba como aumentar sua produtividade em 7 passos

Procura uma forma de aumentar a produtividade nos estudos para as provas do concurso? Fique por dentro de sete dicas incríveis e turbine as suas chances de aprovação.

Síndrome de Burnout: qual é a causa? Descubra como evitar

A Síndrome de Burnout é um distúrbio emocional relacionado com o excesso de trabalho, sendo considerada uma doença ocupacional por especialistas da área de saúde.

9 profissões com bons salários que não exigem nível médio

Sempre sonhou em ganhar bem, mas não quis levar os estudos adiante? Conheça nove profissões com bons salários que não exigem nível médio.

9 informações que não precisam ser citadas em seu currículo

Vai começar a procurar emprego e quer aumentar as chances de ser convocado para um processo seletivo? Então, conheça nove informações que não precisam ser citadas no currículo.

5 profissões que pagam bem e têm vagas sobrando

As profissões que pagam bem e têm vagas sobrando saem das carreiras tradicionais por acompanharem as inovações no mercado de trabalho. Porém, existem requisitos para ocupar os cargos dessa lista.