Prova de vida do INSS poderá ser feita pelo celular

A expectativa é de que a prova de vida digital seja oficialmente implementada ainda no primeiro semestre de 2020. Confira como deverá funcionar:

prova de vida do inss pelo celular

Tudo para reduzir o tempo de espera! - Foto: Pixabay

Com o objetivo de reduzir o tempo de espera pelos benefícios, o governo pretende implementar oficialmente a prova de vida anual pelo aplicativo “Meu INSS”. A previsão é de que os processos de digitalização sejam disponibilizados ainda no primeiro semestre de 2020.

No ano passado, os testes em 15 municípios diferentes foram realizados com base na biometria do rosto e na impressão digital. A alternativa pode ajudar 35 milhões de beneficiários que, em sua maioria, são idosos e têm dificuldades de locomoção.

Outro ponto positivo está ligado com o atual cenário de pandemia causada pelo novo coronavírus (Covid-19). Afinal, a prova de vida feita pelo celular preveniria aglomerações dos idosos que estão dentro do grupo de risco.

Prova de vida é realizada desde 2012

Todos os anos, desde 2012, os segurados no INSS devem comparecer em um dos postos de atendimento ou bancos credenciados para realizar a prova de vida anual.

Esse processo é obrigatório para todas as pessoas que estejam contempladas com o benefício há mais de um ano. No entanto, apesar de relativamente rápido, ainda exige tempo e tem custos operacionais elevados.

Como a prova de vida digital deve funcionar

O segurado acessará, por meio do aplicativo “Meu INSS”, o sistema para posicionar a mão na frente da câmera com objetivo de capturar as digitais. De maneira automatizada, os dados serão analisados com base no banco de informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Já o reconhecimento facial consistirá no movimento da cabeça e dos olhos para comprovar que o beneficiário está com vida. De acordo com os dados que o governo já tem dos cidadãos, também será possível fazer prova de vida pelo reconhecimento de voz.

Como a prova de vida já é comumente realizada

Quem preferir, poderá continuar fazendo a prova de vida presencialmente ou por meio de procurador cadastrado no INSS.

Também há a alternativa de agendar visita em domicílio via telefone (número 135). De acordo com o portal da Caixa Econômica Federal, a prova de vida deve ser realizada a cada 12 meses para que o benefício não seja bloqueado.

Tópico: INSS

Compartilhe

Comentários