Estes 7 hábitos podem destruir os seus neurônios; o 4º é o pior de todos

Fique por dentro dos hábitos que podem destruir os neurônios e evite ficar com a saúde mental debilitada ou com pouca disposição para estudar.

O cérebro humano é um órgão complexo e vulnerável, por isso, exige cuidados constantes. Mas você conhece os sete hábitos que podem destruir os neurônios e deixar a sua saúde mental em frangalhos? Essa matéria selecionou os sete principais.

Continue a leitura até o final e veja se alguns deles está fazendo parte da sua rotina de estudos. Não seja adepto de nenhum desses hábitos que prejudicam a mente e triplicam o risco de doenças degenerativas, como as demências. Bora lá conferir, concurseiro?

Veja os hábitos que prejudicam o desempenho do cérebro

1) Estar conectado o tempo inteiro

Estes 7 hábitos podem destruir os seus neurônios; o 4º é o pior de todos
Foto: Reprodução / Pexels.

Esse é um dos principais hábitos que podem destruir os neurônios. Sabemos que é praticamente impossível viver desconectado do mundo virtual. Afinal, o computador e o celular são objetos de trabalho ou de estudo. Mas o que não vale é estar “online” a maior parte do tempo.

É claro que você pode (e deve) ter acesso à tecnologia. O problema é que estar presente nas redes sociais praticamente 24 horas por dia pode aumentar o risco de dependência e prejudicar o cérebro. Por isso, aposte na delimitação do tempo que você passa conectado na internet, fechado?

2) Isolamento social

Outro dos hábitos que podem destruir os neurônios. Você sabia que a atividade cerebral depende diretamente dos estímulos externos? É verdade. E o isolamento social faz com que a nossa mente seja submetida uma quantidade de informações muito menor.

E isso reduz parcialmente as suas atividades. De quebra, a solidão piora consideravelmente as funções cognitivas e aumenta o risco de depressão.

Por isso, se você se isolou do mundo por causa dos estudos ou por qualquer outro motivo, reveja esse hábito, pois ele pode ser bastante prejudicial.

3) Hábitos que podem destruir os neurônios: Fumar

Não é novidade para ninguém que o tabagismo afeta a nossa saúde física e mental. As nocivas substâncias presentes no cigarro podem acarretar acúmulo de placas de gordura nos vasos que irrigam o cérebro, o que reduz a sua oxigenação.

Dessa forma, se você é um fumante inveterado, esse vício pode causar uma irreversível deterioração dos seus neurônios. E isso se traduz em uma maior possibilidade do aparecimento das demências, como o Alzheimer, por exemplo.

4) Poucas horas de sono

Esse talvez seja o pior dos hábitos que podem destruir os neurônios. Quem dorme menos de seis horas por noite ou sofre de insônia, corre um sério risco de ter a saúde mental prejudicada por causa da falta de um sono reparador.

É nessa hora que o nosso cérebro retém as informações recém-aprendidas, exercita a criatividade e até organiza os pensamentos. Se você está dormindo cada vez menos, é melhor rever os seus hábitos e fazer a higiene do sono. Não negligencie essa dica, combinado?

5) Não exercitar a mente

Provavelmente você já deve ter escutado por aí o ditado: “Cérebro ativo é cérebro saudável”, certo? É a mais pura verdade. A nossa mente precisa ser exercitada o tempo todo. E desafiá-la é a única forma de evitar as temidas lesões cerebrais e as doenças degenerativas.

Por isso, estimule ao máximo o seu cérebro. Como? Aprendendo uma nova habilidade, um outro idioma, deixando a leitura fazer parte da sua rotina, com jogos que exigem raciocínio lógico e até desenvolvendo uma nova competência técnica no seu trabalho, por exemplo.

6) Excesso de estresse

Mais um dos hábitos que podem destruir os neurônios e prejudicar o cérebro. Se você é daqueles concurseiros que vivem estressados praticamente o tempo inteiro, a sua mente pode estar pedindo socorro, já que o estresse constante contribui para o esgotamento emocional.

A falta de um descanso adequado não permite que os neurônios se reorganizem adequadamente, bem como a recuperação da energia. E isso prejudica o bom funcionamento cerebral. Dessa forma, evite (ao máximo) ficar estressado, já que essa condição eleva a quantidade de cortisol no organismo.

7) Hábitos que podem destruir os neurônios: Sedentarismo

A falta de exercícios físicos também afeta a nossa saúde mental, sabia? Atividades aeróbicas aumentam a oxigenação nesse órgão vital e, por consequência, as conexões neurais. Pessoas que se exercitam com frequência aprendem com mais facilidade e têm menos déficit de cognição.

Por isso, se você não gosta ou tem preguiça de suar a camisa, é melhor rever essa atitude pouco saudável. Uma caminhada de 50 minutos, todos os dias, reduz as chances de envelhecimento cerebral, melhora o humor e aumenta a capacidade cognitiva.

Agora é evitar todos os hábitos que podem destruir os neurônios citados acima e deixar a sua saúde mental intacta.

Leia também

você pode gostar também

Para que servem aquelas bolas laranjas nos fios de transmissão?

Fios de alta tensão geralmente possuem itens de segurança bastante chamativos para evitar acidentes que possam danificar os fios e causar maiores problemas.

Convocação, nomeação e posse: saiba qual é a diferença

A diferença entre a etapa de convocação, nomeação e posse em um concurso público pode criar dúvidas nos candidatos, principalmente sobre a burocracia e procedimentos ao longo desses níveis.

O que 2023 reserva para os concursos? Veja 7 editais previstos

Os concursos públicos previstos para serem realizados no Brasil em 2023 podem ofertar vagas para profissionais de níveis médio, técnico e superior.

7 verdades sobre concursos públicos que vão te motivar

Está querendo começar uma carreira pública em 2023? Então, conheça sete verdades sobre concursos públicos que podem deixar a sua motivação nas alturas.

Como usar o marketing pessoal para ter bons relacionamentos no trabalho?

Entenda melhor o conceito de marketing pessoal e veja como aplicar esse conhecimento à sua vivência profissional.

11 profissões que você nem sabia que já existiram

Conheça um pouco mais sobre as profissões que você nem sabia que já existiram e que só são relembradas em documentários da TV ou nos livros escolares.