Despesas obrigatórias do governo ameaçam Bolsa Família; entenda

Governo federal começa a estudar os gastos de 2022 e já prevê aumento significativo nas despesas do orçamento. Bolsa Família pode ser afetado. Saiba mais.

Os pagamentos do Bolsa Família podem ser ameaçados devido ao aumento das despesas obrigatórias do governo. Recentemente, o Ministério da Economia fez um balanço com o orçamento do ano que vem e constatou que mais gastos ocorrerão. A informação é do jornal O Estado de S. Paulo.

Ao mesmo tempo, o governo federal segue prometendo que o Bolsa Família passará por uma expansão e até ganhará um reajuste nos valores das parcelas pagas. Ainda não se sabe como as promessas serão cumpridas sem prejudicar o teto de gastos.

Despesas obrigatórias de 2022 somam R$ 105 bilhões

De acordo com a matéria do Estadão, o governo já se comprometeu em R$ 105 bilhões em despesas obrigatórias para o ano que vem. Isso quer dizer que é um dinheiro que não pode ser modificado e tem um destino certo.

No entanto, existe a promessa de reformas no Bolsa Família, que devem elevar os gastos em mais de R$ 18 bilhões. Para deixar a conta mais difícil, já foi dito também que haverá aumento de cerca de 5% no funcionalismo público, gerando mais R$ 15 bilhões em despesas.

Dentro da conta do governo, ainda estão os aumentos do salário mínimo e da previdência. Portanto, é possível que o Bolsa Família seja afetado e não receba todas as novidades previstas ou já prometidas. A decisão final será do Ministério da Economia.

Novo Bolsa Família terá parcelas de R$ 284 ou R$ 300?

Outro assunto sobre o Bolsa Família, que vem sendo muito tratado pelo governo e vem gerando expectativa nos beneficiários, é em relação aos valores repassados. No momento, existem informações um pouco desencontradas sobre o tema.

Durante uma entrevista para a SIC TV, de Rondônia, no começo de junho, Bolsonaro afirmou que a inflação fez com que muitos produtos da cesta básica sofressem com aumentos. Por isso, os valores do Bolsa Família deveriam ser ajustados para R$ 300.

"A ideia é dar um aumento de 50% para ele [Bolsa Família] em dezembro. Para sair em média de 190 para, um pouco mais de 50%, seria 300 reais. É isso que tá praticamente acertado aqui", disse o presidente, na época.

Ao mesmo tempo, de acordo com o colunista do jornal O Globo, Lauro Jardim, o benefício subirá para o valor de R$ 284, ou seja, um pouco abaixo do prometido pelo presidente. Esse seria o quarto valor diferente anunciado para o programa.

Outras previsões para o Bolsa Família

Enquanto o presidente Jair Bolsonaro ainda não bate o martelo sobre os valores do Bolsa Família, outras previsões para o programa seguem incertas. Em ocasiões passadas, o governo já informou de sua intenção em expandir o benefício para mais famílias (de 14,7 para 17 milhões).

Além disso, já foi dito que os beneficiários deveriam cumprir novas regras, com requisitos mais rígidos. Concomitantemente, haveria a opção de novos benefícios dentro do programa:

  • Auxílio-creche mensal de R$ 52 por criança;
  • Prêmio anual de R$ 200 para os estudantes com os melhores desempenhos;
  • Bolsa mensal de R$ 100, mais prêmio anual de R$ 1.000, para alunos com bom desempenho nos campos de ciência e tecnologia;
  • Bolsa mensal de R$ 100, mais prêmio anual de R$ 1.000, para alunos que forem destaque em atividades desportivas;
  • Auxílio-creche no valor de R$ 200 para as mães beneficiárias do Bolsa Família.

Nenhuma das informações citadas anteriormente foi devidamente oficializada pelo governo federal. Ainda está previsto um anúncio com o lançamento do novo Bolsa Família após o avanço do plano de imunização do país.

Compartilhe

Especial Concurso BB

Veja mais »