Dimensionamento da força de trabalho: como afeta concursos?

Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos vem apresentando o modelo de dimensionamento da força de trabalho (DFT). Saiba o que é.

O Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos pretende liberar mais concursos de grande abrangência nos próximos anos, como o Concurso Nacional Unificado que está em andamento. Para isso, no entanto, será preciso realizar o dimensionamento da força de trabalho (DFT) e saber quais órgãos de fato necessitam de profissionais.

continua depois da publicidade

Visando orientar as entidades que estão com processos seletivos ou concursos públicos em andamento, a equipe da Coordenação-Geral de Planejamento da Força de Trabalho elaborou um guia de orientação para gestores na distribuição dos servidores.

Entenda o dimensionamento da força de trabalho

O dimensionamento é uma das ferramentas que serão usadas para o processamento dos dados qualitativos e quantitativos sobre os trabalhos realizados por uma determinada equipe. Por meio dele, haverá a análise das características dos servidores e estimativa da quantidade ideal de pessoas para realizar entregas em um determinado setor.

Leia também

O modelo é destinado aos órgãos e entidades da Administração Pública Federal direta, autárquica e fundacional para apoiar a gestão de empregados e subsidiar o planejamento de políticas públicas. Além disso, poderá contribuir na uniformização da gestão dos servidores.

A intenção é possibilitar aos referidos órgãos e entidades a utilização desse processo como uma prática contínua, usado de base para as suas decisões estratégicas de gestão de pessoas. Dentre elas, podemos citar:

  • Melhoraria na força de trabalho;
  • Definição do esforço necessário para determinada atividade;
  • Mapeamento de entregas técnicas.

Dimensionamento da força de trabalho: o que vai afetar nos concursos?

O dimensionamento da força de trabalho (DFT) pretende aprimorar os pedidos de realização de concursos públicos, contratações temporárias e movimentação de pessoal, favorecendo assim o diagnóstico organizacional e a melhoria de processos e serviços prestados à sociedade.

A partir do painel de resultados, haverá uma estimativa da quantidade ideal de pessoas para um determinado órgão, além de outras informações, como o perfil da equipe, incluindo a idade, gênero e escolaridade, rotatividade de pessoal e complexidade das entregas das etapas. Com base nas avaliações desses indicadores será possível ter uma visão gerencial da unidade e do órgão.

Assim, em posse desses dados, as entidades públicas poderão, anualmente, enviar as suas necessidades para serem integradas aos novos concursos unificados que estão previstos para serem realizados no país.

Leia também

Concursos em sua
cidade